Epichurus

Natação e cia…

Cota de Ingressos para Ex-Olímpicos pode Arnaldo?

Semana passada rolou o 1º sorteio de ingressos para as Olimpíadas de 2016.  Eu não fui sorteado e de todos os nadadores que eu conheço só soube de dois que conseguiram ingressos para as finais (ambos em apenas um dia).  Paciência!  Enquanto o Epichurus não for uma potência como a Globo ou a ESPN, acho que não rola um crachá pra sentar ao lado do Eliah Junior e rir das besteiras que ele fala.  Quem pode esquecer da espetacular pérola “Na raia 4, de gorrinho amarelo…”

Feliz mesmo somente nosso colega LAM que conseguiu ingresso pra sua mais nova paixão.

Feliz mesmo somente nosso colega LAM que conseguiu ingresso pra sua mais nova paixão.

O curioso é que o sorteio gerou uma discussão interessante entre nosso grupo de ex-PEBAs sobre o direito de ex-atletas olímpicos obterem os ingressos “na faixa” ou ter prioridade na compra, até porque teve gente que ficou indignada por não ter esse direito.  Não é a primeira vez que vejo algo desse tipo.  Há alguns anos um ex-atleta olímpico com dificuldades financeiras sugeriu que o COB teria a obrigação de lhe dar uma ajuda de custo, praticamente como se fosse um herói de guerra que ficou inválido por ter pisado numa mina.

A pergunta que fica é:  Até onde o COB tem obrigações com ex-atletas olímpicos? Eu acho que o assunto tá longe de ser preto no branco.  A coisa é complexa.

O argumento de quem é a favor do “reconhecimento eterno” é sempre emocional.  Como a entidade que rege o esporte olímpico nacional esquece seus ídolos do passado?  Discurso esse muito comum no futebol, onde sempre tem quem se sensibilize com ex-jogadores atualmente na sarjeta, embora a crítica nesses casos seja maior aos clubes do que a CBF.

Voltando ao assunto da “cota” de ingressos exclusiva para ex-olimpicos, eu particularmente acho interessante que estejam na plateia.  Acho que engrandece o evento, mas também acho esse pensamento utópico porque a logística é complicada de implementar.

Primeiramente você precisa garantir que o solicitante é de fato um ex-atleta olímpico.  Isso deve ser fácil, mas pra evitar que olímpicos de vários esportes se estapeiem para assistir a final da prova nobre da natação, os 200m Peito, o fulano só poderia assistir o esporte pelo qual competiu.  Se o Joaquim Cruz quiser assistir os 200m Peito tem que dizer um sonoro NÃO pro cara, senão vira a casa da mãe Joana.

Mas aí vem a questão numérica.  Uma arquibancada de natação tá longe de ser do tamanho de um estádio de futebol e quantos ex-nadadores olímpicos brasileiros ainda estão vivos?  Imagino que centenas.  E se todos quiserem assistir os jogos?  De Manoel do Santos a Patricia Amorim?  Uma boa parte da arquibancada teria que ser destinada a eles.  Assim não dá.  E se pudessem levar acompanhante, complicaria mais ainda!  Tem que limitar a quantidade de ingressos pra esse pessoal.  Como fazer?  Sei lá, o mais justo seria priorizar os craques: Medalhistas > Finalistas > Semi Finalistas ou Finalistas B > Semi-PEBAs, todo mundo sem acompanhante e ainda assim talvez seja necessário liberar pro cara somente o dia da sua prova principal.  Se o José Diniz Aranha quiser assistir os 200m Costas, o Romero tem que dizer “Aqui não meu irmão.  Seu dia é amanhã, senta lá do lado do Xuxa e me deixa tranquilo aqui”.  E ex-comissão técnica, pode?  Técnicos, dirigentes, massagistas?  Começou a complicar a logística!

Além disso tem um outro ponto importante.  As Olimpíadas, na prática, são de responsabilidade do COI, mesmo que organizada pelo seu braço brasileiro (no caso de 2016) o COB.  E se o Matt Biondi quiser assistir as Olimpíadas no Rio?  O cara tem 8 medalhas de ouro e certamente é mais importante sua presença, nem que seja numa visão marqueteira, do que um brazuca que terminou em 37º em alguma edição passada.  E se além dele também quiserem vir a Janet Evans, o Mike Barrowman, o Antony Nesty e outros tantos?  O COI teria preferência sobre o COB ou teria outra ala reservada para as estrelas internacionais?  Ou pelo fato de ser no Brasil o COB teria o “direito” de dizer pro Matt Biondi, “Mr. Biondi, You are not getting in.  You can tune in on Channel 5 and watch the 100m Freestyle finals on TV”.  De novo a tal armadilha numérica.  Simplesmente não tem lugar pra todo mundo, e não vou entrar na questão da grana.  Se o ingresso for na faixa, quem arca com o prejuízo? o COB ou o COI?

E a família do atleta que está competindo?  Quem tem mais “direito” a assistir a competição, o cara que pegou 32º nas Olimpíadas de Seul ou a mãe de uma nadadora com chance de Final?  Se meu filho fosse disputar os jogos (The dream still lives) eu acredito piamente que deveria ter prioridade frente a um ex-olímpico, afinal é meu filho ali buscando uma medalha poxa?!  Não dá pra assistir pela TV.  E esse dilema não é novo.  Vejam o que Fabíola Molina disse ao Globo Esporte antes dos jogos de 2008: “Meus pais e minha irmã virão para cá, mas eles não têm ingresso ainda. Estou até tendo pesadelo à noite porque eles estarão lá em Pequim e talvez não consigam me assistir. Meus pais estão pegando alguns contatos de brasileiros que moram em Pequim para ver se eles conhecem alguma coisa. Se não conseguir, vai ter que tentar cambista.”  Convenhamos que pra Fabiola Molina, que alega até pesadelo, é milhões de vezes mais importante sua família na arquibancada do que a presença do José Geraldo e como sou pragmático, prefiro zelar pela felicidade e bem estar de quem está competindo, do que fazer feliz alguém que nadou as Olimpíadas no passado.

Sei que o COB tem sua cota de ingressos pra distribuir pra quem bem entende.  Não sei quantos são, mas sendo o Brasil o Brasil, imagino que a maioria vai pra bajular políticos e patrocinadores.  Talvez parte da cota poderia ser destinada a olímpicos de outrora, mas a armadilha numérica será sempre a mesma.  Simplesmente não tem lugar pra todo mundo e com essa “mamata” vigorando imagino que a procura será bem maior que a demanda.

Agora, tentando olhar toda a situação sob uma ótica imparcial, sem o pré julgamento de ex-nadador, qual seria a justificativa da prioridade de ingressos para um ex-olímpico?  Ele merece assistir mais do que um fã incondicional da natação que nunca deu uma braçada ou um ex-PEBA que treinou como uma louco, mas não tinha talento embora continue acompanhando o esporte? O fato de ter competido nos jogos é suficiente para dar a alguém prioridade na compra de ingressos que na prática tirará a chance de um outro alguém assistir a natação?  Como sou contra qualquer sistema de cotas, inclusive as que o governo brasileiro tanto adora, preciso manter minha coerência ideológica e dizer que sou contra cotas de ingressos para ex-olímpicos, mesmo que esses estejam dispostos a pagar pelo ingresso.  No meu ponto de vista assistir um evento esportivo deve ser um direito igual tanto para olímpicos, PEBAs ou o público geral e o sorteio me parece o jeito mais justo disso acontecer.

30 comentários em “Cota de Ingressos para Ex-Olímpicos pode Arnaldo?

  1. Rogério Aoki Romero
    15 de junho de 2015

    Bom dia Lelo!

    Eu, infelizmente pela experiência e felizmente pela parte monetária, não fui um dos sorteados, apesar de tentar todas as finais em todas as categorias. Fui enganado pela telinha de celular que me levou ao meu próprio pedido. Apenas depois da euforia/desespero de ter sido sorteado em tudo nas categorias mais caras que vi, agora na telona de um computador, que fui contemplado com 1/13 do meu pedido: a final dos 200m… rasos.

    Pois bem, ver as olimpíadas, como bem sabem, já vi, mas no Brasil seria muito bacana. Dito isto, e considerando para quem vão os ingressos carimbados, apesar de ser contra as cotas também, estaria pendente a uma (paga, obviamente) a ser contemplada pelos … pais dos atletas! Sim, afinal foram eles quem provavelmente mais investiram na carreira do filho e merecem um lugar no sol. Mas o ideal é que fosse apenas para a prova do filho e com identidade comprovada (a esperteza brasileira foi exportada).

    Quanto aos olímpicos, resta dizer que nosso tempo já passou, nosso pais é sem memória, etc, mas ninguém pode reclamar que o sorteio é a maneira mais democrática de comprar os ingresso (ou o que sobrou deles).

    Abraço a todos.

    • Luiz Alfredo Mäder
      15 de junho de 2015

      200 rasos? estarei lá também, obviamente depois de assistir as gatinhas do Nado 😉

    • Lelo Menezes
      16 de junho de 2015

      Boa Piu. Temos pensamentos similares. A tristeza de não ser sorteado foi igual ao alívio de não morrer com uma fortuna.. kkkk. De qualquer forma concordo que pais, esposa/marido e filhos deveriam ter algum tipo de pacote para assistir a prova do familiar. Deve ser muita sacanagem ser obrigado a assistir seu filho pela TV.

      abs

  2. Aécio
    15 de junho de 2015

    Minha experiência em assistir eventos internacionais de natação se restringem ao Pan do Rio, em 2007.

    O Maria Lenk tem duas arquibancadas, uma de cada lado da piscina. De um lado só podiam entrar os nadadores e comissões técnicas. Do outro lado os normais que tinham ingresso. Pertinho de mim, no lado dos normais estava o Cyro Delgado, que deve ter comprado ingresso. Djan Madruga estava lá no deck da piscina participando da organização. Não vi outros outros ex-nadadores olímpicos por ali. Ao meu lado estava também a família do Cielo, que acredito, devem ter pago.

    O mais chato da estória é que nos dois lados havia muito espaço vazio, e lá na entrada ninguém tinha moleza. Gente muito apaixonada por natação não entrou. Sem ingresso não entrava mesmo. Penso que os patrocinadores receberam grandes quantidades de ingressos e distribuíram para gente que não é do ramo. Então tinha gente com ingresso sobrando em Porto Alegre enquanto as provas eram nadadas no Rio.

    Mas voltando ao tema original, se em Olimpíada o formato é o mesmo, um lado com atletas e outro com pagantes, é só colocar o ex-olímpico no lado dos nadadores. Certamente peneirando um pouco vai caber.

    Em tempo, consegui ingressos para quinta feira, dia da semi-final dos 50 livres. Queria para sexta, mas se até o Rogério Romero ficou sem……quinta feira está ótimo!

    • Lelo Menezes
      16 de junho de 2015

      Boa Aécio. Semifinal dos cinquentinha deve ser legal de assistir, só acho que bem diferente do Pan, em Olimpíadas não deve ter nenhum lugar vazio, principalmente em semi e final e acho que o lugar dos atletas e comissão técnica deve ser destino somente a eles mesmo. A concentração tem que ser máxima. Colocar ex-olímpico ali não me parece uma boa solução.

      abs

      • Marcel
        29 de junho de 2015

        na quinta também tem a final dos 200 medley, Thiago, japas, Lothe e quem sabe Phelps

  3. rcordani
    15 de junho de 2015

    Eu fui um dos a favor dessa medida: gosto muito de preservar a história, e essa seria uma boa oportunidade com custo quase zero.

    No caso o sistema poderia dar prioridade para o cidadão olímpico brasileiro COMPRAR seu ingresso, caso ele quisesse.

    Então só bastava colocar no algoritmo um step antes com os olímpicos que quisessem (e estivessem cadastrados certinho previamente) e o sistema sortearia eles primeiro. O Luiz Lima assistiria os 1500 junto com o Djan, o Marcelo Jucá, o David Castro e o Michelena, por exemplo.

    Custo quase zero e preservação da história.

    PS: consegui ingressos para o primeiro dia, que tem as finais dos 400L, 400M e 4x100L fem.

    • Luiz F Carvalho
      15 de junho de 2015

      Boa ideia. Prioridade na compra ja seria otimo, mas nao sei se viavel. De graca, sou contra.

    • Lelo Menezes
      16 de junho de 2015

      Esse pessoal estaria disposto a “assistir” um Mauricio Becken pra incentivar a molecada e “preservar” a história? Acho que a maioria não né?! Não vejo o fato do cara estar na platéia de uma Olimpíada ligado com a preservação da história. Essa exigência tem mais cara de “free ride” do que de indignação por não reconhecimento, até porque existem milhões de outras maneiras de reconhecer os campeões do passado.

  4. Rodrigo G
    15 de junho de 2015

    Me inscrevi em todas as eliminatórias e finais da natação além da cerimônia de abertura. O resultado do sorteio: uma mistura de decepção (consegui 4 eliminatórias apenas) e alívio (se tivesse sido sorteado em todos , teria algo em torno de 15 mil reais a mais na próxima fatura do cartão).

    Quanto ao tema do Post, acho que se a cota para convidados fosse dignamente utilizada, ex-olímpicos poderiam ser recebidos sem problemas. Infelizmente, como alguns já citaram, é fato que estes ingressos farão parte da politicagem que impera por aqui.

    A saber: pelo menos 2 dos hoteis mais próximos do Parque olímpico da Barra da Tijuca já estão completamente reservados. Adivinhem por quem? Governo brasileiro!

    • Lelo Menezes
      16 de junho de 2015

      É por aí mesmo Rodrigo. Obviamente no Brasil as mamatas para o governo são uma vergonha, em todas as esferas.

      abs

  5. Patricia Angelica
    15 de junho de 2015

    Desculpem, mas achei meio mimimi os olímpicos reclamando de não ter prioridade, cota ou seja lá o que pra ter direito a ingressos. Justamente por tudo o que você falou aqui, Lelo. Fico sempre com a sensação de que nego só quer privilégios, sabe?

    O problema de colocar ex-olímpicos na cota de ingressos de cortesia é: aqueles que não fossem sagrados com os convites poderiam fazer toda a sorte de acusação. De favorecimentos a propinas etc. etc. etc.

    O sistema do sorteio é mais justo, com certeza. Só que sorteio depende de sorte. E teve gente TÃO sortuda (até prova em contrário) que conseguiu ser sorteado em 80 (OITENTA) sessões e muita gente ficou sem nenhum.

    Pra quem ficou sem nenhum, calma, no segundo semestre tem mais sorteio. E ano que vem tem venda direta dos ingressos que sobrarem.

    Pro desespero geral da nação Epichurista, a natação é um dos esportes mais procurados e dificilmente vai sobrar ingresso pra venda direta.

    Pro meu desespero tão querendo me jogar pra voluntariar no golfe. (y)

    • Lelo Menezes
      16 de junho de 2015

      Eu concordo com o mimimi Patricia. Não vejo um argumento sólido para garantir ingresso para ex-olímpicos. Quanto a “sorte” de alguns, como tudo no Brasil, se desconfia do santo. Deve ter falcatrua no sorteio também.

      []s

  6. Polaco
    15 de junho de 2015

    Bom texto Lelo, e o tema gera uma boa discucao. Eu particularmente sou contra favorecer este ou aquele, e considero o sistema de sorteio, o mais adequado.

    Com relacao a prestigiar os ex-olimpicos , preservar a memoria, existem outras formas de se fazer isso, como a iniciativa do Hall da Fama,levar os ex olimpicos para as competicoes nacionais ou de base (infantil, juvenil) etc.

    Eu mesmo nao participei dos sorteios, mesmo porque provavelmente nao irei sair das terras geladas Canadenses neste periodo. Ja minha esposa provavelmente ira, mas na condicao de treinadora,

    • Lelo Menezes
      16 de junho de 2015

      Boa Polaco. Exatamente como eu penso. Existe melhores maneira de preservar a memória.

      abs

  7. Alexandre Lomonaco
    15 de junho de 2015

    Estarei lá nas finais de quinta-feira , por enquanto o único na natação que consegui. Do assunto principal do post , acho bem discutível ter cotas para ex-atletas olímpicos de antes dos anos 90, mas acho que dá uma dúvida razoável , desses anos em diante se instalou um profissionalismo relativamente bem estruturado e portanto os que nadaram em sua maioria foram “reconhecidos” para tal e ao meu ver não faria o menor sentido continuar “pagando ” por isso.
    Sim, sou totalmente a favor de melhorar a visibilidade do esporte com ações de marketing, mas não acredito que encher arquibancadas com atletas que em nosso país são quase desconhecidos do grande público tenha de verdade essa função.
    Meu prazer de ver antigos e novos ídolos da natação e competidores da minha época não é uma verdade nacional e essa é a realidade.
    Bacana mesmo é essa página de vces, Cordani e colaboradores e para ser sincero acho que uma análise acurada de blogueiros, jornalistas e demais “promotores” do esporte, com o fim de convidar para presenciar as olimpíadas me parece mais correto do que simplesmente ex-atletas.
    Abs.
    Lolo

    • Lelo Menezes
      16 de junho de 2015

      Boa Lolo, obrigado pelo elogio ao blog. Eu concordo que no Brasil quase todos ex-olímpicos são desconhecidos. Infelizmente só medalhista é lembrado fora do meio e na platéia ter um cara que ficou em 10o não traz muita emoção pro público não.

      abs

  8. Rodrigo Munhoz
    15 de junho de 2015

    Achei bem engraçada a parte do Joaquim Cruuz querendo assistir o 200m Peito, Lelo! Boa!
    Sobre a polêmica, acho que o COB tem ingressos e credenciais de acesso para isso. Deveria usar tais coisas com parcimonia e generosidade com aqueles que fizeram parte da historia do esporte. Convidar para uma cerimonia de premiação um ex-olimpico da prova ajudaria no que o Renato chama de preservar a historia, agrada alguém e ao mesmo tempo agrega valor a comunidade esportiva.
    Eu entrei no sorteio para um monte de eliminatorias e finias da natação e mais alguns esportes. De natação não obtive nada… uma pena. Só consegui ingressos pra Vela e pro basquete. Paciencia. Peba é assim mesmo!

    • Lelo Menezes
      16 de junho de 2015

      Boa Munhoz. A idéia de chamar ex-olímpicos para uma cerimônia de premiação me agrada, mas fazendo o papel de advogado do Diabo, se o cara não for um medalhista passado, qual a grandiosidade do gesto pro evento em si? É interessante como preservação da história, mas não sei o quanto tem apelo para o evento.

      abs

    • Lelo Menezes
      16 de junho de 2015

      Não vi muita semelhança dos assuntos. No caso das meninas do vólei estão cobrando uma promessa da CBV. No meu book, promessa é dívida.

  9. Jorge Fernandes
    15 de junho de 2015

    boa discussão… e por conta disso alguns podem começar a pegar as pedras para me acertar…

    tenho em mente 2 situações bem distintas:

    1) se for para a pessoa assistir, tem que ir no enredo de todo mundo, ou seja, se inscrever e participar do processo seletivo/sorteio, que a meu ver, não foi bem projetado, onde alguns tem uma sorte do cacete (ouvi na radio que um caboclo teria que desembolsar 18.000,00 em ingressos ou devolver tudo – não aceitam devolução parcial, e o cara disse que iria devolver pois não tem dinheiro para bancar. Caso pagasse, até revenderia para o comite pelo preço normal, mas só depois de Setembro.);

    e a outra situação, que teóricamente foge um pouco do termo “compra de ingressos”:

    2) participação de ex-atletas, como parte da premiação, eu acho válido, para mostrar ao povo brasileiro, quem foram e assim tentar começar uma memoria esportiva. E acho que devam ir somente 1 dia pre-definido, na(s) prova(s) que se destacaram.

    Um exemplo simples: em prova de fundo, Djan e Luiz Lima… coloca cada um em 1 prova (400 e 1500) para premiação… prefiro ver os 2, subindo lá e premiando os atletas do que aquela cambada de pela-saco, que ninguem nunca ouviu falar… o prazer de ver o Piu, entrando e premiando os 200m costas, e por aí vai…

    minha opinião.

    que venham as pedras…

    • Alexandre Lomonaco
      15 de junho de 2015

      Jorge Fernandes, pra mim seria um prazer vê-lo junto com outros atletas fazendo a entrega de medalhas, além de merecido, mas fora os que já os conhecem , acho pouco provável que para o público em geral faça diferença. Mas taí , acho ótima a idéia. Mas já distribuir ingressos pelo mesmo motivo já não vejo muita razoabilidade.

    • Lelo Menezes
      16 de junho de 2015

      Pô Jorge! aí você não vai poder assistir os 200m Peito! Depois não quero ver choradeira hein! kkkkkk

      abs

      • Jorge Fernandes
        16 de junho de 2015

        assistirei os 200 peito se estiver com inconia… huahuahua…

        não sei se me fiz entender com relação a compra de ingressos… sou contra o favorecimento…
        só no caso de premiações… aí sim, mas sómente para o dia determinado…

  10. Julio Rebollal
    15 de junho de 2015

    Caros amigos, eu só consegui entrada para as 4ªs de final do futebol em BH! Esporte que nem curto tanto assim. Natação neca! Entrarei no próximo sorteio!

    Sou contra qualquer tipo de privilégio em qualquer área. Somos muito paternalistas. Só entra quem comprou, não importa como (sorteio ou compra direta). Na Olimpiada de Seul, mesmo com o crachá de atleta, não soube de ninguém que tenha conseguido entrar em outra modalidade (sem contar as que aconteciam num mesmo local, ou seja, você já estava dentro).

    O INSS paga uma aposentadoria para os jogadores de futebol que foram campeões nas Copas de 1958, 62 e 70, por serviços prestados ao país. O cara gasta toda a sua grana com bebidas, festas, mulherada e outras cositas e nós pagamos a conta?!?!?!?! WTF!!!!

    O sorteio está esquisito uma vez que não está transparente. Voce escolhe a modalidade , mas não sabe quais as chances. Quantos se inscreveram? Qual a quantidade? Qual o resultado? Quantos foram sorteados no seu estado? Como concorrer com um “rabudo” que consegue R$18.000,00 em ingressos?

    Concordo com o Jorge: homenagear as nosso principais atletas olimpicos seria muito bom para a divulgação do esporte. Chance única…

    Abraços.

    • Luiz Alfredo Mäder
      15 de junho de 2015

      em Seoul o jingle era algo como “TV Manchete 400 horas no ar”… em Curitiba rapidamente o alteramos para “Zé Geraldo, 400 horas no ar” pois o cara tava em TODAS as transmissões 😉
      se não me engano ele tava até numa entrevista que o Zequinha Barbosa deu após uma eliminatória, contando uma piada em inglês…

    • Lelo Menezes
      16 de junho de 2015

      Boa Julinho! Concordo com tudo!

      abs

      • Jorge Fernandes
        16 de junho de 2015

        isso aí Julinho… bem falado…

  11. Ricardo Firpo
    16 de junho de 2015

    Como no PAN, eu gostaria de ver a final no 4×100 livre… mas nem tentei. Achei que não era sortudo o suficiente. Também achei os ingressos caros, considerando que seriam quatro lá em casa…. e quanto aos horários? se a reportagem da Veja que li estiver certa, ficaria muito ruim….
    Por outro lado, acho que cobertura da tv – de ’92 para cá – vem ficando pior a cada olimpíada. Muita gente dando pitaco sem entender, resumo do dia quase Às duas da manhã, falta de entradas ao vivo, vários canais passando o mesmo jogo e outras coisas mais. Em 2016, talvez com uma penca de canais a cabo, talvez melhore a cobertura……

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 15 de junho de 2015 por em Natação.
Follow Epichurus on WordPress.com
junho 2015
S T Q Q S S D
« maio   jul »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  
%d blogueiros gostam disto: