Epichurus

Natação e cia…

Sobre Perder (ou: você não nos deve nada, Cesar)

Cesar, você ainda é o maior nadador brasileiro de todos os tempos, o atual recordista mundial de 50 e 100 Livre, você já nos deu muitas alegrias, você não nos deve nada. A gente entende se você perder de vez em quando (mesmo considerando que a gente não acha que bronze olímpico seja derrota).

Ninguém gosta de perder. Um atleta de alto nível detesta perder. Um atleta olímpico detesta perder mais ainda. Um campeão olímpico e recordista mundial, primeiro do ranking mundial e favoritíssimo ao ouro olímpico então ABOMINA perder. É natural. Para o atleta multi-mega-campeão ser o que é, é simplesmente NECESSÁRIO detestar perder.

Mas mesmo com todas essas prerrogativas, esse atleta multi-mega-campeão tem que estar preparado para perder, e se sair bem na entrevista logo após a prova. Sim, poucos minutos após a dolorosa derrota.

Na minha humilde opinião, não foi o caso do Cesar Cielo hoje. Não que eu tenha propriamente achado que ele perdeu, no meu entender, conforme dito anteriormente,  SER um atleta olímpico já é uma vitória e tanto, e uma medalha de bronze então é espetacular.

Mas (em função de sua expectativa) inegavelmente Cielo acha que perdeu, e declarou:

“Acho que eu não nadaria os 100 livre, não seria necessário gastar energia. A gente arriscou, não dá para voltar atrás”.

“Não gostei da minha prova, estou me sentindo um pouco cansado hoje”. “Dei o que tinha que dar na piscina, fiz o meu melhor”.

“O francês fez a prova da vida dele. Nem ele esperava ter feito esse tempo aí. Pode-se dizer que foi uma grande surpresa. Acabou surpreendendo todo mundo”

Foi minha impressão pessoal ou Cesar foi infeliz nas respostas? Não seria mais fácil e correto se ele dissesse: “Fiz o meu melhor, hoje o Manadou foi melhor e mereceu ganhar, parabéns para ele”?

Como foi apenas a PRIMEIRA vez que o Cielo perdeu uma prova importante de 50 Livre desde Pequim (há quatro anos!), creio que ele estava um pouco destreinado para uma entrevista de derrota (lembrando que bronze é sensacional, como dissemos anteriormente). Mas eu gostaria de vê-lo no pódium como estava o Phelps após sua terrível derrota (na chegada) dos 200m borboleta: sorrindo e conduzindo o campeão, conforme as palavras do André Kfouri, cujo parágrafo pinço abaixo:

Oito em Pequim, seis em Atenas… e nenhuma em Londres, até aquele momento. A medalha que igualou o recorde de Larisa Latynina foi uma prata, algo que Phelps nos fez entender como um desempenho não suficiente. Algo que o próprio Phelps demorou alguns minutos para entender. Foi quando apareceu o imenso campeão que é. Após cumprimentar Le Clos (que decidiu ser nadador ao ver Phelps vencer em Atenas), ele caiu na piscina de aquecimento para digerir o fato de ter sido vencido. Durante e depois da cerimônia de premiação, deu uma exibição de classe que significa tanto quanto seus triunfos. Sorriu no pódio, mostrou a prata com orgulho contido, não fez nada que pudesse desviar a atenção do sulafricano que ali saboreava um momento sublime. E conduziu Le Clos no desfile dos vencedores, caminho que nenhum outro nadador percorreu tantas vezes.

Então, repetindo o parágrafo inicial: Cesar, você ainda é o maior nadador brasileiro de todos os tempos, o atual recordista mundial de 50 e 100 Livre, você já nos deu muitas alegrias, você não nos deve nada. A gente entende se você perder de vez em quando.

Sobre rcordani

Palmeirense, geofísico e nadador master peba.

14 comentários em “Sobre Perder (ou: você não nos deve nada, Cesar)

  1. mtfumis
    3 de agosto de 2012

    Concordo com vc Renato!
    Cielo saiu mal e IMHO perdeu a prova por este motivo. Deveria ter reconhecido, como profissional que sempre foi, ao invés de dar a desculpa de que estava cansado e não deveria ter nadado os 100 L. Não existe nada de errado assumir que erramos de vez em quando. Agora é virar a página, pegar boas lições do episódio e seguir em frente.

    • ale steinberg
      4 de agosto de 2012

      Tulio, concordo com vc. Ele saiu atrasado (fato raro) e recuperou ao longo da prova. Mas 50m não perdoa – é aquela história, saiu atrasado pode parar que dificilmente vc chegará junto.

      Renato, seu artigo traduziu muito bem meus pensamentos. Concordo plenamente com suas colocações. Completaria somente que quando o Cielo perdeu do Bruno Fratus, ele também minimizou o resultado do concorrente na entrevista, dizendo que não estava depilado e no auge da preparação. O mérito do Bruno ter sido mais rápido na ocasião não foi comentado. Parece que há uma linha de raciocínio comum – os resultados dependem somente do esforço dele e não de um conjunto de eventos relacionados.

      O dia que um campeão se contentar com o bronze, poderá parar de competir. Numa final de 50L tudo tem que sair perfeito. Infelizmente não foi o caso hoje.

      O público brasileiro em geral e, sobretudo, a imprensa têm que ajustar as expectativas principalmente para esportes individuais. Talvez esta exigência do ouro seja fruto de estarmos no país de um único esporte (futebol), em que só há um vencedor e o resto – meu time é campeão ou não interessa.

      Participar de uma Olimpíada é o sonho da maioria dos atletas competitivos, chegar numa final é extraordinário e um pódio é absolutamente sensacional. Recordes mundial (em duas provas) e olímpico, não há o que se comentar, somente os grandes conseguem!

  2. Polaco
    3 de agosto de 2012

    Renato,
    Concordo com seu texto, e realmente o mais difícil para qualquer atleta é lidar com a frustração da derrota. Como todo profissional de ponta, o preparo para falar ao público é mais do que necessário, e deve ser treinado também. Eu não gostei da declaração e me passa um pouco de tentar encontrar uma desculpa, uma “muleta”. Mais digno seria dizer que deu o melhor mas não foi suficiente para ganhar.

  3. rmmunhoz
    3 de agosto de 2012

    A derrota é brochante, mas Renato tem razão em dizer que saber perder é importante. Na verdade acredito que isso é uma das coisas que completa o grande campeão. Com tanta atenção em cima e muito decepcionado, Cielo talvez não tenha tido a atitude ideal nas entrevistas e espero que com a cabeça fria reacesse seus sentimentos e o que deu errado com mais calma. O vencedor merece crédito, assim como todos os concorrentes no campo. Se ele podia ter feito melhor,ótimo, mas a razão de ter perdido é principalmente que houve alguém mais rápido. Entendo a frustração e epero que passe. Cielo continua sendo grande, nosso maior nadador e espero que sempre aprenda com seus tropeços para continuar crescendo. Que ele continue sendo um exemplo para os pequenos… Parabéns ao Cielo por mais esta conquista, ainda que este bronze tenha tido para ele um gosto amargo.

  4. LAM
    3 de agosto de 2012

    Alguns desvalorizam a aplicação da experiência de nadador competitivo na vida profissional.
    Salsa me ensinou que esta é a experiência válida, você perde uma prova, assimila o golpe e parte de cabeça erguida para a próxima. Quem não precisa disso diariamente na vida profissional?
    O próprio Cielo já demonstrou profissionalismo, controle e perseverança no episódio antes do Mundial de Xangai. Espero que ele vire a página.

  5. Marcelo Menezes
    3 de agosto de 2012

    Concordo com o texto tambem. O bronze é sensacional pra 99,99% dos nadadores. Convenhamos que pro Cielo é uma decepção. Isso não lhe credencia a menosprezar o vencedor ou a dar desculpas difíceis de engolir. Do jeito que falou pareceu atribuir o ouro do francês a sorte. Na melhor das hipóteses chamou o cara de zebra. Meio deselegante! Quanto a desculpa de estar cansado por causa do 100m livre, eu particularmente acho um absurdo, sendo ou não verdade.

    O recordista e campeão mundial dos 100m livre não deveria abrir mão dessa prova. Ele tem que nadar os 50m, tem que nadar o 100m, tem que nadar as eliminatórias e final do 4x100m Livre e tem que nadar as eliminatórias e final do 4x100m Medley. Se a prova de 100m livre nadada dois dias antes da final do 50m esgotou o cara deve haver algo errado na preparação.

  6. Anônimo
    3 de agosto de 2012

    Concordo. Ele foi infeliz em procurar desculpas. Desculpa de que. De ganhar uma medalha olímpica. Parabéns a ele, ao americano e ao francês. Ele deveria estar muito feliz com mais uma medalha olímpica e subir ao pódio e mostra-la com grande orgulho. Eu estou aqui novamente.

  7. Marina Cordani
    3 de agosto de 2012

    Concordo com tudo. Mas entendo o Cielo. O cara deu a entrevista logo após a prova e devia estar puto ainda. Além disso, a pressão que ele sofre do país é muito maior que o Phelps, por exemplo. Esse só quer se superar, fazer cada vez mais história. Mas o Cielo sabe que o Brasil inteiro estava querendo essa medalha, só se fala disso na TV há dias. Como que para esconder que na verdade falta muuuuito para nós. Como não temos chance em vários outros esportes, pelo menos por agora, todo o foco está nele Então, apesar de nós ex-nadadores e outros esportistas darem o valor que esse bronze merece, o resto do país está decepcionado e ele sabe disso. Deve ser uma sensação ruim mesmo. Ele estava de mal humor…

  8. Fernando Magalhães
    3 de agosto de 2012

    Minha percepção sobre o bronze, os 99,99% e o fato dele não precisar dar desculpas é a mesma de vocês. Quanto a percepção sobre a entrevista e as declarações mencionadas, discordo.
    Acho que nosso campeão deu declarações normais dentro da situação e respondeu tudo que a repórter perguntou.
    Evidente que Manadou era zebra e dizer que ele nadou a prova da vida dele é a mais pura realidade. Certeza que o próprio campeão pode confirmar, afinal nadou em 22s09 na eliminatória e 21s80 nas semi. Medalha era improvável, fazer 21s34 e levar o ouro, quase impossível, mas aconteceu.
    Nenhum problema com a 2a afirmação: “me senti cansado e fiz o meu melhor”.
    E quanto a não nadar o 100 livre, uma hipótese de quem analisa que “talvez” isso pudesse fazer alguma diferença. Mas vejam bem, ele não disse que ganharia se não houvesse nadado os 100 livre.
    No pódium foi bem, aplaudiu, deu um abração no Manadou e em Jones, sorriu pra foto, mostrou a medalha. Foi muito bem diante da imensa frustração que estava vivendo.

    Sobre a prova:
    Cielo tem uma constância tão impressionante que tomei um susto quando entrou a tomada lateral após a saída e ele não estava uma cabeça na frente. Fiquei olhando só pra ele e Jones e foi dando uma angústia perceber que ele não ultrapassava. Veio a tomada lateral dos 10 metros finais e percebi o atleta de touca branca crescendo – vi Fratus levando o ouro, tive outra injeção de adrenalina e tomei um susto quando apareceu a bandeira da França e constatei o que realmente havia acontecido.

    Vi agora o replay no Terra e o locutor anuncia no fim da prova que o Fratus ia ganhar (não fui só eu) e após o final o Djan afirma, por essa ninguém esperava (não a derrota dos nossos, mas a vitória do francês).

    Enfim, se eu fiquei muito triste, chateado e não paro de pensar nisso, imaginem Fratus e o nosso Campeão, mas virou história e não tem mais como mudar.

    • rcordani
      4 de agosto de 2012

      Bom contraponto com respeito à entrevista do Cielo, Esmaga. Hoje na coletiva sua visão sobre o tema prevaleceu. Pinço um parágrafo:

      “Sinceramente, eu nadei para defender o título. Queria ganhar os 50m livre mais um ano. Não foi a noite que imaginei para mim, mas tenho a medalha no bolso. Agora, bola para frente, é mais uma medalha importante. Já são nove, contando os Mundiais. Não posso em momento algum reclamar da minha carreira, é mais um ano no pódio (…). Peço desculpas, não foi suficiente. Era o que eu tinha (…). Lógico que eu gostaria que fosse de outra cor, mas ficar chorando sobre isso seria perda de tempo e coisa de mau perdedor. É mais uma medalha olímpica que vou colocar na minha carreira e começar a pensar mais para frente. Agora, está muito recente. Quem sabe nos próximos anos vai ser uma medalha que vai fazer parte de muito orgulho da minha carreira.”

      Então a parte de dar uma boa entrevista após a derrota hoje já concordo com você. O que restou do meu texto então é o “peço desculpas”. De novo: você não nos deve nada, Cesar….

  9. rcordani
    5 de agosto de 2012

    Já disse que as respostas do Cielo foram aceitáveis, ao concordar com o contraponto do Esmaga.

    Mas na mesma linha de raciocínio, vejam o que disse o Federer ainda na quadra após perder um ouro para o qual era favoritíssimo:

    http://olimpiadas.uol.com.br/noticias/redacao/2012/08/05/federer-comemora-medalha-de-prata-e-reconhece-superioridade-de-murray-em-final-olimpica.htm

    “Não me sinto como um perdedor. Me sinto muito bem, muito orgulhoso de ter conquistado a medalha de prata. Isso é o melhor que pude fazer neste torneio. Estou muito feliz e contente”, falou Federer. Apesar do resultado expressivo, derrota por 6/2, 6/1 e 6/4 nas três parciais, o suíço avalia que não jogou mal. Em sua opinião, as coisas só não saíram como ele planejou por méritos de Murray.

    Espetacular.

  10. Dudu
    5 de agosto de 2012

    Não sabe perder. Pra mim isso ficou claro. Só consegui pensar em uma palavra…chabassssss

  11. Alvaro Pires
    7 de agosto de 2012

    Achei ruim a reacao do Cielo e dos pais dele pior ainda. Falta um pouco de humildade a eles c certeza. Engracado eh q eu postei no face um comentario apos a prova dizendo “soh nao pode o Cielo agora ficar ficar culpando os 100L” q gerou ateh uma boa discussao. Interessante q eu nao estava assistindo as entrevistas dele, soh vi a noite qdo cheguei em casa. Eu postei simplesmente pq ele teve exatamente a reacao q eu esperava pelo q jah vinha falando desde antes de chegar a Londres e tb durante a olimpiada. Ele, ajudado pela midia, se colocou um peso enorme, maior ainda do q ser o campeao olimpico da prova.
    Dizer q o frances eh zebra ateh pode soh nao dah p falar q nem ele esperava aquele tempo. Alguem conhecia o frances o suficiente p saber o tempo q ele gostaria de fazer ou se sentia preparado p fazer ? Tah errado dizer isso !!!
    Convenhamos o Cielo soh nao ficou em 4o por causa da menor envergadura do Bruno. Soh por ai o bronze jah fica de bom tamanho, ateh pq uma medalha olimpica, qq uma, vale muito !!!
    Nao esperemos mais o Cielo nadando os 100L. Afinal nas competicoes importantes ele teria q nadar no minimo 3X, fora as criticas por nao nadar os revezamentos. Podemos esperar dele muita luta nos 50B e 50L em q c certeza eh o mais veloz !
    E tb podemos esperar q ele tenha aprendido c esta dura derrota !

  12. Pingback: Retrospectiva de um ano de Epichurus | Epichurus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 3 de agosto de 2012 por em Natação, Olimpíadas e marcado , , .
Follow Epichurus on WordPress.com
agosto 2012
S T Q Q S S D
« jul   set »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
%d blogueiros gostam disto: