Epichurus

Natação e cia…

Realmente uma pena.

Almoço de domingo assistindo as finais de hoje em Barcelona. Ninguém muito interessado (fora eu, é claro), mas pelo menos para a final dos 4×100 livre eu chamei a moçada para assistir. Na apresentação, o pessoal já perguntou: “ué, mas cadê o Cielo?” Eu expliquei que ele não estava nadando essa prova, que depois das Olimpíadas tinha feito uma cirurgia no joelho e nesse mundial apenas nadaria os 50B e 50L. E o pessoal: 

Mas ele não é o RECORDISTA MUNDIAL nos 100 Livre? Tipo, mesmo sem treinar específico ele não é melhor do que o QUARTO MELHOR do Brasil?

Aí eu gaguejei um pouco, mas expliquei que essa prova de revezamento teve seletiva no Maria Lenk, que o Cielo não nadou essa prova na seletiva e que portanto ele não estava no time brasileiro.

Mas o técnico não poderia escalar o Cielo mesmo assim?

Eu disse que sim, em tese poderia, mas não o fez, e que eu mesmo se fosse o técnico não o escalaria assim à revelia da seletiva.

Aí a prova aconteceu, o Brasil fez um bom papel (ficou em sétimo), a França surpreendeu o mundo de novo, os americanos nadaram muito como sempre, a Russia decepcionou um pouco e a Austrália mais ainda. O pessoal correu para o binômio sorvete/café e eu comecei a fazer umas continhas por aqui.

O quarto melhor nadador brasileiro, Vinicius Waked (que conquistou sua vaga na piscina e com justiça) meteu 49:19.  O recorde mundial do Cielo é 46.90. Ok, eu sei, esse tempo foi com traje tecnológico, mas por outro lado não foi com saída lançada. Para ser bem justo, então vamos pegar o tempo de Cielo no reveza do Pan de Guadalajara, 47:07, saindo em terceiro e sem traje. Um tempo 2:12 melhor do que Waked hoje, uma eternidade!

Seguindo nas minhas continhas, hipoteticamente tirando 2:12 do tempo do Brasil, passaríamos Alemanha e Itália e ficaríamos a MENOS DE UM SEGUNDO do bronze russo, equipe essa que era cotada para o ouro. 

Aí o leitor atento do Epichurus vai perguntar: “Mas Renato, o que você está querendo dizer com tudo isso?

Você está querendo dizer que deviam ter escalado Cesar Cielo para a final?

Resposta: não.

Renato, você está querendo dizer que o Cielo devia ter pedido para nadar?

Resposta: não.

Renato, você está querendo dizer que o Waked deveria ter oferecido a vaga para o Cielo na final?

Resposta: isso aí talvez. 

Ahá, te peguei, você está querendo dizer que o Waked FEZ ERRADO em não oferecer a vaga para o Cielo?

Resposta: não sei se ele chegou a oferecer a vaga, mas se não o fez tem todo o respaldo da justiça. Nadar uma final de mundial não é uma coisa que se joga fora. Então é NÃO de novo.

Você acha que o técnico deveria ter escalado o Cielo à revelia?

Resposta: não, essa é uma decisão que embora pudesse ter dado duas posições e um sonho de bronze (afinal ninguém pode saber ANTES se dá para pegar o bronze ou não) pode chegar a desestabilizar a equipe.

A França, que não era favorita sequer para o pódium, nadou com sua melhor equipe possível e ganhou o ouro.

A França, que não era favorita sequer para o pódium, nadou com sua melhor equipe possível e ganhou o ouro.

E aí chegamos ao final desse raciocínio hipotético: seria muito bom que tivéssemos uma EQUIPE com letra maiúscula, um time no qual o revezamento disputaria a prova final do mundial com sua melhor equipe sem que uma continha besta como a acima pudesse contaminar essa tarde paulista com muito sol.

Realmente uma pena.

Sobre rcordani

Palmeirense, geofísico e nadador master peba.

60 comentários em “Realmente uma pena.

  1. Patricia Angelica
    28 de julho de 2013

    Renato! Eu só conseguia pensar em você vendo essa prova… tanto nas eliminatórias como nas finais! HAHAHA!

    Lembrei da gravação do nosso podcast… e posso dizer uma coisa que conclui: foi bom o Cielo não nadar a final. Sempre achei muito mimimi esse negócio de poupá-lo pra uma possível final, que para nossa surpresa (ou não) nunca chegou a acontecer…

    Infelizmente, ainda não temos nadadores suficientes para usar reservas nas eliminatórias. E, por isso mesmo, eu acredito que, dessa vez conseguimos nadar a final…

    • rcordani
      28 de julho de 2013

      Acho que poupar para a final seria totalmente legítimo nesse caso. Mas nadar a final sem o super trunfo é um pouco estranho mesmo…

      • Patricia Angelica
        28 de julho de 2013

        Seria legítimo, SE nós tivéssemos uma equipe à altura de garantir vaga na final com reservas… infelizmente não temos e ainda estamos meio longe de ter… nossas parciais comprovam isso… =/

  2. Julian Romero
    28 de julho de 2013

    Se Cielo ganhar um ouro, qualquer que seja, todo mundo irá esquecer essa história de “fazer parte de uma equipe”, pois o que importa para o brasileiro é o ouro, não a equipe. Relembrando: Gustavo Borges pelo que me recorde nunca rejeitou um revezamento, afinal, era o “Mr. Relay”. Mas ele considerava – acredito piamente nisso – que o revezamento é mais uma grande chance de medalha, coisa que Cielo não vê, não quer e não apóia desde que foi campeão olímpico.

    • Patricia Angelica
      28 de julho de 2013

      Disso TUDO, Julian! O Gustavo tinha a vibe, pra usar uma expressão bem atual, de nadar revezamento… já o Cesar… =/

    • rcordani
      28 de julho de 2013

      Julian, o Gustavo nunca deixou de nadar o 4x100L, mas já deixou de participar de alguns 4×200 e 4×100 4 estilos, por causa da programação extensa.

      • Julian Romero
        28 de julho de 2013

        Tenho minhas dúvidas. Programação extensa é algo abstrato: todos conhecem o programa de provas com pelo menos 1 ano de antecedência. Então já sabem que tal prova vai bater com tal prova. A minha tese é de que existe um pensamento na cabeça do atleta do nível do Gustavo que é simplesmente essa: isso vai compensar? Desde 2008, a resposta pra Cielo foi “não”. Na do Gustavo, dependia da competição, às vezes dos outros companheiros da equipe. Mas é a lei do “compensa tal esforço?”.

    • rodrigo
      28 de julho de 2013

      Assino embaixo Julian.

  3. ANTONIO CARLOS ORSELLI
    28 de julho de 2013

    Não devemos nos esquecer que momentos antes da final do revezamento o Cielo fez a semi dos 50 borboleta, na qual marcou o segundo tempo, atrás do Nicão. Isto é, teve que fazer muita força para isso. E se ele nada a final do reve e faz uma cagada, como ficaria? E como ele iria para a final amanhã? De minha parte não o escalaria para o revezamento pois medalha não viria, mesmo na hipótese aventada pelo Cordani. Agora a responsabilidade é só dele. E acho que ele vai levar a prova, nadando perto do recorde.

    • rcordani
      28 de julho de 2013

      Como eu disse eu também não o escalaria, decisão muito difícil, mas pensa em uma equipe americana não escalando o recordista mundial de alguma prova no reveza…

      • Patricia Angelica
        28 de julho de 2013

        A questão é exatamente essa: pensar MUITO apenas em si mesmo… como disse o Renato… JAMAIS que os EUA, por exemplo, deixariam de escalar um recordista… e se for por programação extensa, hoje mesmo tivemos um exemplo disso: a Alicia Coutts nadou TRÊS provas à noite, se não me engano: semis dos 100 borbo e dos 200 medley e fechou o revezamento 4×100 livre da Austrália… 😉

      • charlaodudo
        28 de julho de 2013

        Patricia, isso mesmo, Alicia Coutts nadou os 100 borboleta e os 200 medley, classificando-se com o terceiro tempo para essas duas finais. Ela chourou muito após fechar o revezamento da Australia, pois perdeu o ouro para os Estados Unidos, após um tempo sensacional da americana Megan Romana (52.60).

    • rcordani
      30 de julho de 2013

      Ou então (me ocorreu agora) pensa na Jamaica correndo o 4×100 rasos sem Usain Bolt!

      • Patricia Angelica
        30 de julho de 2013

        HAHAHAHA! Impossível!

  4. Tite Clausi
    28 de julho de 2013

    Tempos modernos. Cada um por si. No meu tempo pelo menos, o sonho de qqer nadador era poder nadar um campeonato deste nivel, e mais ainda, nadar e dar o sangue em busca de um resultado comum para o revezamento nacional….. Sei la, cada cabeça uma sentença….. mas que o Cielo deveria ter nadado, ahhhh isso tinha….

    • rcordani
      28 de julho de 2013

      Valeu Tite. A gente realmente não considerava se poupar nos revezas, isso nem passava pela nossa cabeça! Mas sei lá, vai ver que é por isso que a gente era PEBA, né? hahaha

    • LAM
      29 de julho de 2013

      boa Tite

  5. Patricia Angelica
    28 de julho de 2013

    Pois então, Charlão… ela só lamentou o seu fim de prova porque estava lá e tentou fazer algo pela sua equipe… será que ela teria ficado de fora da prova “só” porque nadou outras duas antes? Será que isso passa pela cabeça da comissão técnica, será que ela, como atleta, aceitaria? Não sei… já o nosso Super Cielo prefere ficar pensando no próprio umbiguinho… =/

    P.S.: Fui muito próxima dele por MUITO tempo, mas depois de algumas coisas que não convém ficar falando aqui, acabei me afastando exatamente por ter percebido nele essa mudança de postura com relação aos companheiros de equipe e a outras coisas relacionadas ao esporte…

    • charlaodudo
      28 de julho de 2013

      Com certeza ela nadou com muita vontade e queria vencer.
      Agora, ter alguém sem vontade de nadar do seu lado também não deve ser legal. Prefiro que o pessoal que nada o revezamento nade com vontade do que ter alguém nadando forçado. Porém acho estranho alguém não ter vontade de nadar.

      • Patricia Angelica
        29 de julho de 2013

        Mas tem sim nego que num quer nadar,,, tb acho estranhíssimo… mas é que o revezamento sai do umbigo dele, daí é foda dividir atenção/prestígio, sacoé, né?

  6. Marcelo Menezes
    28 de julho de 2013

    Eu penso assim: Eu acho o fim da picada um atleta abrir mão de um revezamento em prol do descanso para uma prova individual. Seja ele o 1º ou o 4º. Tenha o revezamento chance ou não de medalhas. Acho um tapa na cara dos colegas. (Alias, a entrevista do Nicolas depois da prova mostra um pouco isso).
    Convenhamos que nadar um revezamento (que é sempre a ultima prova do programa) não vai cansar nenhum nadador profissional pra semi/final que vai acontecer muitas horas depois.

    Dito tudo isso, acho um crime maior ainda escalar um nadador que não quis participar da seletiva no lugar de um que ganhou a vaga na raça, mesmo que esse cara seja dois segundos mais lento.

    • Patricia Angelica
      28 de julho de 2013

      Onde eu assino, Lelo? 🙂

    • rcordani
      29 de julho de 2013

      Verdade Lelo, mas que dá uma pena de ver, dá!

      • Lelo Menezes
        29 de julho de 2013

        sim, dá uma baita pena e dá uma baita brochada, mas como você bem disse, isso não acontece de hoje…na nossa época já acontecia…

  7. Mauricio Niwa
    28 de julho de 2013

    Nas Olimpíadas, insinuou-se que o Cielo perdeu os 50 porque os outros não tinham participado dos 100. Hoje, vimos o Manadou no revezamento vencendo junto com a equipe francesa. Seguindo o raciocínio das Olimpíadas, Cielo teria obrigação de vencer o francês.
    O que eu penso é que o Cielo é profissional e faz o que é melhor para ele. Tudo certo. Daí a torcer por ele é outra história.

    • Patricia Angelica
      28 de julho de 2013

      Maurício, insinuou-se não… o próprio Cesar disse isso claramente ainda na zona mista da piscina de Londres: quando ficou só com o bronze nos 50tinha, disse que tinha cansado do 100 livre e que ia pensar em abrir mão dessa prova a partir de então.

      Ele é profissional e faz o que é melhor pra ele, ok. Mas daí a me dizer que ele ficou cansado porque nadou TREZENTOS METROS (contando eliminatórias, semi e final) a mais que os outros (sendo que ele não nadou revezamentos e alguns dos outros haviam nadado)??? Pra mim uma palavra resume: MIMIMI!

      • Mauricio NIwa
        29 de julho de 2013

        MIMIMI é ótima…
        Seria legal ver o cara, que é fantástico, tentar elevar o nível de toda a equipe participando dos revezamentos.
        Mas prefere contribuir apenas com seus resultados individuais.

    • rcordani
      29 de julho de 2013

      “Faz o que é melhor para ele” – nem sei se concordo com isso, Niwa. Talvez sim do ponto de vista da performance na próxima prova, mas talvez nem isso.

      • Patricia Angelica
        29 de julho de 2013

        Num consigo concordar com isso de fazer o melhor pra ele…

      • Mauricio NIwa
        29 de julho de 2013

        Pois então, Cordani. Talvez a melhor expressão seja “faz o que ele pensa que é melhor para ele”. O fato é que é difícil saber se a decisão tomada é a melhor. Por exemplo, no caso do Thiago Pereira. Ganhou a prata nos 400, mas imagino que ele deve ter pensado em não nadar a prova. Sorte que nadou. Mas, se não tivesse ganho a medalha, poderia culpar os 400 por mais uma vez não ter conseguido subir ao pódio nos 200.
        Hoje o Cielo venceu os 50 borboleta. Imagino que ele esteja pensando que tomou a melhor decisão.
        Complicado…

  8. Rodrigo M. Munhoz
    28 de julho de 2013

    São épocas estranhas estas que vivemos. Ter um reveza forte, atrás de recorde, superação, de uma surpresa, etc é sensacional e acho que tem o potencial de contaminar positivamente toda uma equipe. Tipo a França… Acho que hoje perdeu-se esta oportunidade em nome de grandes oportunidades metálicas individuais. Não deve ter sido uma decisão no vácuo, mas espero que a aposta dê certo. Deixo aqui meus parabéns para a equipe finalista, pois 7o lugar num Mundial é algo digno de orgulho. Parabéns também para os 2 finalistas dos 50 Borbo. Estou torcendo muito por uma dobradinha, apesar de não ter inicialmente apostado nisso. Que o investimento dê frutos!

    • rcordani
      29 de julho de 2013

      Verdade, sétimo no mundial é sensacional. Parabéns ao time.

      • Lelo Menezes
        29 de julho de 2013

        Sim, é espetacular, o que é uma pena é saber que o revezamento podia ter nadado pra 3`12

  9. rtocalino
    28 de julho de 2013

    É muito dificil comentar esse tipo de decisao pois não estamos lá. Pelos resultados que já alcançou em sua carreira, o Cielo é o maior nadador brasileiro de todos os tempos. Mas tenho minhas duvidas se ele é um idolo do esporte para a molecada que está começando. Eu tambem nao o teria escalado. Mas nao dá para entender essa falta de vontade em participar de uma final de revezamento em um mundial. Afinal de contas, os melhores nadadores do mundo nos 100 livre estavam la.

    • Patricia Angelica
      29 de julho de 2013

      Não é falta de vontade de participar da final… é falta de vontade de participar do revezamento em si, pelo menos eu vejo assim… porque, podem ver… todas as vezes que ele estava escalado, mas nadaria apenas a final, o revezamento acabava não passando… e, pra mim, isso não é mera coincidência…

      • Lelo Menezes
        29 de julho de 2013

        sim, com certeza quase absoluta é falta de vontade de nadar o revezamento em si

    • rcordani
      29 de julho de 2013

      Tocalino, não só os de 100 livre, mas os de 50 L (Manadou), os de 200L (Agnel), os de 200 medley (Lochte) e por aí vai…

  10. alvaro pires
    29 de julho de 2013

    O Cielo eh individualista ao extremo. Todas as atitudes dele denotam isso. Da equipe q ele montou p ele mesmo ao problema das entrevistas em Londres, tudo, absolutamente tudo. Hj teve aquela comemoracao ridicula. E ainda achei q ele ficou c sorriso amarelo qdo viu o tempo do Nicholas. Eh o nosso maior nadador mas p ser admirado precisava ter outras atitudes. A reacao do pai dele apos a derrota em Londres me pareceu bastante elucidativa em relacao as atitudes dele. Engracado q o pai e a mae dele no Pan de 2007 estavam sentados no meu lugar e no da minha mae. Tivemos q pedir p eles sairem e foi meio constrangedor pois eles n queriam sair …
    Bom o Julian disse q brasileiro soh pensa em medalha e eh totalmente correto. O Cielo eh exatamente assim. Tivemos uma colocacao legal em revez n faz tanto tempo assim. No mundial de 2009, c participacao do Cielo, ficamos (se n me engano) em 4o. Isso apos ele ser campeao olimpico. Ele n nada pq n temos chance de medalha. Se tivessemos chance ele nadava sim podem acreditar. Se ele tivesse ficado em 3o nos 100 em Londres n ia ficar dando desculpa esfarrapada nos 50. Ele deu tudo nos 100 e ficou fora do podio.
    Os revezamentos p quem tem senso de equipe sempre foram a cereja do bolo. Eu sempre guardei c mais carinho na memoria os revezamentos.
    Do jeito q o Cielo faz as coisas n vou me surpreender se tiver muita gente torcendo contra ele. Abs

    • Patricia Angelica
      29 de julho de 2013

      É mais ou menos por aí, amigo…

    • rcordani
      29 de julho de 2013

      Alvaro, mas o ponto é que ninguém é obrigado a ter todas as qualidades juntas. O Cielo nasceu com uma velocidade totalmente fora-de-série, mas com espírito de equipe totalmente dentro da média. As atitudes dele perante o 4×100 livre não são as que gostaríamos de ver, em compensação nos 50 ele voa.

  11. Sidney N
    29 de julho de 2013

    A operação nos joelhos talvez justifique a decisão de não colocá-lo no revezamento no momento. Por outro lado, sem entrar na discussão individualismo versus coletivismo, imagino que numa final de pan-americano ou em 2016 os incentivos para que a comissão técnica e o atleta tomassem risco seriam maiores.

    • rcordani
      29 de julho de 2013

      Haha, podicrê, Sidney. Em 2016 isso dificilmente acontecerá.

      E é claro que ninguém pode obrigar um nadador a nadar uma prova que não quer, só fica esquisito nesse caso por que o Brasil tem um recordista mundial que nem entra no reveza. É difícil explicar!

  12. Miyahara
    29 de julho de 2013

    De todas minhas medalhas de brasileiro, apenas 1 é individual. todas são de reveza. como PEBA, eu não tinha a menor chance de falar, olha, tenho chance de pegar final nos 100L, ou nos 50L, então não vou nadar esse reveza, blz? a chance de paschu era imensa se uma frase dessa escapa sem querer…

    mesmo cansado, não sei pq, mas no reveza a gente se superava, sempre. era clube contra clube, era campeonato, era tudo muito maior que o “individual”, ali tudo fazia sentido… era muito bom! “cansadinho” tomava um pescotapa da galera e se superava! a torcida na arquibancada tb era diferente!

    minha conclusão: acho que Cielo ta merecendo um belo paschu!

    ps 1. deveríamos ter um botão de paschu aqui no Epichurus, um de “curtir! e outro de paschu!

    ps 2. Se vc não sabe o que é paschu, pergunte pro Lelo… o “carrasco”.

    • LAM
      29 de julho de 2013

      Boa Miyha…
      Lord, bota logo aí um botão de paschú

    • rcordani
      29 de julho de 2013

      Hehe, muito boa essa dos botões.

  13. Luiz Renato (Rena)
    29 de julho de 2013

    Sinceramente não posso julgar as atitudes do Cielo, ainda mais sendo o melhor nadador que o Brasil ja teve e com grande sucesso em sua carreira. Mas a desculpa de não nadar o rev porque não tem chance , não é razoável:
    -Ninguem sabe o que vai acontecer antes da prova só nadando; – com o Cielo em tese o astral do time fica outro (dois caras para 47, ele e o marcelo) e com probabilidade de melhora dos demais, – o revezamento tem que nadar competições importantes e fortes para amdurecer , ainda mais iniciando o novo ciclo olímpico para RIO 2016, não é, e nunca foi somente um amontoado de tempos bons, vide australia e russia que possuem os melhores revs do mundo no papel e não conseguem concretizar na hora h, a frança por outro lado parece que aprendeu a lição de shangai ; – O revezamento é o momento mais nobre e importante de toda competição, sobretudo para o torcedor que entende de natação, particularmente prefiro um bronze do 4×100 do Brasil do que um ouro de 50 borboleta, prova que não é nem olímpica.
    Amplexos aos colegas ephicuristas.

    • Patricia Angelica
      29 de julho de 2013

      “[…] prefiro um bronze do 4×100 do Brasil do que um ouro de 50 borboleta, prova que não é nem olímpica”. Disso TUDO, caro amigo!

    • rcordani
      29 de julho de 2013

      Rena, também prefiro!

  14. Julian Romero
    29 de julho de 2013

    Gostaria de complementar que Cielo, depois de 2009, só buscou treinar isolado, nunca mais em uma piscina cheia (cheia = mais de 12 atletas). Participou do projeto do Flamengo, mas tenho certeza que nadar os revezas lá não eram primordiais pra ele. Hoje, quem ele defende? O Clube de Campo de Piracicaba…

    • Patricia Angelica
      29 de julho de 2013

      Falou tudo o que tenho pensado desde 2010, com a cabeça de alguém que viu de perto a ascensão do Cesar: ficou MUITO egoísta desde que assinou com o Flamengo e voltou a nadar no Brasil… e isso é uma pena…

    • Miyahara
      29 de julho de 2013

      ta rolando uma plaquinha de “venha nadar com o Cielo” no Paineiras.

      engraçado que não tem nenhuma de “venha nadar com os Pebas na hora do almoço.é mais divertido que nadar com o Cielo”

      • Patricia Angelica
        29 de julho de 2013

        Posso “fazer o Adrian” e sair pela direita pra dar uma gorfadinha, Miyha???

      • Miyahara
        29 de julho de 2013

        hahahahaha… co certeza!

    • rcordani
      29 de julho de 2013

      Julian, tentando tirar um pouco o foco do Cielo, que é apenas uma parte da questão, se uma equipe estivesse super-unida esse tipo de substituição seria até normal.

      Lembro o caso do Panamericano de 1999 quando o nosso melhor borboletista era o Mangabeira, mas o Xuxa estava voando e mesmo sem nunca ter feito um tiro de 100 borbola na vida acharam que ele provavelmente nadaria melhor do que o Mangabeira. De fato isso ocorreu, Xuxa nadou para 53:80 (excelente para a época!), e essa melhora nos deu o ouro contra os EUA. Tudo aconteceu de forma natural, sem traumas, e foi a melhor decisão para termos o melhor revezamento possível, mesmo sem ter certeza que ganharíamos dos americanos. Rogério foi de costas, Tomazini de peito e Gustavo de crawl. Lembra dessa?

      • Fernando Cunha Magalhães
        31 de julho de 2013

        Eu lembro bem dessa do PAN.
        A decisão não foi tão rápida, o Gustavo que via claramente que essa era a melhor opção já havia sido dispensado e saído pra passear quando a comissão técnica decidiu peitar a “não eliminatória” do Xuxa.
        Eu escalaria o Cielo sem titubear e sem eliminatória mesmo.
        Acredito, entretanto, que ele não quisesse nadar.
        Interessante que em Roma 2009, lembro muito bem dele, depois que o Brasil ficou em 4o com 3’10” e abrir com 47″1 a poucos centésimos do recorde que até esse momento era do Sulivan e o reporter perguntar sobre isso, ele dizer algo como “eu já sabia que eu iria nadar bem mas o importante foi a equipe alcançar um resultado excelente e o Brasil estar próximo das melhores equipes do mundo” – tá no arquivo do Sportv.

        Agora, como assim a França campeã olímpica não era nem cotada para o pódio?

      • rcordani
        31 de julho de 2013

        Esmaga, eu me referi à previsão pré-mundial do Takata, veja aqui:

        http://swimchannel.blogosfera.uol.com.br/2013/07/27/dossie-barcelona-2013-4x100m-livre/

  15. Marina Cordani
    29 de julho de 2013

    Fico pensando em como fica a imagem do Cielo. Entre os nadadores nós já percebemos. Mas será que a população o tem em alta estima? Hoje meu médico estava me perguntando sobre ele, porque tinha ouvido péssimos comentários. Por que ele vai precisar dessa imagem quando parar de nadar. Ou não?

    • rcordani
      29 de julho de 2013

      Sim Marina, se ele for viver da imagem (provável) sim. Mas (na hipótese de ele estar perdendo alguns pontos por conta de não participar dos revezas) ele tem muita imagem para desperdiçar ainda, campeão olímpico, penta mundial e recordista mundial de 50 e 100L, dois recordes que eu acredito devem ficar vigentes por um bom tempo ainda.

      Sinceramente, do ponto de vista de viver da imagem acho que ele ainda está com a vida pra lá de ganha… (no bom sentido e merecidamente).

      • Patricia Angelica
        29 de julho de 2013

        Negócio é que, como o Julian falou, quando se tem medalha de ouro, no Brasil, o resto é pinto… ou seja… ele pode deixar de nadar todos os revezamentos e td mais, mas com a imprensa e o povão, ele sempre vai estar na mais alta conta…

        O que eu fico pensando é: vale à pena ele jogar fora o prestígio “no meio”? Vejo um Cesar (de uns tempos pra cá não consigo mais chamá-lo de Cesão…) totalmente isolado nas competições nacionais e deve estar sendo assim na Seleção também… não sei se vale à pena perder os amigos de tantos anos por conta desse egoísmo… enfim…

        Só um último parêntese: não sei vocês assistiram ou mesmo se tem o costume de assistir à Best Cam… hoje o Coach e o Takata estavam falando que os tempos do 50 borbo ficaram abaixo das expectativas e que o Nicolau pareceu ter “perdido a prova ao ver o Cielo crescendo ao lado, desconcentrando-se” e dizem que não sabem o que ocorreu antes da prova pr’os nadadores entraram tão desestabilizados na prova…

        Alguém tem uma teoria? A minha é que saiu faísca no Call Room… não duvido nem de algum bate-boca… o que vocês acham?

  16. Pingback: E que tal colocar o Cielo no 4×100 medley de manhã? « Epichurus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 28 de julho de 2013 por em Mundial Barcelona 2013, Natação e marcado , , .
Follow Epichurus on WordPress.com
julho 2013
S T Q Q S S D
« jun   ago »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
%d blogueiros gostam disto: