Epichurus

Natação e cia…

Cielo vem pro Rio?

É indiscutível que Cielo é o maior nadador da história do Brasil. Nosso único campeão olímpico. Atual recordista mundial de 50m e 100m Livre. Aliás, recordes que duram desde 2009. Na história dos 50m Livre somente Tom Jagger e Popov tem recordes que duraram mais tempo. No 100m Livre, que tem história muito mais longa, somente Johnny Weissmuller em 1924, Peter Fick em 1936 e Pieter Van Den Hoogenband em 2000 superam a longevidade dos recordes do Cielo. Manter recordes mundiais por tanto tempo, em pleno século XXI, é realmente extraordinário.

Confesso no entanto que não engoli o episódio do doping e a desculpa da contaminação cruzada em 2011. Desde então não torço pelo Cielo com o mesmo afinco de outrora. Tenho total desprezo pelo doping.  Acho uma covardia sem limites.  Sou tão radical que gostaria de vê-lo criminalizado.

Coincidência ou não, a carreira de Cielo não tem o mesmo brilho desde o triste episódio.  O fato é que tirando o Mundial de Barcelona em 2013 onde Cielo se sagrou tri-campeão mundial do 50m Livre, ele perdeu o domínio dessa prova pro francês e basicamente abandonou o 100m e os revezamentos, atitude que gerou duras críticas da imprensa especializada. Suas constantes mudanças de técnico não ajudam. A impressão que fica é que Cielo passou a ser “patrão” dos seus treinadores e qualquer desavença ou resultado adverso fica mais fácil trocar o profissional do que dar continuidade ao programa. O último escolhido é um amigo de 29 anos, que pode até vir a ser um excepcional treinador, mas está longe de ter a tarimba de técnico de campeão olímpico.

O último ano foi ainda mais melancólico. Cielo optou por não nadar o Panamericano para focar no Mundial de Kazan. Lá nadou mal os 50m Borboleta e abandonou a competição alegando dores no ombro. Na primeira seletiva para as Olímpiadas do Rio, episódio parecido. Depois de nadar muito mal os 100m Livre, Cielo novamente abandonou a competição.

Cielo ainda não tem o índice Olímpico, mas é quase certo, devido a seu talento, que consiga com pé nas costas na última seletiva no mês que vem. A pergunta que fica é: Caso Cielo não nade para um tempo que lhe credencie a brigar por medalha olímpica, ele se prestará ao papel de coadjuvante nas Olimpíadas do Rio de Janeiro?  Eu acho que se Cielo não estiver convicto que nadará pra baixo de 21’5 em Agosto, infelizmente não o veremos no Rio de Janeiro…

Nossa campeão nada se não for no mínimo pra repetir essa cena?

Nossa campeão nadará se não for no mínimo pra repetir essa cena?

27 comentários em “Cielo vem pro Rio?

  1. Rodrigo M. Munhoz
    14 de março de 2016

    Dureza, Lelo.
    Eu acho que ele vai pro Rio sim. Como você disse, seria fácil considerando o talento do cara e além do mais, a provável “motivação” dos patrocinadore deve ajudar.
    Mas o legal mesmo seria tê-lo não apenas motivado e voando, mas também nadando o reveza com a galera. Não precisaria levar ouro nem prata nem nada, mas seria bacana ver a equipe toda fazendo um bonito papel em casa. Liderados pelo maior nadador da nossa história. Torce por ele aí, Lelo! 🙂
    Abraços!

    • Lelo Menezes
      14 de março de 2016

      Torcer eu torço, só não com o mesmo afinco. Digamos que numa final com ele e Fratus, vou de Fratus pra ouro e ele pra prata. Sim, seria legal ele nadar os revezamentos. Só acho que não vai rolar…

  2. pedrovaladares
    14 de março de 2016

    Posso parecer louco, mas não estou tão certo de que ele oegará a vaga para o Rio. Nos últimos meses, ele vem sofrendo pra fazer um 22 alto. Afinal de contas, há outros nadadores com potencial e que estão mais focados e com um programa de treinamento mais maduro. Veremos.

    • Lelo Menezes
      14 de março de 2016

      Já temos 5 nadadores com índice: Bruno Fratus (21s50), Ítalo Duarte (22s08), Marcelo Chierighini (22s17), Matheus Santana (22s17) e Henrique Martins (22s25). Cielo nadou esse ano no revezamento (saída livre) pra 21’44. Tenho convicção que ele nada pra 21’7 – 21’8. Duvido que outro nadador brasileiro nade nesse patamar. Só que 21’7 não leva medalha… longe disso! Basta saber se ele estará disposto a brigar por final apenas….

  3. Aécio Amaral
    14 de março de 2016

    Torço por ele desde antes de ser campeão olímpico. Torço por ele desde antes do Pan de 2007… Mas acho que ele não vai estar na piscina do Rio para nadar só revezamento.
    Da forma como ele é e encara a natação, ou faz índice para nadar prova individual ou encerra a carreira no Troféu Maria Lenk.
    Infelizmente…….

    • Lelo Menezes
      14 de março de 2016

      Pois é Aécio… A personalidade dele não é compatível com papel coadjuvante ajudando os revezamentos… infelizmente

  4. Luiz Carvalho
    14 de março de 2016

    Não está nada fácil para o Cielo. Acho que ele cometeu pelo menos dois erros sérios nos últimos anos: 1) abandonar a prova de 100m; 2) priorizar o lado profissional da natação (leia-se: ganhar o máximo possível de dinheiro) e deixar o lado atleta de lado (leia-se: mudar constantemente de técnico, cidade, país).
    Se tem uma coisa que eu aprendi na natação é que não dá para viver só de talento. Gostaria muito de vê-lo nadando bem os 4x100m livre onde Brasil tem um time competitivo, apesar de achar que a medalha vai ficar difícil (França, EUA e Australia estão muito fortes). Torço pela recuperação de Cielo, mas está dificil…

    • Lelo Menezes
      14 de março de 2016

      Pois é! São vários erros, principalmente o da troca de técnicos o tempo todo! Agora acho tarde pra corrigir os erros, embora o cara nade 50m Livre onde tudo pode acontecer. Se a especialidade fosse qualquer outra prova eu apostaria muito facilmente que tinha acabado pra ele. No 50m Livre não dá pra ter essa convicção…

  5. rcordani
    14 de março de 2016

    Concordo Lelo. Ele nada para ser protagonista, se for para pegar “uma finalzinha”, um sétimo, ele não vai.

    • Lelo Menezes
      14 de março de 2016

      A “esperança” está ligada a percepção dele. Ele pode até nadar se sua cabeça estiver convicta que pode rolar o título. Não tenho nem certeza que a medalha lhe interessa. Lembra em Londres como foi? O bronze parecia velório…

      Em outras palavras, podemos até vê-lo nadar e se dar mal, mas no mínimo ele tem que ter essa convicção que vai detonar. Se não tiver, não vai nadar…

  6. jromero327
    14 de março de 2016

    Sou mais cético ainda e apesar do potencial de Cielo, acho que ele não conseguirá a vaga para a Olimpíada. Fará o índice, obviamente, mas a gana dos adversários que veem a fragilidade exposta do Cielo, se fosse nadador ou o técnico adversário já trabalharia nisso: “você pode ganhar dele”. Tudo que li é um lado da história: o Cielo só depende do Cielo pra vencer. Há 4 anos atrás era inimaginável pensar o contrário, mas hoje o Cielo depende do técnico, do treino, de sua condição física, da condição da piscina (ah se escorregar do bloco… ou pior, se for no Maria Lenk tem o vento…), dos adversários, da pressão da mídia – e quem sabe dos patrocinadores, além da novidade: a pressão de ter que fazer parte de uma seleção olímpica brasileira, coisa que ele nunca experimentou antes.

    • Lelo Menezes
      14 de março de 2016

      Então Julian, eu concordo que existem pressões de todos os lados, mas em defesa do Cielo, ele me parece ser um cara que lida bem com a pressão. O cara foi pego no Doping, nego no mundo inteiro criticando duramente o cara, Popov o xingando de todos os palavrões do planeta e ele foi lá e foi bicampeão mundial no mesmo ano do doping. Dois anos depois foi tri.

      Eu acho que o problema do Cielo não é a pressão, mas sim a falta de um bom programa de treinamento. Em outras palavras, o cara foi levando com a barriga, trocando de técnico a cada adversidade e agora talvez seja tarde para um programa sério até os jogos… Time will tell!

  7. Cristiano Michelena
    14 de março de 2016

    Sei lá.
    A única coisa que me vêm na cabeça é o abismo da diferença entra a minha geração e a do Cielo.
    No meu tempo revezamento era sagrado. Prioridade total. Esse povo vive a vaidade da individualidade a um ponto que A defesa da própria nação fica secundária.
    Não estou questionando. Só não entendo.
    Torço por todos e fico feliz no sucesso da natação, mas não quero mudar minha paixão pelo coletivo, por mais ingênuo que possa parecer.
    Grande abraço

    • Lelo Menezes
      14 de março de 2016

      Castor, concordo 100%. Revezamento pra gente era sagrado. Nadar várias provas pra ajudar a equipe era sagrado. Nós que nadamos NCAA sabemos que esse conceito é muito enraizado nos americanos. Aqui no Brasil não era diferente na década de 90, embora na nossa época, na seleção brasileira, vi gente saindo do revezamento “sem chance” para focar na prova individual. Mesmo assim, era raro…raríssimo!

      Hoje a natação virou business.. tudo em prol do resultado financeiro…

  8. anonimo
    14 de março de 2016

    Foi pego no doping, pra mim não vale mais nada. vergonha nacional. sai fora e deixa quem merece nadar.

  9. antonio carlos orselli
    14 de março de 2016

    Tenho achado o Cielo muito abatido psicologicamente nas últimas participações. Além de muito mais fraco fisicamente que a concorrência. Talento, é evidente, não lhe falta. Mas se faltarem força física e mental, babau!

    • anonimo
      15 de março de 2016

      evidencia clara por ele estar “cold turkey”

    • Lelo Menezes
      17 de março de 2016

      É um bom ponto Orselli. Sem força e sem cabeça ninguém chega a lugar algum..

      abs

  10. Rafael Oliveira
    15 de março de 2016

    Acredito na classificação do Cielo para as Olimpíadas, mas a carreira dele está no meio de um furacão de mudanças: lesões, troca de técnicos, poucas competições disputadas, desempenhos fracos – que outrora seriam imagináveis – e casamento/filho. Na época que ele treinava em Auburn, o técnico Brett Hawke fazia questão de colocá-lo a prova em muitas competições e o foco era só na natação, ou seja, o business ficava em segundo plano. Hoje tudo mudou, temos um Manaudou praticamente imbatível, um Adrian em grande fase, e um mix de jovens e veteranos talentosos nadadores brigando pelo pódio (Fratus, Dressel, Proud, McKevoy, Orsi e Bovell). O Cielo vai ter um grande desafio, diferente de Londres 2012 que ele chegou como favorito ao ouro, mas Cielo é Cielo e como aconteceu em Barcelona 2013 – chegou como azarão e saiu com o ouro – podemos esperar um capítulo final de superação.

    • Lelo Menezes
      17 de março de 2016

      Vamos torcer por esse capítulo final Rafael, mas cá entre nós ele não tá com cara de que vai acontecer…

      abs

  11. Patricia Angelica
    15 de março de 2016

    Difícil opinar nisso, difícil não torcer pelo Cesão… acompanho-o desde antes do Pan, mas (não sei se já contei aqui) pouco antes do lance do doping ser descoberto, senti as coisas MUITO estranhas no meio do staff dele… MUITO ESTRANHAS.
    Do doping em diante, sempre tenho minhas dúvidas sobre ele, mas é impossível dizer que se o vir nadando bem não ficarei feliz. Os erros que ele tem cometido (já citados aqui), sem dúvida, são grande parte dos “culpados” pela sinuca de bico de estar sem vaga garantida no Rio 2016.
    Tudo pode acontecer a partir de 15 de abril… TUDO. Mas eu, infelizmente, não boto tanta fé, nem no índice, nem numa possível participação olímpica caso ele o faça…

    • Lelo Menezes
      17 de março de 2016

      Pô Patti, podia elaborar melhor nessas atitudes estranhas do staff dele. Fiquei curioso! Sobre torcer por ele, vou torcer sim. Não é que vou torcer pro francês… Continuo torcendo pra que ele dê a volta por cima. O que eu disse é que não torço com tanto afinco… Entre eu e você, prefiro Fratus ouro e ele prata… kkkkk

  12. Flávio Mildemberg
    17 de março de 2016

    Índice não será problema e com todo respeito aos demais pretendentes a segunda vaga no 50L, Cielo tem mais natação que eles, mesmo não estando em um bom momento.
    21.7, 21.8 deve sair sem maiores problemas.
    100L é mais complicado, em Orlando ele fez 50.05, isso é muito ruim…vai sofrer até mesmo para pegar rev.

    • Lelo Menezes
      17 de março de 2016

      Eu acho Flávio que o Cielo não tem mais interesse no 100m. No máximo ele ajuda o revezamento, mas buscar medalha acho impossível. Mesmo final A acho extremamente improvável. Dado seu histórico dos últimos anos, eu iria com tudo só nos 50m mesmo. É o que tem pra hoje!

      abs

  13. Luiz Carvalho
    17 de março de 2016

    Acho que se o revezamento 4x100m livre fizer abaixo de 3.11, tem chance de fazer bom papel na final.

  14. Flávio Mildemberg
    18 de março de 2016

    3:11″ é média de 47 alto…não temos nenhum atleta fazendo isso em prova individual…turma vai ter que se superar pra nadar nesse tempo.

    • Lelo Menezes
      18 de março de 2016

      Não estou tão confiante assim nesse revezamento. Talvez se Cielo estivesse voando e estivesse disposto a participar do revezamento as coisas fossem diferentes. No entanto acho ambas as possibilidades improváveis. Minha visão realista é que lutaremos por final, nada muito além disso…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 14 de março de 2016 por em Natação.
Follow Epichurus on WordPress.com
março 2016
S T Q Q S S D
« fev   abr »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
%d blogueiros gostam disto: