Epichurus

Natação e cia…

Hall da Fama da Natação Brasileira saindo do forno!!!

O Brasil ainda não tem o seu Hall da Fama da Natação e decidimos criar essa homenagem para os nadadores que fizeram história na natação brasileira. Marcelo Menezes cobrou esse Hall da Fama no post Cadê nosso Hall of Fame? e agora estamos tirando essa idéia do papel. O Hall da Fama será inicialmente virtual e quem sabe com o tempo conseguiremos fazer algo que possa ser visitado por nossos filhos ou netos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os critérios para receber a homenagem e figurar no Hall da Fama serão objetivos. Os critérios iniciais definidos pela equipe do Epichurus são os seguintes:
A) Medalhista olímpico
B) Recordista mundial de longa em prova olímpica
C) Medalhista de mundial de longa
D) Finalista olímpico

A nomeação para o Hall da Fama seguirá a ordem acima, ou seja, primeiro iremos nomear todos os medalhistas olímpicos e assim por diante. Nossa expectativa é conseguirmos nomear um atleta por mês, para conseguirmos reconhecer todos em breve e abrir espaço para os novos nomeados que devem surgir nos Jogos Olímpicos de 2016.

Ainda estamos avaliando alguns outros critérios de nomeação como: recordistas mundiais de curta em prova olímpica , recordistas mundiais em provas não olímpicas,  recordistas de prova oficial da FINA de águas abertas e contribuição relevante para a natação brasileira.

tio-sam-2

Gostariamos de ouvir também nossos assíduos leitores que adoram colaborar com nossos posts para saber a sua opinião sobre quais critérios devemos adotar para premiar os nossos atletas. Não vale sugerir um critério que vá beneficiar somente você, como por exemplo:

  • Nadar 200 borboleta pelado em uma competição oficial
  • Maior número de quartos lugares em Campeonatos Brasileiros
  • Ser o campeão da escola em 25 metros parafuso ou peito
  • Consumir mais do que 10 goiabas em um treino
  • Comer 25 pedaços de pizza em um mesma refeição
Campeonato de Pizza realizado em 1987 no Grupo Sérgio, com vitória de Renato Cordani, com 25 pedaços de pizza, seguido por Fabiano Polloni (23 pedaços) e Carlos Dudorenko (22 pedaços). Após a vitória Renato ficou alguns dias passando mal em sua casa, portanto recomendamos que você não tente fazer isso na sua casa sem a supervisão de um adulto.

Campeonato de Pizza realizado em 1987 no Grupo Sérgio, com vitória de Renato Cordani, com 25 pedaços de pizza, seguido por Fabiano Polloni (23 pedaços) e Carlos Dudorenko (22 pedaços). Após a vitória Renato ficou alguns dias passando mal em sua casa, portanto recomendamos que você não tente fazer isso na sua casa sem a supervisão de um adulto.

Brincadeiras a parte, o Hall da Fama será de todos nós: participe!

O Hall da Fama terá uma seção especial no Epichurus, vamos nomear os nossos craques da natação de forma oficial e se tudo der certo o HOF fará parte de um Museu Multimídia sobre natação.

55 comentários em “Hall da Fama da Natação Brasileira saindo do forno!!!

  1. Aécio Barcelos Amaral
    22 de abril de 2013

    Gostei demais da idéia, mas já vou dar palpite…….. Pelos critérios já descritos, um dos maiores nadadores do Brasil estaria fora. Em 1958, Abílio Couto foi o primeiro Sul Americano a cruzar o Canal da Mancha, e em 1959, no sentido inverso, se tornou recordista da travessia. Penso que o Hall da Fama Brasileiro tem que arrumar um espacinho prá ele.

    Mas mudando de assunto, se eu tivesse participado do Campeontao de Pizza, me classificaria bem. Em 1977, pouco tempo depois da inauguração do Restaurante do Grupo Sergio na Rua Augusta, mandei 20 pedaços. A menção honrosa seria porque eu pesava só 60 quilos. Então acho também que temos que arrumar critérios para entrar no hall da fama da pizza.
    Abaraços a todos!

    • charlaodudo
      22 de abril de 2013

      Aécio, é para palpitar mesmo! Ainda não conseguimos definir bem os critérios para Águas Abertas. As maratonas da FINA são relativamentes recentes e mesmo assim o Canal da Mancha ficaria fora desse critério. Vamos ver como conseguimos evoluir nesse critério.
      Realmente com 10 anos a mais de treino eu acho que vocÊ iria dar trabalho para o Renato no Grupo Sergio. Não digo que seria uma briga bonita de ver, mas acho que seria interessante.

      • Carlos Schoroder
        24 de abril de 2013

        Tudo bem que esse Sr. conhece amigo Carlão,ele pode ser o papa do esporte, mas é um mero técnico de academia do fim de mundo em fim de carreira, desculpe dizer assim, mas quem não respeita a opinião dos outros não merece respeito de ninguém,críticas são sempre bem vindas certo ? e o que falei é com o intuito de poder somar a esse belo projeto de voces,não sou e nunca fui pessimista, somente coloco a realidade das coisas e já que comentou que ele sabe muito, já trabalhei no exterior, USA e Canadá e sei como as coisas funcionam e acredito que esse Sr. jamais tenha saído de sua little city !!! um grande abraço aos amigos do blog e SUCESSO SIM !!! COM OTIMISMO,mas com coerência !
        Carlos

    • Geraldo Pires Panucci
      23 de abril de 2013

      blza Aecio.. bem lembrado do Abilio Couto que fez historia nas aguas abertas! abs

      • Geraldo Pires Panucci
        23 de abril de 2013

        Se precisarem .. estarei a disposição… e não deixem que comentários negativos ou desestimulantes como o do Carlos Schoroder , abale conceito do projeto que apesar de já existir, podemos ter o nosso “brasuca” aqui, enaltecendo todos os nossos valorosos campeões!!!!
        abs

      • charlaodudo
        23 de abril de 2013

        Geraldo, eu vejo os comentários do Carlos de forma totalmente construtiva. Nós também não achamos que dá para seguirmos os mesmos critérios do HOF americano. A principal diferença é que ele acha que devemos abaixar um pouco mais a régua e nós achamos que não precisa descer tanto.
        Ahhh, e obrigado pela leitura e pela disponibilidade em colaborar!

      • Carlos Schoroder
        24 de abril de 2013

        Pelo jeito Sr Geraldo, vi que entendi muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito de esportes,parabéns,sabe bem diferenciar de uma crítica construtiva de uma negativa ou de um ponto de vista para ajudar…estou IMPRESSIONADO !!!
        Se fazer uma colocação e um ponto de vista é estar sendo negativo…so sorry…prefiro ser assim do que um fanático patriota que vê tudo lindo no país.
        Um bom dia !

      • charlaodudo
        24 de abril de 2013

        Carlos, o Geraldo conhece muito sobre natação e é um grande apaixonado pelo esporte. Vamos canalizar a nossa energia para torcer pelo sucesso do Hall da Fama.

  2. Carlos Schoroder
    22 de abril de 2013

    Srs…bom dia…Infelizmente esse critério de voces sobre Hall of Fame é totalmente furado na atual realidade brasileira, o Brasil não tem taaaaantos atletas recordistas mundias,olímpicos,finalistas e tal, isso é coisa pra USA, Japão, etc…procurem se adequar á realidade senhores, façam o que estão fazendo que já acho com otimismo muito interessante.
    Fazer um Hall of Fame para 6 ou 7 gatos pigados olímpicos (com todo respeito)seria no mínimo risível ou patético não acham ? Se desejem fazer um Hall of Fame do Brasil façam com atletas que participaram das olimpíadas que tem vááááários ao longo de décadas, desde ás primeiras olimpíadas que foram esquecidos ao longo dos tempos e que o Brasil desconhece totalmente, aí sim, no momento seria interessante isso, deixe para um Hall of Fame de campeões para daqui uns 100 anos TALVEZ !
    Querem um bom exemplo, o site do Milton Neves tem uma seção chamada por onde anda, que tem jogadores de futebol até mesmo desconhecidos do público e que alguns sequer foram á uma decisão de campeonato !
    Continuem com o que fazem que já tá até bom demais !
    Abs
    Carlos

    • charlaodudo
      22 de abril de 2013

      Carlos, obrigado por acompanhar o nosso blog e com certeza continuaremos a fazer o que estamos fazendo para contar um pouco da história da natação brasileira.
      Conhecemos o site do Milton Neves e a seção por onde anda é legal e lá temos um breve relato de um dos nadadores que estariam nesse critério de medalhistas olímpicos: http://terceirotempo.bol.uol.com.br/quefimlevou/qfl/sobre/tetsuo-okamoto-3305.html
      O Hall da Fama não vai ficar somente com 6 gatos pingados. A nossa previsão é termos algumas dezenas de atletas nomeados com os critérios que definirmos e irmos evoluindo com o tempo.
      Como exemplo, o International Swimming Hall of Fame (http://www.ishof.org/) que nomeou recentemente o brasileiro Gustavo Borges possui um pouco menos de 400 nadadores nomeados, mesmo estando nos Estados Unidos, o maior campeão da natação de todos os tempos. Ahhh, e ISHOF começou a nomear os nadadores em 1965!

    • rcordani
      22 de abril de 2013

      Carlos, sinceramente obrigado pelos pitacos, mas a sua avaliação não é realista. Usando os critérios A e B já temos 13 nomes (sem contar os dois que estão em atividade). No critério C devem entrar adicionalmente mais uns 5 nomes (precisamos pesquisar isso aí), e pelo critério D temos mais várias dezenas! Portanto, com esses critérios iniciais já temos mais de 50 nomes.

      E eu disse acima “iniciais”, pois se chegarmos ao fim desses critérios se tudo der certo pretendemos continuar, e aí realmente já dá para ampliar bastante esse número, considerando final B de olimpíada e mundial, semifinais, etc, outros como “canal da mancha” conforme colocado pelo Aecio, ainda outros tipo recordes e medalhas mundiais de raia curta, panamericano e etc.

      Então “6 ou 7 gatos pingados” felizmente não se coloca!

      Grande abraço

      • Rogério Aoki Romero
        22 de abril de 2013

        Concordo com o Cordani e coloco-me, desde já, como voluntário para o projeto.

        Abraço a todos.

      • Carlos Schoroder
        22 de abril de 2013

        Finalistas olímpicos várias dezenas ?????????? se repetir atleta sim, mas da atualidade…eu respeito sua opinião amigo Renato, mas não deve passar de várias não, e caso chegue perto, 50 acha que é muito de um universo de centenas de centenas de dezenas de atletas desde a década de 10 ou 20 do século passado? que foram de seleção brasileira ??? esses ítens A,B,C e D acho seletivo e limitado demais, bom, se conselho fosse bom a gente vendia não é ? mas tenho minha opinião já formada,em todo caso boa sorte, quem sabe consiga, dar certo nesse esquema, torço por isso.
        Abs a todos.
        Carlos

      • charlaodudo
        22 de abril de 2013

        Valeu Piu, com certeza sua ajuda será muito importante para o projeto. O Cordani está redigindo o seu contrato e em breve vamos assiná-lo!

      • charlaodudo
        22 de abril de 2013

        Carlos,
        As empresas de consultoria vendem muitos conselhos e em alguns casos nem são bons conselhos! 🙂
        Também acho que não devemos ter poucos atletas na lista do HFNB, mas devemos tomar alguns cuidados, pois dependendo do critério, podemos acabar com milhares de nominados, perdendo o espírito da homenagem.
        Ainda temos bons meses e anos para ir acompanhando cada um que vai entrar para o HFNB e sentir como será essa evolução.

  3. rcordani
    22 de abril de 2013

    Boa Charlão. Vamos ver se conseguimos evoluir primeiramente de forma virtual, e quem sabe ter um HOF físico um dia!

    • charlaodudo
      22 de abril de 2013

      Isso, vamos começar com o virtual pois o aluguel já está pag aqui no Epichurus!

  4. Lelo Menezes
    22 de abril de 2013

    Boa Carlao! A ideia e’ excelente! Os criterios iniciais (e boto enfase em iniciais) sao claros e bem obvios. Acho que com eles ja teremos uns 30-40 atletas ai! Vamo que vamo!

    • charlaodudo
      22 de abril de 2013

      Pois é Lelo, só com esses critérios bem restritos já vamos ter uma lista considerável, com cerca de 50 atletas. Vamos com tudo!

  5. Miyahara
    22 de abril de 2013

    Campeão em jogos regionais não entra?

    e vomitar depois dos 100L no finkel?

    sensacional ideia!

    • charlaodudo
      22 de abril de 2013

      Miha,
      Fiquei com saudades do Hall of Shame que alegrava o Swim it Up. Com certeza os seus 100L no Finkel seriam manchete do HOS.

  6. Fernando Cunha Magalhães
    22 de abril de 2013

    Muito legal a ideia de homenagear os maiores craques da nossa natação.
    Bacana a iniciativa de ouvir a opinião dos leitores, pois assim, visões serão ampliadas e gradativamente os critérios vão evoluir e tornar esse espaço virtual super interessante.

    • charlaodudo
      22 de abril de 2013

      Smaga, sempre podemos contar com as ótimas opiniões dos nossos leitores e isso ajuda muito a direcionar as nossas iniciativas.

  7. Eduardo Hoffmann
    22 de abril de 2013

    Excelente idéia, com critérios claros, bem escolhidos, e muito bem balanceados. Meu pitaco: não acho que seria bom abrir também para semifinais ou “final B”, pois diluiria demais o “peso” da nominação…

    Adicionalmente, é preciso cuidado com os critérios para águas abertas, e acredito que vocês já estão demonstrando a devida cautela, ao ainda não incluir essa categoria… até ter pensado bem na questão…

    Esperemos que, uma vez esgotados todos os potenciais recebedores de tal glória (os já existentes), que haja novos talentos, conquistando, por mérito, vagas adicionais no Hall of Fame! Sempre dentro desses mesmo critérios! Sem “cair na tentação” de “tornar o Hall mais acessível”… Tem que ser seletivo mesmo. Muito seletivo.

    • Eduardo Hoffmann
      22 de abril de 2013

      Completando: talvez até por questões culturais, temos a tendência de “flexibilizar critérios”, para sempre “caber mais um”. Isso é da nossa índole gregária, amistosa, etc…

      Entretanto, para um Hall of Fame fazer jus ao nome, não pode “sempre caber mais um”, uma espécie de Hall “Rexona” (“sempre cabe mais um quando se usa Rexona”).

      Nessas horas, é bom adotar postura mais Anglo-Saxã mesmo. Para ser uma glória de verdade estar no Hall, tem que ser difícil mesmo entrar.

      Meritocracia não é o forte da cultura Latina… mas é necessário resistir à tentação!

      • charlaodudo
        22 de abril de 2013

        É isso mesmo Hoffmann, também somos contra o Hall “Sempre Cabe Mais Um”. A nominação deve ser por méritos do atleta e a natação permite a escolha de critérios objetivos para definir quem deve entrar. A idéia é essa mesmo de sermos bem seletivos com as escolhas, pois uma lista dessas não pode ser grande mesmo.

  8. Danilo
    22 de abril de 2013

    Excelente iniciativa, nossa história precisa de registro,porém acredito que devemos homenagear todas as modalidades da natação,piscina, águas abertas e inclusive nossos campeões e recordistas paralímpicos !

    • charlaodudo
      22 de abril de 2013

      Danilo, também acho que os outros esportes aquáticos devem ter sua homenagem. Por enquanto nós entendemos mais de natação, mas quem sabe nós conseguimos estudar um pouco sobre as outras modalidades, ou contratamos alguém que possa definir critérios para o Nado Sincronizado, Saltos e Pólo Aquático? Os nossos campeões paralímpicos realmente estão dando show nos últimos anos e eu acho que devemos colocá-los no nosso radar também.

  9. Cristiano Viotti Azevedo
    22 de abril de 2013

    Ótima ideia, que é o primeiro e mais importante passo para grandes realizações. E os critérios rígidos são sempre melhores do que os não objetivos quando se trata de selecionar entre os grandes de qualquer atividade. E a vantagem da natação é que não precisaria avaliar se a pernada de borboleta era mais bonita ou se a filipina era mais longa, como fazem no futebol (o chute de trivela, o drible do barbante, o sem pulo que é com pulo, e outras façanhas individuais). Gostaria de deixar apenas uma sugestão: tentar não usar anglicismos como Brazilian Swimming Hall of Fame. Até mesmo Hal da Fama é meio piegas. Para não ficar na crítica, tenho que propor algo. Quem sabe NOMES DE OURO DA NATAÇÃO BRASILEIRA ou algo que o valha.. (ou, como diz o homenageado na crônica musical do Cordani: ou não?)

    • Lelo Menezes
      22 de abril de 2013

      Cristiano, uma das ideias e’ homenagear o maior narrador de natacao de todos os tempos (minha opiniao pelo menos), mas pra isso ainda precisamos do “de acordo” da familia!

      abracos

    • charlaodudo
      22 de abril de 2013

      Cristiano, a natação favorece muito mesmo a escolha desses critérios bem definidos e não deixa termos dúvidas. O que vale é o tempo e o metal, sem espaço para o “achismo”. O nome realmente é complicado, mas por enquanto o melhor que achamos foi o Hall da Fama, sobrando somente o Hall em inglês. Quem sabe conseguimos por aqui mais sugestões como a sua para chegarmos num termo totalmente em bom português.

      • Fernando Cunha Magalhães
        22 de abril de 2013

        Gosto da ideia de um nome todo em português e da ideia da homenagem proposta pelo Lelo.

  10. ANTONIO CARLOS ORSELLI
    22 de abril de 2013

    Carlão, Parabéns pela ideia e pela iniciativa. Concordo com o Eduardo quanto à seletividade. Quanto mais apurado o critério, maior valor terá a honraria.

    • charlaodudo
      22 de abril de 2013

      Orselli, na verdade a idéia já deve ser bem antiga e outras pessoas já devem ter pensado em criar algo assim. Durante as nossas conversas para definirmos alguns temas para o blog esse foi um dos que teve adesão de todos os nossos colunistas. A opinião do Hoffmann foi maioria entre os membros do Epichurus, mas não foi unanimidade entre nós. Se olharmos outros Hall of Fame existentes no mundo, critérios subjetivos são bem utilizados também.

  11. Flávio Amaral
    22 de abril de 2013

    Maria Lenk tem que ser a primeira. Afinal ela foi a primeira mesmo.

    • charlaodudo
      22 de abril de 2013

      Flavio, a Maria Lenk estárá lá com certeza. Eu só não garanto que ela será a primeira.

  12. Luiz F Carvalho
    22 de abril de 2013

    Oi Aqui vao algumas sugestoes estilo anglo-saxao: “Dos and Don’ts”
    Do:
    – Fazer o Hall of Fame da Natacao brasileira (HFNB) eh otima ideia;
    – Adotar regras que facam sentido e justica historica;
    – Adotar regras claras mas com alguma flexibilidade para aqueles casos realmente especiais (tecnicos, NCAA champs, etc)
    – Talvez criar um comite
    Don’t:
    – Nao fazer uma regra onde 99% dos membros do HFNB sejam do sexo masculino
    – Nao fazer a mesma regra para curta e longa. Prioritizar fortemente os resultados em piscina longa (ate os anos 90, se nao me engano, nao haviam campeonatos em piscina curta). Alem disso, hoje em dia, assim como no passado, o status de um titulo em longa me parece bem diferente daquele em piscina curta.
    – Nao tratar provas olimpicas e nao olimpicas do mesmo jeito.
    Abraco a todos!

    • charlaodudo
      22 de abril de 2013

      Chicão, ótimos comentários!
      Em nossas reuniões epicureanas tambem consideramos que as provas olímpicas e em longa devem ser mais importantes que provas não olímpicas e que as provas em curta.
      Ter um comitê para as decisões é uma prática que devemos adotar, pois mesmo com critérios objetivos podemos ter alguns “empates” ou necessidade para decidir sobre quem deve ser nominado primeiro, ou até ajudar a rever algum critério definido originalmente.
      Também considero que devemos em algum momento homenagear os técnicos, mas ainda não conseguimos ter uma discussão inicial sobre quais seriam esses critérios e atualmente isso está cada vez mais complicado, pois alguns clubes têm vários técnicos, dificultando ainda mais a coleta de estatísticas confiáveis sobre o tema.
      Agora com relação a equilibrar a quantidade de membros do sexo masculino e feminino eu acho que não vamos conseguir flexibilizar os critérios para contemplar isso, mas por uma rápida análise inicial não deve ficar em 99% do sexo masculino, mas com certeza ficará longe dos 50%.

    • rcordani
      23 de abril de 2013

      Muito bom Chicão, vamos levar em conta! Quanto às meninas, no critério (A) não tem, no (B) temos a Maria Lenk, no (C) ninguém (quase a Gabriela em 2008!) mas no (D) temos uma porção, desde Piedade Coutinho (incluindo o reveza delas em Londres 1948), até recentemente Joanna, Flávia, Gabriela e o 4×200 de Athenas. Então não será 1%, deve ter algo em torno de 15%.

      Mas concordo plenamente que deve haver espaço para nomeações especiais. Mas primeiro é preciso um pouco de trabalho com os “não especiais”, ou seja, aqueles que atendem aos critérios objetivos!

      Quanto à curta/longa, veja que os quatro critérios iniciais são em longa. Mas a curta deverá ter seu espaço (menor) depois!

  13. Eduardo Hoffmann
    22 de abril de 2013

    Segundo o Novo Dicionário Aurélio, segunda edição, quadragésima primeira impressão, pg.881:

    hall (hól). (Ingl.) S. m. Sala de grandes dimensões; vestíbulo, átrio.

    Toda língua é viva… sempre em mutação… e vai incorporando palavras de outras línguas… O “Nacionalismo linguístico” é a negação do processo natural de evolução de qualquer língua… O próprio Aurélio reconhece essa evolução/transformação, ao adicionar o vocábulo.

    Há montes de palavras no Inglês que derivam do Latim, e , nem por isso, deixaram de ser incorporadas, mesmo sendo o Inglês de origem predominantemente diversa do Latim. Quando a versão em língua estrangeira vai ficando cada vez mais difícil de ser substituída por uma versão “local”, isso significa que a palavra em língua estrangeira passou a ser mais eficiente na descrição do que se quer comunicar. E já está praticamente incorporada à língua “receptora”.

    “Mouse” é “mouse” mesmo. Não é “camundongo”. Por essa mesma razão…

    “Hall da Fama”, em suma, pode ser algo que faça Antônio Houaiss (um “fundamentalista”) se revirar no túmulo, mas, nada mais é, do que o Português, língua viva, e em constante mutação, sendo utilizado de forma que otimiza a comunicação.

    • charlaodudo
      23 de abril de 2013

      Boa Hoffmann!!!
      Acho que ou pegar o seu Aurélio emprestado e vou esquecer de devolver.
      Agora pelo menos não terei mais peso na consciência ao escrever Hall da Fama.

      • Eduardo Hoffmann
        23 de abril de 2013

        Pois é, Carlão, use “Hall da Fama”, “sem medo de ser feliz”…rs…

        O termo em Português que mais se aproximaria de Hall, nesse sentido, seria Galeria (“Galeria da Fama”), entretanto, passa uma imagem meio estática/antiquada… de umas fotos enquadradas, ao lado de plaquinhas metálicas com letras semi-legíveis, num corredor meio mal iluminado, no andar da Diretoria do clube…

        “Hall da Fama”, até por contar com a imagem/inspiração dos originais em terras de Tio Sam, passa uma ideia mais dinâmica, de espaço multi-media, menos “museu tradicional”, etc…

        Não é questão de “subserviência linguística”, nem idolatria aos gringos, mas, é FATO, que vale a pena copiar/se inspirar no que os outros fazem de certo… Não há “modelo tupiniquim” equivalente… Melhor “tropicalizar o Hall”, do que tentar criar a “Oca da Fama”, e convidar o Aldo Rebelo para a inauguração, no “Dia do Saci” (criado por ele, para “competir com o Halloween…).

      • charlaodudo
        23 de abril de 2013

        Usarei sem medo de ser feliz!
        Se bem que a Oca da Fama tem o seu apelo também.

    • rcordani
      23 de abril de 2013

      O Aldo Rebelo vai ficar com urticária.

  14. Rodrigo M. Munhoz
    23 de abril de 2013

    Boa iniciativa, Charles! Contem comigo como voluntário.
    Note que vejo a necessidade de critérios “hard core” sim, pelo menos no começo, mas acho que eventualmente pode-se criar uma comissão para analisar os grandes contribuidores da natação que não se enquadrem facilmente entre os medalhistas, recordistas, etc.

    E de quebra, com este artigo descobrimos a razão da falência do famigerado Grupo Sergio…
    Abraços,

    Munhoz

    • charlaodudo
      23 de abril de 2013

      Acho que o antigo dono do Grupo Sérgio deve ter tremedeira quando vê o Aécio ou o Renato.

  15. Marcel Rossi
    23 de abril de 2013

    Parabens a todos os envolvidos pela iniciativa, independentemente de quais criterios serao adotados no final, a ideia e’ espetacular e merece todo o meu apoio!

    Confesso que fiquei com um pouco de preguica de ler todos os comentarios, entao talvez as minhas sugestoes sejam repetidas. Acho importante que exista um espaco para tecnicos e dirigentes tambem, mas como li ai no meio, e’ algo complicado de se fazer por conta das estatisticas que precisam ser levantadas.

    Outra coisa legal, antes mesmo de uma possivel sede para esse HOF, seria um premio real para os homenageados. Algo como um diploma enquadrado ou mesmo uma daquelas plaquinhas comemorativas. Envolve dinheiro, claro, mas nao deve ser tao caro que com o apoio de alguma empresa nao possa ser realizado. Ou ainda mais simples, se voces nesse site chamado Catarse, que permite arrecadar doacoes de varias pessoas para um projeto.

    Abracos!

    Marcel

    • Marcel Rossi
      23 de abril de 2013

      Desculpa, ai vai o site: http://catarse.me/pt

    • charlaodudo
      23 de abril de 2013

      Oi Marcel, o seu comentário veio em boa hora, estamos discutindo nesse momento como será a homenagem e suas sugestões somam ao que estamos estudando. Eu não conhecia o site Catarse e a idéia é muito boa. Muito obrigado pelas sugestões!!!

  16. Marco André
    24 de abril de 2013

    Revezamento masculino medalha de bronze nas Olimpíadas de Moscou, se o Brasil tem história de medalhas olímpicas em revezamento, isto começou em 1980. Abraço a todos.

  17. Jorge Fernandes
    24 de abril de 2013

    realmente me surpreendo cada vez que venho aqui ler para me atualizar nos artigos…

    a idéia realmente excepcional, e acho triste que deva partir de aficcionados pelo esporte grandes idéias como esta e não do órgão que faz a gestão do esporte… e se tiver que começar, se faça nem que por hora seja virtualmente…

    sempre tive sonho de que esse projeto fosse iniciado, e aqui tento dar mais algumas opiniões:

    – acho certíssimo ser tipo “linha dura” no quesito inclusão, mas acho que mais para frente pode-se já prever outras categorias de menção a atletas que por acaso não tenham atingido os feitos principais, mas que tenham contribuído de alguma forma para levar a frente o desporto aquático brasileiro. Como por exemplo: criar uma seção para piscinas curtas, Mundiais, Copas do Mundo, etc ;

    – falei desporto aquático acima pois no meu ponto de vista, devemos pensar amplamente e incluir as outras modalidades. Toco nesse assunto pois já carecemos de “ídolos” e quanto mais abrangente for, demosntra uma democratização na confecção do projeto e por conta disso, atrairia mais interessados e quem sabe futuros atletas;

    – mençao para técnicos e outros que colaboraram (de certa forma), acho que deveria ser feito em paralelo, como uma categoria a parte (como mencionei acima), pois acho que o enfoque principal deva ser os atletas;

    tenho mais idéias, mas para proporcionar mais debates, por enquanto chega…

    parabéns pela iniciativa…
    ——————————————————-
    quanto a quantidade de pizzas, eu seria um grande concorrente… após 1 campeonato no RJ (já estava no CRF) após jantar (muito bem) em casa a comemoração foi numa pizzaria… foram 22 pedaços… nada mal né ?… mas acho que todos perderiam para o Jucá, pois ele tinha um estomago que começava logo abaixo do pescoço !!! como comia o bicho !!!… kkkk

    sem contar o Mattiolli, que pelo que ouvi uma vez, comeu 1 sanduiche tipo “double whopper” com 1 mordida só… kkkk

    abraços a todos…

    • charlaodudo
      24 de abril de 2013

      Jorge,
      É isso mesmo, se ficarmos esperando os outros fazerem alguma coisa, pode não acontecer nunca. Esperamos que a CBDA em breve apoie essa iniciativa e dê mais peso para o Hall da Fama.
      O Rodrigo Munhoz também imagina um conjunto de salas (por enquanto virtuais!) para o Hall da Fama, dedicando cada uma delas a tipos diferentes de homenageados. Por enquanto vamos começar com um dos pilares, a natação e quem sabe no futuro não teremos junto com a natação os outros aquáticos: polo aquático, nado sincronizado e saltos.
      Acredito que as divisões que teremos não serão tanto por piscina longa e curta, mas talvez algo por estilo e região do país. Ainda temos que esperar o nosso volume de nominados aumentar para começarms a usar a criatividade nesses aspectos.
      Quanto aos técnicos, vamos consultar alguns técnicos no futuro para ajudar a definir critérios objetivos para isso. Acho que cada atleta vai ter o seu preferido para puxar a sardinha para o lado dele.
      Obrigado pelas sugestões Jorge e aguardamos novas idéias conforme o debate for caminhando.

    • charlaodudo
      24 de abril de 2013

      Imagino o pânico do cara que servia a comida no refeitório de Moscou ao ver a equipe de revezamento do Brasil chegar para almoçar ou jantar. Acho que ele pediu transferência para a Sibéria após os Jogos Olímpicos.

      • Jorge Fernandes
        25 de abril de 2013

        huahuahua… lá até que nos comportamos gastronomicamente bem… o desastre foi na festa de encerramento na boate dentro da Vila…
        lá é que o bicho pegava… teve a despedida do recordista australiano de 100 e 200 costas (vou procurar o nome depois)… o cara estava tão alucinado, dançando “trebado”, que em determinado momento, parado no meio da pista, simplesmente abaixou as calças e cuecas e ficou dançando na maior… galera em volta na loucura, rindo e batendo palmas… show… kkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 22 de abril de 2013 por em História da natação, Natação.
Follow Epichurus on WordPress.com
abril 2013
S T Q Q S S D
« mar   maio »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  
%d blogueiros gostam disto: