Epichurus

Natação e cia…

Top 3 do Pan de 1991

Nesse episódio, as três coisas mais legais do Pan de 1991 em Havana (com ênfase não exclusiva na natação).

Havana 1991 foi o Pan do Fidel, onipresente. Quase todos os medalhistas tem foto com o Comandante, como por exemplo o Rodney Bell na foto abaixo obtendo o bronze no Pólo Aquático após uma sofrida e sensacional vitória sobre o Canada por 7×6.

Rodney Bell recebe o bronze das mãos de Fidel Castro, Coaracy observa.

Rodney Bell recebe o bronze das mãos de Fidel Castro, Coaracy observa.

Novamente o leitor do Epichurus é beneficiado pelas sensacionais fotos do acervo de Julio Rebollal (veja lá embaixo na galeria, incluindo – claro – uma dele com o Fidel).

Top 3 vai para…

O Basquete feminino, que deu um show. Não tenho a filmagem, mas na final as brasileiras ganharam de Cuba (97×76) com atuação espetacular da Hortência, e na hora da premiação o Fidel ficou tietando ela e a Magic Paula, a foto abaixo ilustra um pouco isso.

Fidel tintando Hortência e Magic Paula.

Fidel tietando Hortência e Magic Paula.

 

Top 2 vai para…

As medalhas femininas. Depois de três Pans sem medalha as moças finalmente voltaram a obter metal: bronze nos 4x100L (Isabele Vieira, Paula Marsiglia, Paula Renata Aguiar e Paoletti Filippini) e a prata no 4×100 4 estilos após a desclassificação do Canada (Ana Catarina Azevedo, Glycia Lofego, Celina Endo e Paoletti Filippini). Fotos na galeria lá embaixo.

Top 1 vai para…

As diversas medalhas masculinas:

Rogério Romero, OURO 2:01.07 nos 200 costas;

Gustavo Borges, OURO 49.48 nos 100 livre. Esse tempo foi tão bom, mas tão bom, que o Gustavo melhorou apenas 0.05s em Barcelona um ano depois e levou a prata olímpica! Nesse Pan, Gustavo também foi prata nos 200L com RS.

OURO para o 4×100 Livre (Teófilo Ferreira, Emmanuel Nascimento, Julio Rebollal e Gustavo Borges). O detalhe é que NUNCA os Estados Unidos haviam perdido os 100m Livre e nem os 4×100 livre em um Pan (nesse último foram desclassificados nas eliminatórias, que como diz o Rebollal “eliminatória também é competição!”), e deu Brasil nas duas.

Ainda tivemos: Bronze para o Gustavo (50L), Bronze para o Picinini (100B) e a prata do 4×200 para o Cassiano (junto com Gustavo, Tetê e Manu).

Acompanhe abaixo a sensacional galeria de fotos do acervo do Rebollal.

Próximo: Mar del Plata 1995.

Sobre rcordani

Palmeirense, geofísico e nadador master peba.

7 comentários em “Top 3 do Pan de 1991

  1. Cassiano Leal
    3 de julho de 2015

    Muito legal Renato. Meu primeiro Pan e minha primeira seleção brasileira.
    Cuba sempre muito calor mas um povo acolhedor e uma ilha muito bonita. Na competição como você mesmo disse fomos muito bem. A vila era um calor infernal nos quartos. Minha primeira experiência de vila que no início teve um fato nada agradável que foi na desclassificação do basquete masculino onde eles ficaram conversando embaixo da nossa janela até 3h da manhã.
    Depois do Pan teve primeira a festa que foi dentro da vila, regada a cerveja, porém uma cerveja cubana muito ruim. Ficamos ainda mais uns 2 dias antes de voltar para o Brasil e fomos passear pela ilha. Fomos até Varadero, um lugar com hotéis e praias maravilhosas. O curioso foi que o lugar era restrito para turistas, os locais não podiam frequentar, achei muito louco e até triste isso, já que também fomos em outra praia aberta e os cubanos vinha conversar com a gente e sempre muito simpáticos, perguntando sobre o Brasil e contando sobre as belezas da ilha.
    Foi meu grande salto na carreira acredito, por estar em um grupo de seleção onde a mentalidade é de querer sempre mais, sem “roubos” ou malandragens em treinos e muita vontade de todos.
    Grande abraço.

    • rcordani
      4 de julho de 2015

      Boa Cassiano, acompanhei de perto esse salto, desde a conversa entre o Alberto, você, eu e o Fralda no início de 1991, o Alberto montando uma programação para pegarmos o Pan. Eu achei que valia a pena tentar (tentamos) mas que na real nenhum de nós três ia conseguir, que bom que eu estava enganado quanto a você! Abraço

  2. Luiz Alfredo Mäder
    3 de julho de 2015

    certa vez ouvi contar que no dia da final do basquete o Comandante quis conversar com as brasileiras ANTES do jogo, mas que o técnico (quem era) foi firme e não deixou… lembro muito claramente daquele jogo

    • rcordani
      4 de julho de 2015

      Hehe, o que diria Fidel à Hortência antes da partida? Paredón?

  3. Julio Rebollal
    4 de julho de 2015

    Parabéns Cordani, muito bem escolhidos os TOP. Nessa competição o Gustavo arrebetou e o Romero também. Derrotou o Daniel Veatch por 07 centésimos!!

    Caros amigos, essa realmente foi uma competição especial para mim. Como disse o Cordani: o “azar” de 87 virou “sorte” em 91. Mas não foi tão fácil assim…

    1) “Sorte”. Eu nem esperava ser convocado. Havia ficado em 4º nos 100 livres na seletiva e achei que estava fora. Nem lembro qual foi o meu resultado nos 200 livres. Então, corri atrás de uma grana para participar da Universíade de Sheffiled. O Cordani estava lá. Uma semana antes do embarque para a Inglaterra saiu a convocação. A comissão técnica da CBDA queria que eu desistisse da viagem. Eu disse que não. Assim, aconteceu o mesmo que em 87: fui para a Universiade de Zagreb e tive que treinar. Em Zagreb, treinei com o Jorge, Cicero, e mais alguns outros grandes atletas. Em Sheffield, aproveitei um pouco a viagem mas tive que treinar sozinho.

    2) “Sorte”: Os EUA foram desclassificados na eliminatória. E como eliminatória é competição…

    3) “Sorte” ou “Azar”?: entre a eliminatória e a final nos reunimos e decidimos que o Gustavo ia abrir e que eu ia fechar. Aí eu pensei: Responsa grande!!

    4) “Azar”: Com a eliminação dos americanos o Manu ficava o tempo todo colocando a mão no coração e cantando o Hino Nacional Brasileiro. O diabo é esperto não por ser o diabo, mas por ser velho. Eu, meio p.., dizia para ele: ” Para com isso, não ganhamos nada ainda!” E o Manú, com aquele jeito irreverente, nem me dava bola. Na hora da final, estávamos na raia 3. O juiz autorizou a subida no bloco. O todos subiram. O Juiz comandou “a su marcas” e aí…Por uma falha no sistema de som, somente as raias de 4 a 8 ouviram o comando. O Pirula e os nadadores das raias 1 e 2 permaneceram em pé. Pior ainda foi que ele deu o tiro de partida!!!! Pinche Carón!!! Gritamos: Vaaaaai!! O Manú branco feito cera. Aí eu disse: “Não te falei que ainda não ganhamos nada!” E o Camarada partiu feito um touro bravo. Pegou e passou todo mundo! Um pouco antes de chegar na corda de escape (na volta!!!) o juiz mandou baixar a corda!! Pinche Cabrón again!!!!! O Gustavo entrou com tudo na corda cubana e ficou com a lateral do corpo toda arranhada e sangrando!! O Manú quase desmaiou! Todos agitados, aquela correria de técnicos e dirigentes. O juiz sendo pressionado. Não sabíamos se íamos nadar naquele dia ou não. Após uma reunião, ficou decidido que iramos nadar em 30 minutos.

    5) “Sorte”: parafraseando Isaac Newton: Se eu FUI mais longe, foi por estar sobre ombros de gigantes. Foi o fechamento mais tranquilo da minha vida. Minha carreira como nadador da seleção acabava com uma prova na qual, devido à dianteira colocada por excelentes nadadores, não havia como perder… Não? Também não foi bem assim: o Manú, nervoso praca, ficou falando: “Não escapa, não escapa.” “Cala a boca Manú!!” E ele repetindo. Resultado? Não escapei, mas dei uma das minhas piores saídas em revezamento. Meu tempo: 51:60. Valeu o ouro e a foto com o Fidel!!

    Realmente, como o Cassiano escreveu, o calor era forte. Já sabendo disso eu levei um pequeno ventilador (tenho foto para provar)!! Os alojamentos não tinha ventilador!!

    As fotos com o Fidel foram tiradas pelo meu grande amigo Renato Ramalho!!

    A foto é do encerramento. A natação não foi no início dos Jogos.

    Cordani, obrigado pela oportunidade. Sei que o vídeo está ruim, mas quem sabe não possa postar?

    Assim, amigos, acabava minha participação em seleções brasileiras. Foi muita “sorte”!!!

    • rcordani
      6 de julho de 2015

      Excelente comentário, posso até ver o Manu assobiando e fazendo troça, e depois branco como cera, hehe.

      Com relação ‘a “sorte” e “azar”, vejo que não escapou a você o detalhe, mas para o leitor menos atento essas palavras estão entre aspas pois são relativíssimas. Para ter esse tipo de “sorte” ou “azar” é necessário tanta coisa antes que esses termos são praticamente inexistentes, e por isso estão entre aspas.

      Boa forma de encerrar a carreira na seleção, com o ouro no Pan, mas você ainda tentou Barcelona 1992? Não tenho os detalhes completos dessa seletiva, quem sabe o Esmaga chega lá e nos conta…

      Grande abraço

      • Julio Rebollal
        6 de julho de 2015

        Caro Cordani, tentei mas era muita areia para o meu caminhão…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Follow Epichurus on WordPress.com
julho 2015
S T Q Q S S D
« jun   ago »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
%d blogueiros gostam disto: