Epichurus

Natação e cia…

Piscinas e Assombrações

Memórias… Pedrazzi (3o), Eu (1o), Regis ?(2o) 87 – Luso

Na minha experiência, as despedidas são eventos marcantes e frequentemente tristes. Quando há expectativas ou ao menos a esperança de um reencontro a coisa pode ser mais fácil… Mas aquele “adeus final” é sempre mais dolorido, e tenho para mim que nunca ter chance de se despedir é pior ainda. Assim como as pessoas queridas, creio que certos locais marcantes em nossas vidas merecem a oportunidade de um último diálogo. Mas obviamente nem sempre temos essa  chance. Pessoas, coisas, lugares importantes deixam de existir – muitas vezes sem que saibamos – e com o passar do tempo só temos conversas com o ectoplasma das memórias que ficam.

Não tem nada de mais na passagem do tempo, mas ultimamente notei uma aceleração em um aspecto especial: Minhas piscinas favoritas estão se tornando apenas fantasmas na minha memória. E isso ocorre invariavelmente sem que eu tenha chance de dar aquelas últimas braçadas em suas águas cloradas ou uma saída daquela “raia 4”. Assim, certos componentes da minha infância e juventude deixam de ser marcos físicos e arquitetônicos e passam apenas para o rol de personagens de filmes de terror/suspense imaginários.

Vejamos… Tenho alguns exemplares básicos de “fantasmas” – piscinas das mais emblemáticas para mim, que deixaram de existir para sempre. Primeiro, a piscina da Gama Filho, na Estrada do Rio Grande, na Taquara (RJ), onde nadei de bóia, usei meus primeiros oclinhos Speedo e fiz meus primeiros treinos aos 8 anos, que deu lugar ao que parece ser um condomínio. Minha última visita ali foi em ‘96, mas não caí na água…pena. Em segundo lugar, do outro lado do mundo, a última piscina na qual treinei seriamente, na Universidade do Missouri, em Columbia, que foi exterminada e virou um simples estacionamento na Rollins St, após a construção do sensacional Mizzou Aquatic Center, sede do Missouri Grand Prix de Natação desde 2006.  Apesar do novo centro aquático da alma mater compensar um pouco, acho que nenhuma dessas piscinas teve um fim muito digno… Mas acho que isso lhes dá ainda mais motivo para assombrarem nossa memória. Ah, outro exemplo fantásmagórico vem de Salvador, que viu a piscina ao lado do estádio da Fonte Nova ser demolida em 2010. Havia promessas de que haveria uma reaparição desta finada, mas até agora não tive notícias que algum milagre do tipo tenha ocorrido por lá.

Reconheço também alguns “zumbis” em certas piscinas que estão mortas vivas por aí: Pelo Blog do Coach vejo que a piscina do Castelinho, no Maranhão está em petição de miséria. O Marcelo “Lelo” Menezes tem as seguintes lembranças dessa: “Eu não planejei minha aposentadoria das piscinas. Fui prolongando minhas férias, prolongando, prolongando e quando fiquei 4 meses fora das piscinas cheguei a triste (mas necessária) conclusão que não dava mais pra levar a vida de atleta. Se não me falha a memória minha última competição oficial foi no Maranhão. Competição que guardo boas recordações”. Pena, especialmente num lugar como o Maranhão, imagino que faça muita falta. Outra: Num possível caso cronembergiano de “retorno dos mortos-vivos”, lembrei do Ibirapuera, onde praticamente morei, na época do Projeto Futuro: A piscina do Conjunto Constâncio Vaz Guimarães está em reforma já faz uns 2 anos. Acho que esta piscina voltará da morte sim, pois pelo que ouvi, depois de minha visita com as crianças em Julho passado, a reforma está agora na fase final.  Nessa categoria, deve haver muitos outros exemplos Brasil afora, infelizmente.

Piscina do Golfinho em Curitiba – mato no meio de boas lembranças

(N.do A. O Fernando Magalhães – grande Esmaga –  de Curitiba mandou, após a publicação dest post, uma foto recente da piscina “zumbi” do Golfinho. Suspeitas confirmadas. É triste a foto de uma das piscinas que – apesar de meio fria na minha memória – mais revelou talentos na natação brasileira do passado… adiciono a foto aqui)

Por último, tem a categoria das “marcadas para morrer”: Em Bauru, a piscina em que mais registrei metragem na vida, aparetemente tem os dias contados. Pelo que me diz o amigo “bauruíba” VBJ, já demoliram quadras, umas partes da sede antiga da ALBBe o conjunto aquático da Luso pode ser o próximo a ceder a especulação imobiliária. Tenho boas lembranças de verões ali e de competições/festas aquáticas… Lembro em especial de uma etapa do “Torneio Pernambucanas” que ganhei, com a presença ilustre do Ricardo Prado, como patrono da competição. Bons tempos. Mas o caso mais notório dessa categoria das

Julio DeLamare por enquanto ainda está lá

raias aquáticas prestes a desaparecer, me parece ser o do Parque Aquático Julio DeLamare.  Fundado em 1978 ao lado do Maracanã, o local já viu dias melhores, mas tinha passado por duas reformas de milhões de R$, quando teve sua demolição inicialmente anunciada em 2009, desmentida em 2010 e novamente confirmada recentemente pelo Coach, como parte dos preparativos para a Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016.  No que acredito? Temo que o local vire um estacionamento, assim como a “minha” piscina americana infelizmente… Peguei dois Sul-americanos e meu primeiro metal de Troféu Brasil ali. Considero esta a piscina olímpica mais rápida em que já nadei e sempre sentia uma energia boa em competições perto do “Maracanã”. Um grande número de nadadores do meu tempo (eu me incluo nestes) vê esta piscina como um templo da natação brasileira. Sinto saudades até hoje daquele placar gigante da Omega. Neste caso, mais que em qualquer outro que já vi, a ligação com a futura defunta ladrilhada e o medo da perda está gerando comoção:  Há até uma petição contra a demolição rolando aqui. Eu mesmo já assinei o tal requerimento, mas, honestamente tenho minhas dúvidas da efetividade desses instrumentos para deter o “progresso”. De qualquer forma, estão dizendo que outro parque aquático será construído em São Cristóvão – antes dos jogos. Suspeita-se, contudo, que a cidade do Rio corra o risco de ficar sem boas alternativas de piscina em 2013 (além da piscina do Botafogo), pois o Maria Lenk deve fechar para reformas em breve. Oops.

Claro que este é mais um texto temperado por saudosismo. Obviamente, na medida em que piscinas antigas sejam substituídas rápida e adequadamente por aparelhos mais novos, a notícia é boa para os nadadores de hoje e do futuro. Nesse caso, as despedidas podem até ser parte de um final feliz e um recomeço melhor. Infelizmente, nem sempre é isso que vemos por aqui. Assim, usuários de piscinas públicas e privadas por todo país, às vezes tem que se despedir dos esportes aquáticos prematuramente, deixando, quem sabe, potencial não realizado para trás. Isso me parece não ser apenas história obliterada, mas também um certo desprezo pelo futuro.

Complicadas essas assombrações para um país Olímpico, não?

(imagens do Google Maps e acervo pessoal)

Sobre Rodrigo M. Munhoz

Abrace o Caos... http://abraceocaosdesp.wordpress.com

36 comentários em “Piscinas e Assombrações

  1. Anônimo
    6 de novembro de 2012

    Caro Munhoz
    Poe somar a estas as piscinas à beira-mar de Santos. Tenho clientes na Baixada Santista e passo em frente aos clubes com uma certa frequência e me parece que o Saldanha da Gama e o Vasco da Gama não existem mais. Vou fotografar da próxima vez para certificar, mas creio que somente o Inter está em funcionamento.
    Quanto ao Julio Delamare tenho como esperança o fato de que a o projeto de reforma foi ganho pela Fernandes Arquitetos e, apesar de não conhecer o projeto da empresa do Daniel em detalhes, creio que o fato de ser nadador não deve ter se esquecido do conjunto aquático.
    Parabéns por mais este texto. Está ficando cada vez melhor!

    Avelino Amaral – Abelha

    • rmmunhoz
      6 de novembro de 2012

      Caro Abelha,
      Fiquei sabendo da demolição de piscinas em Santos… a principal delas, é a do Inter e pelo que sei, ainda resistirá. Até quando, não sei. Vai depender da saúde do clube vs especulação imobiliária local… Quanto ao futuro parque aquático carioca, será que algum PEBA poderá ajudar no projeto? 🙂 Abraços!

  2. Pedrazzi
    6 de novembro de 2012

    Grande Munhoz…..realmente me parece que os eventos que iremos sediar até agora não surtiram efeitos quando pensamos em investimentos nas categorias de base de todos os esportes. Vejo apenas muita hipocrisia de nossos governantes e muitas, muitas manobras para que alguns poucos se beneficiem….em relação as demolições com fins imobiliários apenas comprovamos que somos um país sem cultura esportiva (exceto o futebol…talvez) e infelizmente assim continuaremos….é triste escrever isso. Quanto às lembranças são muito boas e bem vindas sempre. Lembro-me desse evento da Luso e, se não me falha a memória, tenho uma foto nossa com o Ricardo Prado (pelo menos me lembro de tê-la – na época era nosso ídolo)…..agora….. que fotinha essa minha heim…..rsrsrs…..grande abraço!

    • rmmunhoz
      6 de novembro de 2012

      Grande Pedrazzi! Não se se as demolições com fins de especulação imobiliária comprovam algo além de o mercado ser altamente dinâmico e sem memória…naturalmente “money talk, BS walks” – como costumavam me dizer. Ainda assim temos o direito de espernear, né?
      Aliás, a tua cidade adotiva – Mococa – tem uma das minhas piscinas favoritas que ainda resiste firmemente e sustenta o Chico Piscina… uma ótima competição que só cresceu!Se achar umas fotos legais manda aí que eu adiciono. Tenho uma foto do Ricardo acendendo uma pira olímpica neste evento de 87, vestindo uma bermuda meio florida e camisa amarela, mas não está tão boa… Abraços!

  3. Marina Cordani
    6 de novembro de 2012

    Também tenho minhas recordações. A piscina do Baby Barione é a que mais traduz minha “carreira” de nadadora. Também sinto nostalgia quando nado na piscina descoberta de 24,80 metros do Paineiras. Foi lá que treinei toda a minha vida, uma vez que a piscina olímpica do Paineiras só ficou pronta quando eu já havia parado de treinar. A piscina olímpica do São Paulo também me traz lembranças queridas: treinávamos lá no verão, por cortesia, para podermos nos acostumar a piscinas longas. Nem sei se ela existe ainda… E eu não gosto muito de modernizações, não: fiquei chateada quando reformaram o vestiário feminino do Paineiras, trocando o piso e principalmente aquelas pias grandalhonas amarelas. Agora não tem mais a cara do meu vestiário da infância e adolescência. É, somos nostálgicos…

    • rmmunhoz
      6 de novembro de 2012

      Oi Marina! Adoro a piscina de 24,8 do CPM – pois além de bonita, faz as séries renderem mais 🙂 ! A piscina do São Paulo ainda está lá, pelo que pude comprovar numa recente visita aos andares mais altos do HI Albert Einstein… Mas não me pareceu muito usada nos dias que a observei. Sabe que nunca nadei ali? Beijos!

    • rcordani
      6 de novembro de 2012

      A “piscina de cima” (o nome dela agora) do CPM é sensacional. É lá que escolho fazer meus treinos quando vou ao CPM.

      A do SPFC era usada pelos paineirenses na era Pancho (antes da olímpica ficar pronta) quando chegava próximo aos brasileiros.

  4. rcordani
    6 de novembro de 2012

    Uma coisa que eu não compreendo na demolição da piscina do Julio Delamare é que a Copa no Maracanã significa APENAS SETE JOGOS de futebol. Precisa de estacionamento para esses sete jogos? Adapta um provisório ali na piscina, com tablados ou rampas, ué. Depois volta ao normal. Não é preciso demolir uma piscina sensacional para fazer um estacionamento para um mês!

    • rmmunhoz
      6 de novembro de 2012

      Bom, Renato… Aparentemente precisa… Talvez não para os jogos da Copa somente (nos quais acho que realmente irá se privilegiar o transporte coletivo, sendo o estacionamento apenas para os VVIPs), mas para todo o futuro do empreendimento que passa a ser privado. De qualquer maneira, o meu palpite de “estacionamento” é apenas uma especulação, baseada em declarações passadas e a posição do parque aquático. Qualquer que seja o fim daquele espaço, será um triste fim para uma bela e importnate piscina para os moradores da região e toda a comunidade aquática. Abraços!

  5. Eduardo Hoffmann
    6 de novembro de 2012

    O problema com essa petição contra a demolição do Parque Aquático Julio DeLamare é ter amarrado essa nobre causa, à “não privatização do Complexo do Maracanã”. Sou contra a demolição, mas, não necessariamente (depende de como for feita), contra a privatização do Complexo do Maracanã… São duas coisas separadas… Pode-se privatizar o Complexo, ao mesmo tempo, impedindo a demolição… Há duas “agendas” nessa petição, e, parece-me que a “agenda anti-privatização” está tentando pegar uma carona na “agenda da preservação” de uma piscina fundamental para a natação Brasileira.

    Quanto ao estacionamento durante a Copa, realmente, é uma piada… que façam como na Formula 1: bolsões de estacionamento localizados mais longe, com transporte via “shuttle” de ônibus… indo e voltando… Por que precisam alguns poucos estacionar ao lado do estádio? Os VIPs podem ir de helicóptero (se já não existe, é facil fazer um heliponto ali perto…).

    Ou seja: se demolirem, vai ser uma vergonha a mais…. “como nunca antes neste país”…

    Ordem e Progresso: Prá Frente Brasil, Salve a Seleção! E dane-se a natação…

    • rmmunhoz
      6 de novembro de 2012

      Oi Hoffmann! É verdade sobre a petição… não tenho certeza que associar a preservação da piscina a privatização do complexo faça sentido, apesar de achar que o tal aluguel de $7M / ano meio baixo. Inclusive, se privatizar de maneira diferente for o caminho para manter a piscina (não deve ser, pois um aparelho desses não dá lucro), eu apoiaria também.
      Como já falei ali em cima pro Renato, sobre parking: Acho (espero) que veremos esquemas de transporte público na Copa sim, simplesmente porque se locomover de carro no Rio (ou qualquer metrópole brazuca) em dia de grandes eventos é simplesmente inviável – quem foi a grandes shows no Rio ultimamente pode depor.

      • Eduardo Hoffmann
        6 de novembro de 2012

        Não sei os detalhes do modelo de privatização, mas, os $7M devem ser somente o pagamento anual… Deve haver também um “jumbo payment”, “na frente”, que será objeto de leilão… A taxa de retorno é derivada dessa combinação (mais as receitas, etc…). Se aumentar o aluguel, cai o valor da outorga… e os caras querem dar prioridade para arrecadação durante o seu prório mandato… e não nos seguintes… pra gastar mais… bem no modelo habitual de gestão da “coisa pública”…

        É verdade que o parque aquático não dá lucro, mas, esse deficit poderia ser “parte do preço” a ser pago, para obter as receitas com o estádio e o ginásio (acho que esse não vão demolir). Ou seja, os déficits do Julio DeLamare e do Célio de Barros poderiam ser “compensados” com lances mais baixos no leilão.

        No limite, poderiam privatizar somente o estádio e o ginásio, mantendo os equipamentos de atletismo e natação públicos…

        Dá pra modelar a coisa de várias formas… mas parece que alguém “quer MESMO” demolir… pelo andar da carruagem…

  6. Iara Scarpelli
    6 de novembro de 2012

    Paulista de nascimento agora no Paraná , por aqui temos o caso da piscina do clube do golfinho , muito triste e abandonada , uma piscina que foi construída com muito amor , pelos pais da natação .
    Complementando o Eduardo , acho que não só a natação , mas danem-se a maioria dos esportes aqui praticados , muito triste!

    • rmmunhoz
      6 de novembro de 2012

      Oi Iara. Com tristeza, ouvi falar do abandono da piscina do Golfinho – que gostava muito, apesar de sempre meio fria – mas não achei comprovação documental nem fotos. Se tiver algo me manda? Beijo!

      • Fernando Cunha Magalhães
        6 de novembro de 2012

        Baixei foto recente da piscina do Golfinho da página do FB dos Ex-nadadores do Curitibano e Golfinho 70/80. Como não consegui anexar aqui, te mandei por email. Você não vai acreditar.

      • rmmunhoz
        7 de novembro de 2012

        Esmaga, acabo de ver a foto – talvez a mais chocante de todas piscinas zumbis até agora… Triste mesmo! Vou adicionar ao post, obrigado!

  7. Alvaro Pires
    6 de novembro de 2012

    Engracado q a piscina do Flamengo q eh horrivel tah lah ateh hj. hehe .Tinha um placar eletronico bem grande atras dela q um dia ha muito tempo atras caiu e feriu algumas pessoas. Tem um projeto p melhora-la q ainda nao saiu do papel mas deve sair ateh 2016. Sobre as piscinas daqui alem da beleza do Botafogo as piscinas do Vasco e do Flu sao muito boas na minha opiniao. Agora a do JD sempre foi imbativel, Nadavamos durante o ano nas outras piscinas esperando os cariocas e brasileiros q eram quase sempre lah. Uma pena derrubarem.
    Vc citou 2 outras piscinas q estao vivas na minha memoria : a do Maranhao e da Fonte Nova. Em 1988 fomos eu, Veirano, Pedro e Berendonk p o Tancredo Neves na fonte Nova sem tecnico,nem apoio do clube e pagando bolso (o Flamengo nao queria mandar ninguem !). O Braune foi c o pai e ficou em outro lugar. Os resultados nao importavam nada, a diversao foi grande. Pegavamos carona nos onibus dos clubes p ir e voltar da competicao e quase nao descansavamos. Viajar c 16/17 anos p a Bahia s tecnico eh mastercard !!! Tive dois 5os lugares nos 50 e 100 L e quem ficou em 4o na duas provas foi um ilustre desconhecido p mim ateh entao, um tal de Gustavo Borges do Sao Carlos Clube. P completar a alegria, chegamos na 2a feira e na 3a fui c o Berendonk p o Jebs do Maranhao. 2 semanas magicas. Nesse Jebs SP nao mandou equipe o q fez c q o Rio ganhasse tudo lah. Voltamos c o pescoco pesado das medalhas, c as costas completamente queimadas de sol e extenuados de tanta curticao. Boas memorias.
    ab

    • rmmunhoz
      6 de novembro de 2012

      O Flamengo tá podendo, né Alvaro? he he . Dessa lembro que era bem rasa… Das piscinas do Botafogo (talvez a piscina urbana com a vista mais bonita no país) e do Flu lembro bem de ir a competições mirins, acompanhado da minha mãe. Conheci a piscina do Vasco mais tarde, nadando Master, e achei boa mesmo – bem lembrado. Mas como vc bem disse: O JD é imbatível! Abração!

      • Alvaro Pires
        6 de novembro de 2012

        Faltou da piscina da gama piedade q ainda estah lah mas a qq momento pode nao estar mais vide o estado atual dela.

      • rmmunhoz
        6 de novembro de 2012

        A Piedade pra mim era quase o oposto da piscina do Botafogo… o lugar era meio esquisito… treinei lá por uns meses quando a piscina da Taquara estava sendo consertada. Mas a ppiscina era boa. No Flu, apesar da fama, nunca nadei muito bem, mas gostava de competições lá. Quanto as fotos de infância – acho que nesta época nossos pais tiram mais fotos nossas e quando ficamos “por conta própria” muitas vezes esqucíamos da máquina ou não fotografávamos… Abraços!

      • Alvaro Pires
        7 de novembro de 2012

        Agora ha pouco passei pela cidade de deus e nao vi o Bandeirantes, Na parte de tras vi um cond residencial. Nao teve como nao lembrar do post. Eh bastante provavel q aquela piscina dos brasileiros de inverno tenha ido pro saco tb.

      • rmmunhoz
        7 de novembro de 2012

        Caracas…pode ser impressão errada da minha parte, mas parece que o Rio tem menos piscinas de 50m hoje do que no fim dos anos 90 hein? Espero que seja apenas minha percepção, obviamente enviesada e desatualizada.

    • rcordani
      6 de novembro de 2012

      A do Flu era (é) tida por ser rápida, a seletiva para Seul foi lá e se não me engano para Atlanta também.

      • Lelo Menezes
        6 de novembro de 2012

        Atlanta foi no JD! Nadei sozinho os 200m peito “tentando” um índice impossível! Nao sei bem porque mas fiquei constrangido nadando sozinho! Já no Flu foi a seletiva de 92, a piscina podia até ser rápida mas eu tenho péssimas recordações!

  8. Alvaro Pires
    6 de novembro de 2012

    Teve uma seletiva p o pan de 1991 q serviu tb p aquela Universiade. Acho excelente a piscina e tenho um carinho especial tb pq entrei na equipe mirim do Flu c 6 anos. Me lembro bem dos festivais de final de ano lah. Engracado q dessa epoca tenho fotos e de muitas outras epocas nao tenho.

  9. Lelo Menezes
    6 de novembro de 2012

    Munhoz, muito bacana o texto! Me trouxe muitas lembranças. Pra mim o JD é a piscina que me traz melhores recordações e como você mesmo disse, uma piscina com uma energia sem igual! Me lembro de ter ficado a observando por muito tempo uns dois dias antes do Troféu Júlio Delamare de 1989. Ela estava “parada”, nenhum nadador ali. Fiquei ali sentindo a energia com uma certeza estranha de que aquela seria minha melhor competição. Ali ganhei o JD. Ali ganhei o TB. Foi ali que o Cidão, com você ao lado, me informou da convocação para o sulamericano juvenil e eu não acreditei. Precisei da confirmação do William. Enfim, foi ali que muita coisa aconteceu! Uma lastima a demolição!

    • rmmunhoz
      7 de novembro de 2012

      Eu curtia aquela primeira caída na água do JD (geralmente a água estava boa) polido e raspado. Nesse momento tudo era possível. Soltar na piscininha depois de uma boa prova e ir torcer pelos amigos também traz boas recordações… Abraços!
      Note que ainda não demoliram nada… Talvez possamos agendar uma ida ao Rio para um último 50 peito no JD, que tal? Só neste fórum já reuniríamos uns 8 fácil …E tem até outros que talvez queiram nadar provas mais longas ali, lembrando os velhos tempos…quem sabe? Depois quem perder paga o chopp pra acompanhar o sanduiche de tender com abacaxi no Cervantes de Copacabana, que tal? Abraços!

  10. mpacheco1
    7 de novembro de 2012

    A do Maracana vai deixar saudades, ate nos PEBAS! Era sensacional aquele complexo todo.

    • rmmunhoz
      7 de novembro de 2012

      PEBA também tem saudades, Pachecão! Mande notícias de HK pros Epicurstas… abraços!

  11. ruy araujo
    13 de novembro de 2012

    Acho que por enquanto estou dando sorte em relacao a piscina da AESJ. Me parece que ainda esta por la e um pouco melhor do que na epoca que treinava. Dia desses estava passando um jogo de basketball na quadra da AESJ o qual assisti quase escorrendo uma lagrima ao relembrar do ginasio que faziamos as corridas, da sala de musculacao no alto ao fundo e ate dos shows memoraveis que assisti ali. Prestei pouca atencao ao jogo e foquei nos detalhes da quadra e arquibancada.
    Foi nessa quadra, inclusive, que comecou a saga da dupla de basketball do interior Kiko (Ruy) e Tarzan (Amendoim para os mais novos) que era praticamente imbativel e dava pau direto nas duplas da capital com destaque (negativo) para a dupla Renato e Charlao.

    • Rodrigo Munhoz
      14 de novembro de 2012

      Boa Rrrruy! Os Josuíbas não podem abrir mão dessa outra piscina histórica que revelou grandes talentos desde a década de 70, certo? … Quanto ao basquete.. deixa pra lá… abraços!.

  12. Pingback: Obrigado por tudo, Coaracy…. | Epichurus

  13. Pingback: Piscina do JD: as lembranças ninguém pode nos tirar! | Epichurus

  14. Pingback: Retrospectiva de um ano de Epichurus | Epichurus

  15. Pingback: Sobre piscinas e “piscinas”. « Epichurus

  16. Pingback: Ibirapuera Renasce – Imagens do Troféu Maria Lenk Dia 1 « Epichurus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 6 de novembro de 2012 por em "Causos" fora d'agua, Epicuro, Natação.
Follow Epichurus on WordPress.com
novembro 2012
S T Q Q S S D
« out   dez »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
%d blogueiros gostam disto: