Epichurus

Natação e cia…

Jorge Fernandes no Hall da Fama

Pode ter passado despercebido de muitos pois aconteceu no feriado, mas agora deu no Epichurus e é oficial: Jorge Fernandes é o novo membro do Hall da Fama da Natação Brasileira.

A homenagem foi entregue pelo membro do HFNB Aecio Amaral, neste último sábado 31/10 no Campeonato Brasileiro Master de Natação que foi no Botafogo, durante a prova de 100m Livre, prova essa que Jorge dominou no Brasil desde seu primeiro recorde em 1979 até 1990 quando o Manú o bateu. O Ricardo Sodré fotografou a homenagem, e quando (se) ele mandar as fotos eu posto aqui veja as fotos abaixo.

Jorge Fernandes é o sexto membro do seleto Hall, que já contava com Tetsuo Okamoto, Piedade Coutinho, Manoel dos Santos, Djan Madruga e José Sylvio Fiolo. Para ver o post do Jorge Fernandes no Hall da Fama clique aí mesmo nesse link. (detalhe: o post do HFNB é de minha autoria, tive o prazer e a honra de escrevê-lo).

Deixei aqui para o Epichurus uma pérola, um curto vídeo (1m39s) com a entrevista de Jorge, Cyro e Ronald Menezes na Band logo após baterem o recorde sulamericano do 4x100m Livre em Los Angeles (1984) mas ficando de fora da final olímpica (*). No filme dá para ver a saída e uma parte do nado de abertura (Cyro), na raia 1 (em cima no vídeo). É possível também ver o Luiz Carvalho (Chicão) atrás do Jorge logo no início da entrevista.

(*) aliás, esse é aquele revezamento para o qual não convocaram o Battisti, lembram?

Para ilustrar o post do HFNB eu tive que garimpar fotos na web e no facebook, já que o miserável do homenageado ficou de arrumar material e não arrumou (teve motivo legítimo, no entanto…).

E as que acabaram ficando de fora do post, posto agora.

Boa surpresa, o Ronald Menezes deixou um comentário lá no Hall da Fama, confira.

Por fim: meus parabéns Jorge, você merece!

Sobre rcordani

Palmeirense, geofísico e nadador master peba.

15 comentários em “Jorge Fernandes no Hall da Fama

  1. Julio Rebollal
    5 de novembro de 2015

    Mais que merecida a inslusão do Jorge no Hall da Fama.

    Parabéns Jorge!

  2. DJAN MADRUGA
    9 de novembro de 2015

    Uma honra ter participado de varios revezamentos com o Jorge Fernandes, tecnicamente ele sempre foi uma seguranca para nos em qualquer posicao que nadasse, e pessoalmente um amigo que era muito tranquilo estando sempre solicito para ajudar qualquer companheiro de equipe em necessidade. Merecida homenagem essa do Epichurus, parabens Jorjoca voce nadou demais!

  3. Jorge Fernandes
    9 de novembro de 2015

    bom… antes de mais nada, muitíssimo obrigado pela homenagem… e desculpas pela demora em escrever, mas, nestes últimos dias, pude pensar um pouco mais sobre a homenagem, e achei que um simples obrigado pela lembrança e homenagem não bastaria, portanto aqui vai (kkkkkkk):

    Mesmo sendo uma modalidade 99% individual nas competições, nada fazemos ou somos sem uma equipe (técnicos e companheiros nadadores) junto. Normalmente sou uma pessoa que não se apega muito ao passado, mas lendo uma postagem de minha esposa no FB, parei e comecei a pensar mais sobre meu passado de atleta, e o que eu fiz…

    Comecei me perguntando: o que eu fiz como nadador ?

    Os resultados a nível de tempos obtidos (ora bons, ora ruins) são meramente parametros para que possamos nos superar, e que outros nos superem;

    Os resultados a nível de colocação (resultados de finais) são meramente uma celebração do esforço naquele momento, tendo ele sido bom ou ruim;

    Fiquei me remoendo, tentando ter 1/10 da memória prodigiosa do Esmaga, para achar algo que tenha feito de bom…

    De repente, me pego pensando em diversos flashes sempre na piscina:
    – dividindo raia de corda com mais 6 ou 7 em meu início na natação, numa piscina de 25m no Tijuca;
    – treinos em água gelada ainda no TTC, e já na piscina de 50m, com todo mundo querendo ser o último pois achavamos que assim sentiriamos menos frio;
    – a mudança de estilo e de provas devido a tendinite com 11 anos;
    – alegria da conquistas dos primeiros títulos e campeonatos, primeira viagem internacional, primeira seleção adulta, primeira Olimpíada, etc;

    Perco um pouco mais de tempo relembrando, eu com bem mais idade e me vejo dando tiros de velocidade com atletas muito mais novos que eu, sempre envolvendo alguma aposta básica, e depois conversando com eles sobre como melhorar uma saída, uma virada, comportamento dentro de uma prova, preparação para provas, aí a conversa evolui para experiencias vividas muito tempo antes deles e eu ali compartilhando, rindo, etc…

    E o que tem o que minha esposa escreveu ?

    Nesse momento que escrevo, tudo, pois sempre ouvimos dizer que não devemos viver do passado… mas o que trazemos ou aproveitamos da vida senão momentos inesquecíveis que tivemos no passado, tendo a felicidade de ter podido compartilhar minha vida de atleta tanto com todos os companheiros de equipe, bem como os adversários (nas provas). Sem VOCES, eu seria simplesmente mensurado pelos tempos obtidos e pelas colocações alcançadas. A convivencia com voces e sua amizade me tornaram algo mais.

    E é exatamente nesse momento, revivendo na memória esses momentos felizes, que me dou conta que acho que fiz alguma coisa como nadador.

    Então, gostaria de agradecer aos Epichurianos (e também aos não-Epichurianos) pela homenagem, mas principalmente por terem me permitido compartilhar da amizade de voces.

    Um fraternal e caloroso abraço no coração de todos voces.

    Jorge Fernandes.

    • rcordani
      9 de novembro de 2015

      Obrigado pelo comentário Jorge, e pode corrigir o que estiver errado lá…

      Quanto a “não devemos viver do passado”, claro que não, mas relembrá-lo e refletir sobre ele é sempre bom para nosso presente e futuro, não é mesmo?

      Grande abraço

    • Luiz F Carvalho
      11 de novembro de 2015

      Grande Jorge, parabens pela justa homenagem. Lindo texto. Nao sabia que voce era bom com as palavras tambem! Foi um prazer enorme poder conhece-lo cedo na vida e ter visto a sua transformacao no grande campeao que voce foi. Abraco! Chico

      • Jorge Fernandes
        12 de novembro de 2015

        Chicão… grande parceiro de seleção desde Arica/75… kkk … lembra ?
        O mais gostoso de tudo tem sido aos poucos reencontrar velhos companheiros de natação e saber que estão bem (principalmente de saúde)…
        Foi um privilégio ter podido compartilhar da convivencia com todos, sem exceção…
        E melhor ainda conseguir manter a amizade…
        Abraços.
        Jorge.

  4. Fernando Cunha Magalhães
    17 de novembro de 2015

    Já me inspirei para contar como foi ver o Jorge pessoalmente pela primeira vez no post sobre o meu primeiro Julio de Lamare, em que ele não competia mais, pois já era sênior:

    Uma grata surpresa foi a presença de Jorge Fernandes treinando no aquecimento do sábado à tarde. O Epichurus já tratou em outros posts da importância do ídolo como referência para o desenvolvimento de jovens atletas.

    042-001Jorge Luiz Leite Fernandes foi um dos grandes ídolos na minha geração. Em janeiro de 83 ele já era medalhista olímpico, após abrir o revezamento que conquistou o bronze em Moscou. Havia um ano que quebrara os recordes brasileiros absolutos dos 100m e dos 200m livre no Troféu Brasil, com 51s21 e 1m51s33. Lembro-me de assistir a notícia e imagens no Globo Esporte. As marcas que permaneceram até 1990 quando Emanuel Nascimento e Cristiano Michelena, respectivamente, quebraram esses recordes.

    Jorge é um cara grande, estava no auge da forma física na preparação para o Troféu Brasil e Pan de Caracas. Imaginem a percepção de um garoto de 13 anos, ainda franzino, ao ver um ídolo. Foi o máximo!

    Fiquei observando a natação dele. O treino incluiu alguns tiros de 25 metros. “Dalty…”, gritava de cima da baliza para chamar o saudoso Daltely Guimarães que dividia a atenção com outros atletas. “25” – gritava Jorge. Dalty levantava a mão direita mostrando o cronômetro, sinal que a saída estava liberada e lá ia Jorge para um novo tiro.

    Anos depois, tive a satisfação de integrar a Seleção Brasileira que foi a Copa Latina de 89, em Nice, na França e participar de outras duas viagens internacionais proporcionadas pelo Projeto Mesbla de natação, em 88, para o Sundown Swim to Seoul em Mission Bay, na Florida e para uma semana de treinos na University of Texas, sede dos Longhorns em Austin junto com Jorge. Foi uma grande realização.

    São memórias inesquecíveis. Um grande prazer ter convivido com esse grande campeão. É um orgulho ser seu amigo. Parabéns Jorge!!!

  5. Tite Clausi
    17 de novembro de 2015

    Grande Jorge Fernandes. Um cara sensacional. Um monstro dentro da agua. Pude desfrutar de varios momentos com ele em varias competições. Boas lembranças. E poder reencontra-lo as margens da piscina do Botafogo, um pouco antes de eu nadar os 100 livre a alguns dias atras foi muito agradável. Parabens pelo reconhecimento muito mais que merecido. Grande abraço a todos!!

  6. Cristiano Michelena
    15 de março de 2016

    Grande Jorge!
    Puro sangue.
    Isso merece um puro malte pra celebrar!

  7. Pingback: A despedida | Epichurus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Follow Epichurus on WordPress.com
novembro 2015
S T Q Q S S D
« out   dez »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  
%d blogueiros gostam disto: