Epichurus

Natação e cia…

O acervo da Família Michelena

É época de Natal e o Epichurus recebe um grande presente

Há algumas semanas recebi uma ligação de Felipe Michelena, mais um amigo e leitor que celebra a oportunidade de reviver as histórias dos tempos da natação: Maga! – disse ele com seu entusiasmo tradicional – a hora que você tiver um tempinho, passa aqui no escritório. Eu tenho muito material e está tudo bem organizadinho. Você pode aproveitar muito para o blog.

A parte da Família Michelena da minha geração é composta por 5 irmãos: Daniela, Felipe, Cristiano, Leonardo e Gustavo.  Os pais dessa turma toda são o Luiz Fernando e a Magda, casal que finzinho da década de 70 transferiu-se de Porto Alegre para Curitiba em busca da prosperidade. Magda foi uma ótima nadadora – campeã sulamericana na década de 60. Os filhos mais velhos começaram a nadar ainda em Porto Alegre no Grêmio Náutico União e chegando a Curitiba foram treinar no Clube do Golfinho.

Felipe foi o primeiro a repetir o feito da mãe. Especialista na prova de 200m peito foi campeão, recordista e melhor índice técnico no Campeonato Sulamericano de 1985 em Rosário na Argentina.

Outro peitista é o Leonardo, que foi vice-campeão brasileiro. A Dani era especialista nas provas de borboleta e o Guto nas de crawl.

O Cristiano, conhecido como Castor, foi além. Tornou-se um atleta extraordinário, ícone da nossa geração. Participou dos Jogos Olímpicos de Seoul e Barcelona, conquistou medalhas nos Jogos Panamericanos de Indianápolis e em etapas da Copa do Mundo, ganhou 8 medalhas de ouro no Troféu Brasil de 1988, vencendo as provas do nado livre dos 100m aos 1500m, um grande colecionador de títulos e recordes duradouros.

Magda, filhos e a amiga Roberta Storelli reunidos em Barcelona para torcer pelo Olímpico Castor.

Magda, filhos e a amiga Roberta Storelli reunidos em Barcelona para torcer pelo Olímpico Castor.

Quando cheguei ao escritório da Michelena Climatização, instalado na antiga residência da família, tive ótimas lembranças das várias festas que fui convidado. Fui surpreendido pelo trabalho que o Felipe e Dani fizeram com as lembranças esportivas da família. Há uma estante com os principais troféus e objetos mais marcantes da trajetória de cada um e uma caixa com as principais medalhas. Os recortes de jornal foram fotocopiados para não perder qualidade e arquivados, folha por folha, dentro de plásticos em três pastas. Há mais de 20 fitas VHS com as imagens de competições e reportagens, grande parte dele gerado pelo Sr Artur*, pai da Mirian (Miquim), outra grande campeã que defendia o Clube do Golfinho. Além disso, há uma mala com uniformes , cuidadosamente lavados e passados, muitos outros objetos e correspondências, incluindo telegrama de felicitações do Presidente da República.

*Sr Artur é daqueles abnegados que ao invés de curtir as competições batendo papo nas arquibancadas e eventualmente filmar as provas da filha, preferia colocar a filmadora nos ombros, subir num banco na lateral da piscina e passar horas registrando as provas de todos.

O Castor já havia dito e o Felipe confirmou que na casa da Magda, ainda tem uma caixa com os programas de provas das competições que participaram.

Fiquei encantado com aquilo tudo. Colocamos o material em cima da mesa e fizemos uma foto da entrega. Cumpri a risca a solicitação do Felipe de ir direto para casa, sem estacionar o carro em lugar nenhum no caminho e sinto-me recompensado pelo privilégio de ter a confiança e a amizade de pessoas tão queridas e a oportunidade de enriquecer publicações futuras de boas histórias que tenho para contar aos leitores do Epichurus.

Momento registrado! foto: Leonardo Michelena

Momento registrado! foto: Leonardo Michelena

Desejo a Família Michelena e aos leitores, que as festas de fim de ano sejam celebradas com um profundo sentimento de amor  e proporcionem momentos marcantes.

Muito obrigado pela companhia, leitura e comentários em 2013.

Forte abraço a todos,

Fernando Magalhães

Sobre Fernando Cunha Magalhães

Foi bi-campeão dos 50m livre no Troféu Brasil (87 e 89). Recordista brasileiro absoluto dos 100m livre e recordista sulamericano absoluto dos 4x100m livre. Competiu pelo Clube Curitibano (78 a 90) e pelo Pinheiros/SP (91 a 95). Defendeu o Brasil em duas Copas Latinas. Foi recordista sulamericano master. É conselheiro do Clube Curitibano.

31 comentários em “O acervo da Família Michelena

  1. rcordani
    16 de dezembro de 2013

    Ótima notícia para o Epichurus!

    O Castor é bi-olímpico e quase todo mundo conhece seus feitos, que imagino receberão detalhes magalhãnicos. Quanto ao Felipe, tem a minha idade e assombrou a natação brasileira com a vitória inesperada no JD em 1984 e com o assombroso 2:29 de 1985. Lembro da torcida do Golfinho vibrando com a surpreendente arrancada nos 200 Peito do JD de 1984 e gritando alucinadamente: Pipinho..Pipinho!

    Ansioso pelos posts vindouros!

    • caleope
      16 de dezembro de 2013

      Cordani, obrigado por estas memórias! foram bons momentos, quando achei as 20 fitas de vídeo, montei uma televisão e um vídeo de forma improvisada peguei uma das fitas aleatoriamente e nos primeiros 10 minutos apareceu esta prova no clube do golfinho, me lembro cada braçada desta prova, e da torcida! valeu, um grande abraço!

      • Cristiano Michelena
        16 de dezembro de 2013

        Grande caleope! Me pergunto como saiu esse tal de caleope…
        Show maga… Esse é o espírito!

        Super abraço aos meus manos e mana (resíduo gauchesco da familia) 🙂

      • rcordani
        17 de dezembro de 2013

        Hehe, “Caleope”, eu estava nessa final de 1985, acho que na raia 2, fiquei em quinto!

        Abraços!

    • Fernando Cunha Magalhães
      16 de dezembro de 2013

      É, o Felipe detonou nessas provas… do Pipinho, eu não lembrava.

  2. Viviane Motti
    16 de dezembro de 2013

    O Michelena(Cristiano )foi meu primeiro ídolo “nacional ” minha lembrança inicial foi em um Brasileiro Indantil em Vitória 84.era meu segundo brasileiro.nessa data tirei uma foto com ele que infelizmente não tenho mais para postar.ele todo tímido e eu é mais 2 da minha equipe pedindo para tirar essa foto.Aguardo mais histórias !!

    • Cristiano Michelena
      16 de dezembro de 2013

      Oi Vivi…
      Lembrança boa 84. Foi minha primeira super performance depois de ser PEBA.
      Agora… Honra saber que você estava entre as meninas que pediram foto… Na real acho que foram as únicas três.
      Beijo Enorme.
      Castor

    • Fernando Cunha Magalhães
      16 de dezembro de 2013

      Ídolo desde o infantil B… esse Castorzinho é demais!
      Vivi, acha essa foto!

  3. Rogério Romero
    16 de dezembro de 2013

    Esmaga + vasta coletânea = vários posts históricos.

    Não há como descrever como esta família (bem como as demais) me receberam em Curitiba. Minha eterna gratidão.

    A lembrança mais vivida que tenho é da prata do Pan de Indianapolis. Com seu 3:55 negativo, Castor pulou várias etapas e praticamente garantiu sua primeira vaga olímpica.

    • caleope
      16 de dezembro de 2013

      ô Piu! Grande Piu!
      saudadi d’oce sô!
      Não desisti de visitar você, gostaria muito de me encontrar com você um dia desses!
      grande Abraço

      • Rogério Aoki Romero (@rogeromero)
        16 de dezembro de 2013

        Aaaacho que isso é bullying com uzmineirin da gema.
        Passando em Belzonte, não deixe de me procurar.
        Abraço.

    • Cristiano Michelena
      16 de dezembro de 2013

      Boa Piu…
      Falta você escrever uns posts das primeiras participações do Brasil na copa do mundo de curta.
      Altos contos em Dezenzano del Guarda e Montreal.
      Abraço forte!

      • Rogério Aoki Romero (@rogeromero)
        16 de dezembro de 2013

        Tem certeza?? Aqueles que você vazia um barulho estranho com a boca enquanto dormia? Fiz terapia até pouco tempo atrás por conta disso.
        Grande abraccio.

    • Fernando Cunha Magalhães
      16 de dezembro de 2013

      Esse “pulou vários degraus” foi assim:
      JD em dezembro 4:04 (batendo um recorde que era 4:10) ou seja, já foi um absurdo.
      Seletiva (Interfederativo) em maio 4:01.
      Eliminatória PAN em julho 3:59 (onde esse menino vai parar?)
      Final PAN no mesmo dia 3:55 e prata no peito.
      Foi INACREDITÁVEL!

  4. felipe
    16 de dezembro de 2013

    Maga,

    Além de todas estas boas recordações o grande prêmio que a natação nos proporcionou foram os amigos, uma lista enorme de amigos, e você sempre presente! muito obrigado por estar sempre lembrando a todos o quanto tudo valeu a pena. É um privilégio ter a sua amizade. Um grande Abraço!

    • Fernando Cunha Magalhães
      16 de dezembro de 2013

      Felipe,
      obrigado por tudo: lembrança, disponibilização do acervo, comentário, ligação, carinho e AMIZADE!

  5. Rodrigo Munhoz
    16 de dezembro de 2013

    Boa Esmaga! Esse achado deve ser um tesouro! Bons tempos e grande familia Michelena! Saudades abrtz!

    • Fernando Cunha Magalhães
      16 de dezembro de 2013

      Sim Munhoz, é!

  6. LAM
    16 de dezembro de 2013

    Ôba, vai ter muito da natação paranaense neste blog daqui prá frente…
    Apesar do material ter sido fornecido por um dos meus mais terríveis adversários 😉

    • Fernando Cunha Magalhães
      16 de dezembro de 2013

      Muito legal, né, LAM… expectativa de vc aparecer em várias provas.

  7. Leonardo Michelena
    16 de dezembro de 2013

    Legal Maga! Obrigado pela homenagem! Que esse acervo contribua no trabalho do Epichurus. Abraços a tantos e grandes amigos da natação!!!

    • Fernando Cunha Magalhães
      16 de dezembro de 2013

      Um grande prazer, Léo… vocês são sensacionais!
      Forte abraço.

  8. Marina Bonk Palma
    16 de dezembro de 2013

    Boas lembranças a natação paranaense teve seus grandes tempos de glória com diversos atletas especiais e talentosos!

    • Fernando Cunha Magalhães
      16 de dezembro de 2013

      Ester Marina?
      Que bom vc por aqui!

  9. Sidney N
    17 de dezembro de 2013

    Que presentão mesmo! Belo post, Esmaga, e, por tabela, excelente homenagem à grande natação paranaense. Seria legal também ver aqui no Epichurus outras histórias de famílias aquáticas proeminentes. Abraços.

    • Fernando Cunha Magalhães
      17 de dezembro de 2013

      Sem dúvida um belo tema Sydney, obrigado.

  10. Pingback: Até 2014. « Epichurus

  11. Miriam Cristina Artur Borcath
    29 de janeiro de 2014

    Puxa Smaga cada coisa legal que tem por aqui, parabéns pela sua memória, pelo seu esforço de manter tantas histórias ainda vivas. Obrigada pela citação carinhosa de meu pai, ele realmente fazia porque gostava. Me permita copiar a sua citação a ele no face. Íncrivel o acervo Michelena, parabéns.

    • Fernando Cunha Magalhães
      30 de janeiro de 2014

      Eu adoro fazer isso, Miquim.
      Gostaria de fazer mais ainda, mas o tempo é sempre curto.
      Fico feliz que tenha gostado e não só pode copiar como conto com sua divulgação para que mais pessoas venham ler e comentar.

  12. Pingback: Vinte e seis anos em um dia: de Jorge para Cristiano para Gustavo. « Epichurus

  13. Pingback: O inacreditável Castor (16) no Pan de Indianápolis | Epichurus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Follow Epichurus on WordPress.com
dezembro 2013
S T Q Q S S D
« nov   jan »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
%d blogueiros gostam disto: