Epichurus

Natação e cia…

Epicuro e a Confusão do Natal (Alerta Piegas em Vegas)

O fim de ano que se aproxima me fez pensar que nosso querido Epicuro provavelmente ficaria totalmente desbaratinado com as festas Natalinas contemporâneas. Por um lado, ele talvez ficasse até contente de ver que – a pretexto de uma comemoração religiosa em família – tantos encontros, festas e banquetes aconteçam nesta época do ano. Mas acho que ele se preocuparia muito com os exageros consumistas e o estresse gerado pelos compromissos assumidos voluntaria ou involuntariamente por tantos.

Las Vegas Strip vista do Drai's Night Club

Las Vegas Strip vista do Drai’s Night Club

Para mim, nesses últimos anos tem sido sempre a mesma coisa:  No mês de Dezembro, após o término do ano fiscal, a empresa onde trabalho promove sua convenção mundial na cidade de Las Vegas. Enfiamos 3000 pessoas sempre no mesmo luxuoso hotel/cassino, e por uma semana, conhecemos os resultados finais do ano que passou e somos apresentados aos planos para o novo ano fiscal. A coisa é legal, mas a agenda não é fácil: Geralmente o dia inicia com reunião no café da manhã as 7:00,  seguida de palestras o dia todo, com mais reuniões ocasionais no fim da tarde e jantar. Para aqueles que não estão tão atrasados com emails (negócios, assim como Vegas, não param), ainda tem os shows, cassinos, stands de tiro, parques de diversão, lutas, shoppings e baladas. Um lance 24/7 de verdade para quem está bem disposto.

... mas elas não servem nem pra polimento!

… mas elas não servem nem pra polimento!

Eles fazem propaganda das piscinas...

Eles fazem propaganda das piscinas…

Apesar das grandes atrações culturais e gastronômicas de Vegas, admito que não sou um grande fã da cidade… Chego no fim de todo dia de conferencia bem cansado e sem ânimo de sair para festa. Tô ficando velho, como já me apontaram algumas vezes. Além disso, as piscinas dos hoteis, são em geral ruins para nadar – o que inclusive não ajudou muito no “polimento” para enfrentar o Renato no derradeiro tiro de 1500m do ano… O resultado foi: Renato: 19’22, e eu: 20’45 – i.e. tomei 100 m…feio mesmo para um PEBA como eu.

Las Vegas me lembra um pouco um “laboratório” experimental para o teste de todos vícios humanos. Tudo muito intressante, mas fica um pouco deprimente depois de alguns dias. Neste ano, porém, talvez mais alerta do que de costume, notei que a “Sin City” pode (de uma maneira torta e colocando a promiscuidade de lado) servir como um lembrete de um “espírito natalino” que o Epicuro não conheceu, mas talvez aprovasse…

O que dizer de um pequeno entreposto de abastecimento de caravanas a caminho do Oeste, posteriormente usado e abandonado pelos Mormons e refundado no início do século XX com 25 colonos e que hoje tem quase 600 mil habitantes? As redondezas de Las Vegas levaram Nevada a ser o estado que mais cresce nos EUA pós-recessão, de acordo com o Censo 2010. Palavras como força de vontade, perseverança e até “fé” me vem a cabeça. Gente de coragem “apostou” no começo dessa história,,,

Circunstancialmente, notei que algo do espírito natalino também está presente nas pontes de pedestre que cruzei sobre a Las Vegas Blvd (aka “The Strip”): Mendigos, pessoas sem teto, veteranos de guerra, músicos pobres e bebuns de todo tipo ficam nas passagens mais movimentadas da cidade com sinais de papelão que pedem de tudo: Desde “Qualquer coisa ajuda”, passando por “Sorrisos” até os mais caras de pau com placas pedindo “grana para uns drinks”. Observei diversos desses tipos em horas movimentadas, e pelo que vi, todos ganham bons trocados dos transeuntes. Não estou dizendo que seja um meio de vida recomendável, mas esses caras sobrevivem disso sob condições inclementes. Seria caridade no ar ou o pessoal estava retribuindo alguma sorte nos cassinos?  De qualquer forma, a caridade casava bem com a decoração luxuosa de cassinos como o Bellagio, onde todo dia um grupo de floristas mexicanos trabalhava diligentemente substituindo as flores murchas da decoração, por especimens frescos de rosas (Urso Branco) e Poinsetias (Casa do Noel). Um luxo só.,, e muitos empregos gerados.

Por fim, lembro que uma das influencias do próprio Epicuro foi a filosofia do Hedonismo – que se baseava na maximização do prazer como o caminho para a felicidade. A filosofia epicurista estabeleceu posteriormente que o prazer se tornava um potencial ativo para obter a felicidade, principalmente se pautado por moderação. E moderação é algo imperativo para não ser preso e até mesmo para sair vivo de Las Vegas, chegando para o Natal com a família.

Ok…Talvez estivesse com saudades dos meus e por isso fiquei mais piegas do que o normal e mais sensível as vibrações da estação de festas. De qualquer maneira, venho notando que o Natal me toca

Os PEBAS desejam Boas Festas!

Os PEBAS desejam Boas Festas!

mais fundo desde que virei pai. Não o Natal dos presentes e do materialismo, mas o Natal de querer juntar as pessoas para falar de mais um ano que passou e fazer um balanço de nossas vidas. Dentro desse mesmo sentimento, fiquei feliz que ainda tivemos chance para a tradicional e epicurista pizzada de fim de ano dos PEBAs, onde pudemos lembrar dos desafios de 2014, discutir os planos para 2015, assim como pegar no pé dos PMs e/ou sedentários que não estão nadando… Depois de muito chopp e pizza, o clima era desejar boas festas e feliz 2015 aos amigos – votos que estendo a todos nossos leitores!

Notem que o Epichurus terá um breve recesso de um mês e esperamos ver todos de volta em fevereiro do ano novo. Obrigado pela audiëncia em 2014 e até mais!

Sobre Rodrigo M. Munhoz

Abrace o Caos... http://abraceocaosdesp.wordpress.com

8 comentários em “Epicuro e a Confusão do Natal (Alerta Piegas em Vegas)

  1. Andreghetto
    25 de dezembro de 2014

    Vegas sempre Vegas! Linda e insinuante. Agora tomar 100 m do Renato ah nao da mais pra apostar em você rs Abs

    • Rodrigo M. Munhoz
      25 de dezembro de 2014

      Concordo, Andregas! Nos 1500 nem eu apostaria em mim… Mas 100m foi dureza! Boas Festas!

  2. rcordani
    26 de dezembro de 2014

    Valeu Munhoz. Não gosto de Vegas também, o urso do Bellagio é hediondo!

    Quanto ao de 1500, necessário informar aos leitores que era uma pauta minha e que o sr teve o espírito esportivo de me acompanhar mesmo sem estar preparado adequadamente, grato. Também não lhe ajudou em nada aqueles “treinos” com o Bonotti nas últimas semanas, que vocês alisavam a água e depois corriam para a fila da sobremesa.

    2015 tem mais, muito mais.

    • Rodrigo M. Munhoz
      26 de dezembro de 2014

      Esses desafios tornam a coisa de nadar algo mais divertido e é sempre desafiador nadar ao seu lado, meu caro Renato!
      Quanto a treinos com o Champs… Menos desafiadores, mas bastante divertidos e menos sujeitos a confusão mental ao fim!
      Abrtz e boas férias!

  3. Lelo Menezes
    30 de dezembro de 2014

    Eu já gostei bastante de Las Vegas. Fui muito pra lá na década de 90. Muito mesmo! Quem a conheceu naquela época com certeza concordará comigo que Las Vegas se deteriorou. Não no luxo dos hotéis e cassinos, mas nos frequentadores. Há 20 anos você entrava no Cesar ou no Mirage (Não tinha o Bellagio ainda) e as pessoas estavam bem vestidas, gente bonita e tal. Hoje os cassinos são frequentados pela molecada de 21-25 anos de bermuda e boné, gastando seus quarters nos caça-níquels. E como você bem disse, os bebuns, veteranos e mendigos agora estão por toda parte.

    abs e boa virada a todos..

    • jorge fernandes
      2 de janeiro de 2015

      feliz 2015 a todos…
      fiquei afastado por ter viajado com a familia… espero que todos tenham tido um otimo natal, e que a passagem para 2015 tenha sido de paz e harmonia… e que se sucedda asiim ao longo do ano…

      hoje dia 02/01/2015 resolvi colocar em dia a leitura e me deliciei, como sempre, com os textos anteriores bem como este, e é por este que começo:
      não conheço (infelizmente) Las Vegas, mas a deterioração citada, não é de exclusividade daquela cidade… outra nos EUA também passam pelo mesmo processo, só que por serem menos visadas em diversão que Vegas, as vezes torna-se quase imperceptivel… mas ela ocorre… e um exemplo simples de uma cidade que acredito todos já devem ter ido é Miami…

      com relação aos outros posts:

      – 100 …. parabéns pelos textos (não posts)… e que mais 100 venham…
      com relação ao aumento/reajuste: só de trabalho … rsrsrs

      – se meu avo usasse saia … taí um termo (SE) em que sempre procurei deixar de fora em qualquer que seja a situação (exceção para sacanear no futebol, e aceitar explicações equivocadas que existe prova mais nobre na natação que os 200m LIVRE)… rsrsrs…
      sacaneadas a parte, enquanto nadei e até mesmo depois me vinham com as conjecturas de: e SE voce tivesse aparecido em tal época… e em outra… e por aí vai… sempre respondi: eu vim e apareci, quando Deus achou que eu devia chegar… vim neste momento porque era a minha hora e não outra… fiz, falei e me posicionei quando era para ser… não existe comparações que possam ser feitas…

      – dinheiro da viúva… fiz uma leitura muito rápida…
      tema instigante, com direito a diversas réplicas e tréplicas, que no fundo fazem bem à nossa liberdade de expressão… concordo com o Laurival quanto à destinação de $ publico, mas em parte tb concordo com o Djan, tendo o projeto como um inicio de trabalho que precisava ser aprimorado, como tudo na vida…

      a todos Epicurianos um excelente 2015…

      e SE falarem que outra prova além dos 200m Livre seria a prova nobre da natação… esqueçam… kkkkk

      • Fernando Cunha Magalhães
        16 de fevereiro de 2015

        Alô Jorge,
        semana que vem meu post falará dos 200m livre, e vem mais na sequencia.
        Pode esperar.
        Abraços

  4. Fernando Cunha Magalhães
    16 de fevereiro de 2015

    Não conheço Vegas e quero muito conhecer.
    Já irei com pena da perspectiva de encontrar pedintes. Não imaginava que houvesse. Uma pena.
    Achei divertido pedirem “tip for drink” e não daria “nem a pau”.
    Em tempo, não achei piegas – o texto vem num ritmo de equilíbrio rodrigueano que inspira a percepção das coisas que realmente valem a pena, ser mais do que ter, e o único caminho para que as mentes possam ser saciadas ou pelo menos, acalmadas diante das expectativas da vida.
    Um forte e caloroso abraço de urso para você, meu amigo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 25 de dezembro de 2014 por em Epicuro, PEBAs e marcado , , , , .
Follow Epichurus on WordPress.com
dezembro 2014
S T Q Q S S D
« nov   jan »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
%d blogueiros gostam disto: