Epichurus

Natação e cia…

Os vídeos do João Guilherme Menezes.

Hoje em dia qualquer celular ou câmera portátil é capaz de fazer um vídeo de natação decente. Mas na época em que eu competia (anos 80 e início dos anos 90), não existia celular e as câmeras portáteis tiravam foto com filme Kodak e olhe lá. As câmeras de vídeo eram enormes e caras, as fitas VHS custavam os olhos da cara, e portanto não havia muita tradição em filmar as provas. A gente mal se via nadando, eu lembro de uma vez lá no CPM que foi marcada com grande antecedência uma data na qual viria um filmador profissional nos filmar para corrigir o estilo, e só alguns teriam esse privilégio. Era uma coisa meio que ultra-tecnológica.

Trocando em miúdos, o sujeito ia para a prova da vida dele e ninguém sequer considerava a hipótese de filmar.

Havia, é claro, exceções. Uma dessas gratas era o sr. João Guilherme Menezes, ex nadador e pai de atleta que filmava as provas de seus filhos, o magricela e peba Marcelo Menezes (Lelo) e o Marcus (Menê).

Ocorre que Lelo tinha mais ou menos a minha idade, nadava as mesmas competições que eu, e também as mesmas provas que eu, ou seja, eu acabei sendo filmado por tabela. Essas fitas estavam literalmente apodrecendo nas prateleiras do Lelo, até que eu e o Munhoz (também filmado por tabela), tomados pela febre Epichuriana, finalmente tivemos a iniciativa de invadir a casa dele, sequestrar as fitas e digitaliza-las.

Nem todos os vídeos puderam ser recuperados, alguns tinham apodrecido, outros desmagnetizados, mas uma porção foi salva. Como por exemplo o do trailer que apresento a seguir, com estreia prevista para quinta feira 16 de maio.

Trailer do filme.

Daquilo que se salvou das vinte e uma (21) fitas VHS, além das provas do Lelo e Marcus tem uma porção de gravações da TV da época. Foi muito legal rever algumas cenas que vivemos com tanta intensidade. Por exemplo, uma reportagem de 9 minutos sobre o sensacional Finkel de 1990 em Santos, o WR do revezamento 4×100 no mundial de Palma de Mallorca, entrevistas com o Michelena, reportagens com um promissor jovem nadador de nome Gustavo, cenas de Moscow 1980 e muitas outras coisas que vamos poder rever juntos aqui no Epichurus. Vocês não perdem por esperar.

Gostaria de deixar meu abraço e sincero agradecimento ao João Guilherme Menezes pela existência desses vídeos. Valeu JG!

Evidentemente, escolhi para iniciar a saraivada de filmes do JG aquela que dentre centenas e centenas de provas se constitui na prova da minha vida, e que graças ao JG está gravada para sempre. Portanto, não percam quinta feira 16/05 a espetacular exibição do meu Blockbuster particular, com os comentários pessoais de praxe. Até lá!

Sobre rcordani

Palmeirense, geofísico e nadador master peba.

32 comentários em “Os vídeos do João Guilherme Menezes.

  1. Fernando Cunha Magalhães
    29 de abril de 2013

    Caro Cordani,
    A vida mudou demais nas décadas recentes, outro dia meu sobrinho de 5 anos rolou de rir ao ver que para abrir a porta do carro reserva precisava colocar a chave no buraco da fechadura. Por isso, acho muito bacana quando surgem registros como esse que passam para essa e futuras gerações como era a rotina da nossa relação com o esporte.
    Muito legal que esse “resgate” das imagens tenha sido feito.
    Agora falando do trailler: SENSACIONAL!
    Parabéns pela edição, vamos aguardar o dia 16.
    E um obrigado a João Guilherme Menezes (não tem nenhuma foto do Lelo com ele pra postar aí?).

    • rcordani
      29 de abril de 2013

      Eu pedi uma foto para o Lelo, mas o mesmo apresentou delay faístico e não mandou. Se o JG nos ler e quiser mandar uma foto, eu posto.

      Quanto ao “registro de como era no passado”, é fato, mas, fico pensando, será que os novos se interessam pelo assunto? Ou só nós, os do passado?

      • Fernando Cunha Magalhães
        29 de abril de 2013

        Acredito que poucos, mas alguns sim. Hoje ia andando pela academia e um parceiro me chamou: “Gostei da história do Opalão” – referência a um pequeno detalhe do meu último post. Cada um percebe o post de uma forma.

      • Marcelo Menezes
        30 de abril de 2013

        Eu e JG em Toquio

        Eu e JG em Tóquio!

      • rcordani
        30 de abril de 2013

        Obrigado, apesar do DF.

    • Oscar Godoi
      30 de abril de 2013

      D+ espero estar em algumas ja que na epoca nao tinha filmadora, obrigado por publicar os videos.

      Muito legal ver como houve uma mudanca drastica de como nadavamos no final da decada de 80 ate hoje.

      • rcordani
        30 de abril de 2013

        Sim Oscar, dos que lhe interessariam mais há no mínimo os 100 Peito do FInkel 1993 e os 200P do Finkel de Londrina (1992) (esses eu já vi), além de outros que deve ter a sua participação também.

  2. ale steinberg
    29 de abril de 2013

    Renato, o trailer está show! Realmente a febre Epichuriana está alta. Os posts estão cada vez mais sofisticados, o que eleva a altura da barra e exige cada vez maiores esforços dos autores dos posts.

    Parabéns pela capacidade de buscar detalhes tão ricos de mais de 20 anos atrás. Além de apresentar bons (e não tão) bons momentos de vocês, nos faz relembrar e revistar todo aquele período. Até para sub-pebas como eu, é muito legal refletir sobre o que aconteceu nas provas e treinos longe do calor dos fatos.

    Aguardo ansiosamente a grande première de 16 de maio.

    Um grande abraço!

    • rcordani
      29 de abril de 2013

      Valeu Alê. Eu acho realmente um privilégio o fato de a prova ter sido filmada.

      E como você disse, a gente mostra os nossos momentos, e isso estimula os leitores a se lembrarem dos seus.

  3. Marina Cordani
    29 de abril de 2013

    O trailer está profissional! É até capaz de que algum desavisado que não entende muito de natação chegue a achar que os 200 peito é, realmente, a prova nobre da natação!

    • Lelo Menezes
      29 de abril de 2013

      Marina, em recente pesquisa feita pelo IBOPE, 9 em cada 10 nadadores concordam que os 200m Peito é a prova nobre da natação!

    • ale steinberg
      29 de abril de 2013

      Boa Marina! Realmente o único defeito do Epichurus é que um grande número de autores tenta justificar a existência do nado peito para além dos 50 solto no treino… Porque 100 solto de peito já é demais! LOL 😉

    • rcordani
      29 de abril de 2013

      Marina, esse desavisado hipotético ser estará em um excelente caminho se considerar esta a prova nobre da natação.

      Veja que esta é a prova com menor velocidade média de todo o rol de provas, portanto a mais difícil e mais estratégica, ou seja, não é para qualquer um!

  4. ruy
    29 de abril de 2013

    Uma coisa que poucos sabem é que a edicao foi feito pelo João Guilherme na epoca. O Renato so trocou a nome dele nos creditos finais. Eu me lembro quando iamos assitir os videos na casa do Lelo. Quando entrava o trayler dos 200m peito era a hora que o pessoal saia da sala de TV para pegar um lanchinho.
    A sala so ficava lotada novamente com 200m costas.

    • rcordani
      29 de abril de 2013

      Ruy, para você ter uma ideia o JGM filmou 367 provas de 200 Peito, e ZERO de 200 costas, qual você acha que é a prova de maior ibope?

  5. Polaco
    29 de abril de 2013

    Renato,

    Só mesmo uma superprodução pode deixar o 200 peito interessante…… Eu só lembrava que esta prova existia , quando ia nadar na piscina do pinheiros, perto da raia dos sócios e via umas senhourassss com toucas floridas tentando manter a cabeça fora da água……
    Valeu pelo esforço, mas poupe os leitores deste blog de ver a tragédia que é esta prova…..

    • rcordani
      29 de abril de 2013

      Polaco, um dos pontos de inflexão da minha carreira foi quando perdi para o senhor nos 200 peito do JD de Porto Alegre – 1986, foi ali que a saga começou.

      Obrigado por compartilhar comigo a participação nos 200 peito, prova que você ora renega, mas que já foi uma das suas favoritas! 🙂

      • Polaco
        29 de abril de 2013

        Para variar, nao lembro de ter nadado esta prova no JD…. certeza????
        Eu nadei esta prova algumas vezes, mas nunca foi a preferida, muito menos a mais nobre….mas como vc disse ajudei o senhor de alguma forma, o que ja foi legal…..

  6. Marcelo Menezes
    30 de abril de 2013

    O trailer ficou sensacional! Essa prova, a prova da sua vida, foi a prova que começou a minha. Com apenas 16 anos, cara de criança, corpo de etíope, eu pegava minha 1ª final de Brasileiro e quebrava a emblemática (pra época) barreira dos 2’30. Enquanto você celebrava o sensacional título do JD, eu celebrava finalmente, depois do desastre de Porto Alegre, fazer parte dos finalistas de brasileiro! The Sky was the limit!
    Engraçado é que tenho a impressão que a importância do JD foi diminuindo com o passar do tempo, mas na nossa época era uma competição fortíssima e espetacular!

    Ahh, e as filmagens do meu pai são uma mina de ouro mesmo! Tem uma porrada de raridades!

    • rcordani
      30 de abril de 2013

      Sim, o JD era uma competição forte. Veja que esse tempo foi melhor do que o do vencedor do TB de janeiro de 1988 (no qual fiquei em…. quarto!).

  7. Rodrigo Munhoz
    30 de abril de 2013

    O trailer ficou demais, R! Eu ainda era Juv A, então a pequena ponta na qual apareço está de bom tamanho… Só não acho que compensou ainda ter andado pra lá e pra cá no Brooklin com aquela caixa enorme de fitas VHS, que a galera da Geração Y que trabalha comigo nunca sequer tinha visto de perto…Estou ansioso pelo filme e por mais pedaços da historia em video…
    Abraços,

    Munhoz

    • rcordani
      30 de abril de 2013

      “Pequena ponta” nada, o sr tem participação fundamental na prova (infelizmente, para o lado negativo). Tudo será explicado (com provas irrefutáveis) no dia 16/05.

  8. Luiz Alfredo Mader
    30 de abril de 2013

    o trailer está excelente… segredos da MdP serão revelados nesta série de filmes?

    • rcordani
      1 de maio de 2013

      LAM, alguma coisa aqui e ali pode escapar, mas os segredos da MdP permanecerão intactos!

  9. Pingback: Finkel 1990: o ponto de inflexão da natação brasileira! | Epichurus

  10. Pingback: Meus 400 medley: do nada para lugar nenhum (mas com algum recheio) « Epichurus

  11. Pingback: Finkel de 1993, aquele dos recordes mundiais. « Epichurus

  12. Pingback: Vinte e seis anos em um dia: de Jorge para Cristiano para Gustavo. « Epichurus

  13. Pingback: Dois anos em dois minutos. « Epichurus

  14. Pingback: O elo perdido do nado peito (pré Finkel 1993) | Epichurus

  15. Pingback: Galgando um degrauzinho – 100P Finkel 1993. | Epichurus

  16. Pingback: O inacreditável Castor (16) no Pan de Indianápolis | Epichurus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Follow Epichurus on WordPress.com
abril 2013
S T Q Q S S D
« mar   maio »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  
%d blogueiros gostam disto: