Epichurus

Natação e cia…

Sucessão na CBDA: eu tenho um sonho.

O tempo voa.

Daqui a menos de um mês entraremos em 2015, e a sucessão na presidência da CBDA será em 2016. Em 2013 eu cheguei a escrever um texto que teve uma certa repercussão e era contrário à enésima reeleição do atual presidente, mas na ocasião a história já estava escrita, não houve condições políticas sequer para uma outra candidatura e Coaracy Nunes Filho foi reeleito.

As informações que tenho dão conta de que a tendência da próxima eleição é a troca de presidente por duas razões, uma porque o Coaracy já disse que queria ficar “apenas” até os Jogos Olímpicos do Rio, e outra porque a saúde dele já não permite mais um mandato.

Então peço licença para usar esse espaço de forma muito particular em defesa de um sonho. Meu sonho é que haja um entendimento entre Miguel Cagnoni e Ricardo de Moura e que juntos assumam a CBDA, explico a seguir.

Miguel Cagnoni, presidente da Federação Aquática Paulista (FAP).

Meu filho é um mini-nadador mirim (o que me dá muito orgulho) e por conta disso ultimamente tenho acompanhado um pouco o cenário na natação paulista, e olha, o cenário que tenho visto é animador. São muitos clubes participando, as competições são organizadas, agradáveis, com placar eletrônico, o site é de primeira, balizamento e resultados online, tudo super organizado, dá gosto de ver. Sim, a gente tem saudades do “Piscina Livre” do Zequinha, mas podemos pré-anunciar que a modernidade chegou na FAP, temos aqui em São Paulo uma federação digna desse nome.

Mas o que realmente impressiona é a quantidade de crianças participando. Em setembro de 2014, Beatriz Nantes contou mais de duas mil crianças competindo em um final de semana em São Paulo (aqui). Meu filho foi um desses dois mil, vejam vocês que na prova de 50L do circuito mirim havia 116 inscritos só no masculino Mirim I (nascidos em 2004), e ainda 83 inscritos na prova de 200L!

Durante o ano de 2014 houve competições da FAP na categoria mirim nas seguintes cidades: São Paulo (Região 1), Marília, Andradina, Ourinhos, Presidente Prudente (R3), São José do Rio Preto, Jaboticabal, Mococa, Porto Ferreira (R5) e Pindamonhangaba e São José dos Campos (R6).

Miguel premia atleta no Baby Barioni.

Miguel Cagnoni premia atleta no Baby Barioni.

Não é impossível sonhar que dessa quantidade toda podemos retirar matéria prima para replicar os sucessos de Ricardo Prado (que começou em Andradina), Gustavo Borges (Ituverava) e César Cielo (Santa Bárbara do Oeste), não é mesmo?

Todos esses resultados podem ser conferidos no site da Federação, que aliás tem um sistema de gestão informatizada integrando site, gestão de eventos e gestão financeira (e não falamos só de natação, mas das 5 modalidades aquáticas). Além disso, as contas estão em dia e a sede é própria. Apurei também que o Miguel conhece as dificuldades das federações menores (quase familiares) e já tem um projeto idealizado que trará as federações ao seu devido lugar: o braço direito e executivo da CBDA nos estados, fornecendo recursos mas cobrando resultados – um trabalho que visa finalmente massificar a natação e também regularizá-la.

Ricardo de Moura, diretor da CBDA.

Quando eu conheci o de Moura, ele já era treinador consagrado de alguns dos melhores atletas da sua geração (por ex. Jorge Fernandes, Cyro Delgado, Julio Rebollal, Cícero Torteli) e diretor da CBDA, mas eu não sabia da sua notável capacidade técnica. Hoje sei que ele é um dos maiores responsáveis pelos bons resultados da natação brasileira no mundo nos últimos anos, conforme explicitado no email que recebi de um chegado meu que o conhece bem e está por dentro da natação de hoje em dia. Diz ele (o negrito é meu):

Ricardo de Moura é do Bureau da FINA, então tem trânsito bom com todo mundo, o mesmo acontece na CONSANAT. Por exemplo no PAN de Guadalajara se não fosse por ele o Leo de Deus teria sido desclassificado e não teria ganho a medalha de ouro nos 200 borboleta. Da FINA sempre consegue insider infos como por exemplo os índices A para olimpíadas 2016 cujos tempos já valerão pro mundial de longa e Pan 2015. É também membro do IOB (Instituto Olímpico Brasileiro, um departamento do COB, professor dos cursos do COB), tem bons contatos e relacionamento dentro do mesmo. Fez o modelo e as regras sobre a Lei de Incentivo ao Esporte para a natação que foi copiado por todas as outras modalidades, e costuma ir um par de vezes por mês ao Ministério dos Esportes em Brasília e por isso tem bom trânsito político. É o cara que mais entende a natação brasileira e que batalha de verdade por ela. É ele quem está comandando a CBDA no momento e, dentro das possibilidades, está colocando a casa em ordem (com os problemas de saúde do Coaracy). É muito inteligente. Acredito bastante nele mas sei que nem sempre conseguiu fazer o que era certo por causa das condições políticas da CBDA. Obviamente não é perfeito, mas na balança acho que tem muito mais prós que contras, sem ele a natação ficaria meio sem rumo por um bom tempo. Esqueci de falar que é também o responsável pela natação dos Jogos Olímpicos Rio 2016, então TUDO que diz respeito a natação passa por ele.

Ricardo de Moura no Brasil Olímpico.

Ricardo de Moura no Brasil Olímpico.

(NdoA: conheço bem o Miguel Cagnoni da época que fui nadador do ECP e ele era diretor de natação do clube, e depois tive apenas mais dois encontros com ele nos últimos 20 anos. Conheci o Ricardo de Moura quando ele veio falar comigo e me convocar para a Seleção Brasileira no dia 18/12/1992, de lá para cá nunca mais falei com ele. Não tenho nenhum interesse particular em política da CBDA, sou apenas um ex-atleta semi PEBA, pai de atleta mirim e entusiasta da natação.)

Recapitulando:

Miguel Cagnoni comanda há muitos anos aquela que é disparadamente a melhor Federação do Brasil, com uma organização e quantidade de atletas ímpares. Replicando o sucesso pelo Brasil, poderia dar a massa crítica para impulsionar a natação facultando o acesso de milhares de crianças brasileiras.

Ricardo de Moura é o nome inquestionável da nossa natação competitiva.

Podemos sonhar com os dois juntos na CBDA a partir de 2016? Afinal, sonhar é de graça.

Sobre rcordani

Palmeirense, geofísico e nadador master peba.

16 comentários em “Sucessão na CBDA: eu tenho um sonho.

  1. Rodrigo M. Munhoz
    1 de dezembro de 2014

    Oi Renato,
    Fiquei até otimista. Conheço superficialmente os dois de competições e pelo que ouço falar, me parecem bons nomes para a sucessão. Como as Olímpiadas do Rio ainda vão rolar no meio tempo, isso deve gerar ruído grande ainda, dificultando a discussão de outros temas e do longo prazo… mas a articulação dos novos candidatos é importante agora. Será que eles estão a fim do “desafio”? Pessoalmente, me parece uma responsabilidade e tanto. Não será qualquer um que vai encarar.
    Só não está muito claro para mim quais seriam os obstáculos a realização de projetos juntos e da parceria entre estes dois nomes.
    Boa sorte para a natação!
    Abraços!

    • rcordani
      2 de dezembro de 2014

      Munhoz, pelas informações que tenho há interesse sim. A ver os próximos passos. O mais importante é que nós (a sociedade civil) não deixemos para quando já for tarde demais como na última vez…

  2. laurivalshita
    1 de dezembro de 2014

    Caro Renato,
    Pelas novas regras do Ministério dos Esportes um dirigente não pode se reeleger mais do que uma vez só que técnicamente o Coaracy poderia se reeleger em 2016 já que as regras mudaram agora. Isto vale também para o todo poderoso presidente do COB. Acho que esta velha guarda se manda pós Olimpiadas mas vale fazer pressão pois esta turma não é de soltar o osso facilmente. Uma chapa Miguel presidente e Ricardo diretor técnico no papel me parece viável só falta combinar com os russos. Outro fator a ser considerado para o futuro próximo é se a Operação Lavajato não vai respingar na CBDA já que esta parceira eterna com os Correios deve seguir os moldes conhecidos das parcerias publico-privadas no Brasil. Se isto acontecer não imagino que seus candidatos vão se sentir confortáveis em assumir um barril de pólvora.

    • rcordani
      2 de dezembro de 2014

      Sim, os russos. Quanto ao suposto barril de pólvora, se houver, creio que não cairá no colo desses dois citados.

  3. Fernando Cunha Magalhães
    1 de dezembro de 2014

    Fiquei contente com as novidades sobre o andamento das coisas nas piscinas paulistas.
    E também, sobre as virtudes apresentadas em relação aos nomes, que também conheço, mas não profundamente. Logo, não sei se eles tem bom relacionamento e nem tenho como fazer qualquer contra ponto em relação aos argumentos apresentados.

    • rcordani
      2 de dezembro de 2014

      As piscinas paulistas vão bem sim, também me surpreendi positivamente agora que estou acompanhando.

  4. Barros
    1 de dezembro de 2014

    Fala Renatão
    Mais um ótimo texto!
    Arrumar uma pessoa competente é difícil, quando temos duas devemos aproveitar para unir forças.
    Espero que esta sua idéia dê certo para o sucesso da natação brasileira.
    É importante também acabar com o continuísmo.
    Abs

    • rcordani
      2 de dezembro de 2014

      Barrão, seu sangue político e conciliador é genético! Grande abraço.

  5. Lelo Menezes
    1 de dezembro de 2014

    Acho interessante e porque não dizer importante essa parceria! O Miguel eu entendo que deve ter essas aspiração de ser presidente da CBDA. Será que o Ricardo de Moura também não tem? Nesse caso ficaria mais difícil esse ultimo aceitar o cargo de diretor ou algo assim. De qualquer forma, obviamente não dá pra ter mais um mandato do Coaracy. Simplesmente não dá. O Julian tinha essa vontade de ser oposição. Será que ele continua com esse desejo ou apoiaria uma chapa do Miguel/Ricardo?

    Independente do nome do próximo “manda chuva” eu gostaria de ver as seguintes melhorias expressivas:

    1. Uma politica bem mais agressiva de combate ao doping…

    2. Uma maneira mais inteligente de convocação como seletiva única por exemplo (sem índice, mas levando um time completo masculino e feminino, respeitando as regras de cada competição)

    3. Incentivo as categorias de base

    • rcordani
      2 de dezembro de 2014

      1- verdade, mas a CBDA teve crescimento nesse item nos últimos anos, a maioria dos casos recentes foi desmascarada aqui e não em competições internacionais, não é?

      2- sim, defendemos isso aí em um post antigo.

      3- exato, e nesse ponto a FAP se destaca bastante.

  6. Anna Paula Fumis
    2 de dezembro de 2014

    Deixo aqui um breve comentário apenas pra confirmar o excelente profissional que o Miguel Cagnoni é. Fui atleta quando ele era Diretor no ECP, depois tRabalhei com ele no ECP e depois fui com ele pra Federação Paulista, vendo, aprendendo, batalhando junto com ele sempre de maneira seria , em busca de uma natação melhor.
    Aprendi muito com ele, inclusive a política, que, aliás, foi o que me afastou da Federação… Mas isso é outro assunto…
    Fiquei muito feliz em saber que ele ainda está na ativa e trabalhando bem! Renovar é preciso e, como alguém falou em um dos comentários, não é fácil encontrar pessoas competentes e que tenham amor à arte. A natação brasileira merece e precisa disso!

    • rcordani
      3 de dezembro de 2014

      Obrigado Tulipa, seu comentário agrega bastante. Realmente não são muitas pessoas que tem essa capacidade e vontade ao mesmo tempo.

  7. jorge fernandes
    2 de dezembro de 2014

    boas…
    tenho minha opinião, mas me desculpem, não vou entrar no mérito de fulano, ciclano ou beltrano…
    na minha humilde visão, toda a estrutura, conceitos e projetos devem ser repensados…
    vou focar principalmente na natação que é o carro chefe da CBDA em tudo, e deve ser mesmo, e por conta disso olhares e decisões mais precisos devem ser tomados… mas não se pode de forma alguma esquecer ou diminuir a importancia das outras modalidades…

    pergunto: a natação melhorou ? … minha resposta sincera é não…

    e não digo isso por despeito, inveja ou algo similar… quem me conhece sabe que não sou ou tenho nenhuma destas caracteristicas…

    tivemos avanço/melhoras em tempos sim… tivemos campeões mundiais e olimpicos com seus respectivos recordes, etc… algumas boas colocações e tudo mais… mas sempre em cima de 1 ou 2 nomes de ponta, e não mais que isso… e isso já vem de décadas…

    durante um certo tempo, tivemos atletas que arrebentavam em piscina de 25m, e quando chegava nas competições mais importantes em piscina de 50m: neca-de-pitibiriba… respeito aos que arrebentam em piscina curta mas no meu ponto de vista, o que vale é encarar a de 50m…

    tivemos nadadores de sucesso, e vou citar alguns aqui (me desculpem os outros, principalmente os peitistas… rsrsrs): Gustavo, Scherer, Cielo… ícones e ídolos de muitos brasileiros… mas seus resultados foram mal aproveitados e não se capitalizou devidamente em cima deles e seus feitos…

    hoje em dia carecemos de nadadores acima dos 200m, e me desculpem se estou errando, em qualquer estilo, a nivel internacional… por favor esqueçam america do sul… todos querem ser um Cielo e nadar 50, no máximo 100… 101m já seria prova de fundo para estes…

    e por aí vai…

    tivemos avanços ? … sim, claro… tanto que citei alguns nomes…

    mas devemos nos contentar com isso ?… devemos aplaudir somente meia duzia de atletas ?

    eu quero chegar um dia e aplaudir 15 , 20 , 30 , ou mais até… de preferencia todos medalhistas mundiais e/ou olimpicos…

    e isso vale não somente a nivel nacional (resultados em provas de 200m acima)… acho que se passarmos para os regionais, não vamos encontrar muita diferença no que expus acima…

    acho que todo o sistema deve ser avaliado…

    me desculpem fugir um pouco do assunto, mas uma empresa (de grande porte) quando quer efetuar mudanças, ela normalmente procura orientar-se em cima de levantameto feito por equipe independente e não contaminada pela estrutura existente…

    e não menos importante mencionar sobre a parceria existente com os Correios há anos, mas acho que o único perigo seria a perda desta parceria… pelo que sei, existe uma empresa que audita as contas, para que não haja erros, e com isso poder efetuar renovações anuais…

    do mais, espero que o futuro comandante de nossos esportes aquaticos, tenha uma visão clara do horizonte, e que coloque pessoas certas nos lugares certos, pois gerir uma CBDA não é facil…

    1º pedido de desculpas pelo longo texto;
    2º pedido de desculpas aos que se enganam e acham que nadar peito é dificil, e que a prova de 200m é a melhor… kkkk

    abraço para todos.

    • rcordani
      3 de dezembro de 2014

      Obrigado pelo comentário completo, Jorge, muito importante inclusive por você ter essa visão abrangente.

      Com relação ao mérito da questão, eu concordo com o que você disse sobre a massa crítica e vejo uma semente na Federação Paulista muito similar a isso que você apregoa. São muitas crianças nadando em muitas cidades diferentes, com provas curtas E LONGAS desde mirim. São Paulo há muito tempo revela muito mais nadadores do que todos os outros estados somados!

      Imagina replicar isso pelo Brasil todo? Esse é meu sonho.

      Quanto aos 200 peito, você mesmo disse aí em cima que as provas mais longas são mais legais, não? E a de 200 peito é a de menor velocidade média, portanto a mais legal de todas!

      Abraços

      • jorge fernandes
        3 de dezembro de 2014

        o seu sonho também é o meu, e acredito de todos que gostam da natação…

  8. Pingback: Que venha o sol! | Epichurus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Follow Epichurus on WordPress.com
dezembro 2014
S T Q Q S S D
« nov   jan »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
%d blogueiros gostam disto: